QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1

Comentarios

Transcripción

QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – ESPANHOL
PARA A VALIDADE DO QiD, AS RESPOSTAS DEVEM SER APRESENTADAS EM FOLHA
PRÓPRIA, FORNECIDA PELO COLÉGIO, COM DESENVOLVIMENTO E SEMPRE A TINTA.
TODAS AS QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA DEVEM SER JUSTIFICADAS.
DATA DE ENTREGA: 11 / 05 / 2016
TEXTO I
A partir de la lectura del texto, contesta a las preguntas en portugués.
1. (1,0) En la historieta, Gaturro compara Papá Noel a los Reyes Magos. De acuerdo con eso, ¿qué pretende
Gaturro?
2. (1,0) ¿Qué significado puede tener la expresión “ponete las pilas” en este contexto?
3. (1,0) Presenta un recurso gráfico que indica el contenido de la carta de Gaturro a Papá Noel y otro recurso que
demuestra una reflexión de Gaturro.
TEXTO II
“PENSÉ EN DEJAR Y QUE NUNCA SERÍA CAPAZ DE DAR EL SALTO”
Por Sebastian Fest
A los 27 años, la francesa cambió su historia en la última temporada, cuando ganó dos títulos de Grand
Slam y llegó a lo más alto del ranking mundial. Amante de los buenos vinos, quiere festejar en el Masters
de Madrid.
Llevarse el “mejor vino” que encuentre en Madrid: ése es el premio que se prometió a sí misma la francesa Amélie
Mauresmo si la semana próxima logra una buena actuación en el Masters femenino de Madrid y cierra la
temporada en la cima del tenis. “Estoy segura de que tras el Masters podré encontrar en Madrid, sin duda, muy
buenos vinos y disfrutarlos allí”, comentó la número uno del mundo, que está en contra de parte de las
innovaciones que experimenta la WTA para hacer más atractivo el tenis. “Soy algo conservadora en cuanto al
tenis, me parece que está bien como está”, reconoció la francesa de 27 años, que cerrará en Madrid el mejor año
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – ESPANHOL
de su vida profesional: en noviembre del 2005 conquistó el Masters de Los Angeles, en enero el Abierto de
Australia y en julio Wimbledon.
–Tuvo un gran 2006, pero su carrera no siempre fue tan fantástica. ¿Qué se siente al haber cambiado todo en
menos de un año, al ser la número uno tras ganar el Masters en el 2005 y dos Grand Slam en el 2006?
–Es realmente increíble ver que esperé tanto para ganar un Grand Slam y que ahora tengo dos en un año. Es un
gran punto de inflexión. Y haber ganado el Masters en Los Angeles fue un momento clave, el gran cambio en mi
carrera. Me dije a mí misma: “Bueno, puedes ganar un gran torneo”. Mi confianza y mi consistencia subieron
mucho y mi juego cambió. Estoy disfrutando mucho.
–¿Tuvo momentos en su carrera en los que dijo: “Basta, se acabó”?
–¡Claro que sí! Especialmente tras derrotas duras en Grand Slam, momentos en los que pensé que realmente
nunca sería capaz de dar el gran salto. Pero esas depresiones duraban un día o dos, no más. Luego siempre fui
capaz de volver al trabajo, de dar el ciento por ciento de mí, y eso en buena parte gracias a la gente que me
rodea.
–Su próximo desafío es Madrid. ¿Qué sabe del torneo?
–Sé que los hombres realmente disfrutan el torneo que juegan allí. Siempre hablan de la organización, la forma en
que todo funciona, la ciudad... Realmente estoy esperando el momento de jugar allí, de conocer el estadio,
disfrutar la ciudad... Siempre es un momento especial, el torneo reúne a las ocho mejores del mundo, así que es
exigente de principio a fin.
(www.pagina12.com.ar, 04/11/13)
Com base no texto II, responda às questões 4, 5 e 6 em espanhol.
4. (1,0) La Francesa Amélie Mauresmo logró una buena actuación en el Masters femenino. Transcribe del texto
un trozo que ejemplifique de que modo la francesa quiere conmemorar su logro.
5. (1,0) Entresaca el fragmento en el que Amélie Mauresmo pensó en dejar sus actividades.
6. (1,0) Amélie afirma que hubo un momento de gran cambio en su carrera. Transcribe este trozo.
TEXTO III
Tierras para campesinos
El presidente de Bolivia, Evo Morales, dijo ayer que las tierras productivas serán
respetadas y que de ningún modo se prevé ni la reversión ni la expropiación de esas áreas.
Morales insistió, no obstante, en que algunos latifundios deben ser revertidos para que “las
tierras sean redistribuidas y de esta manera se resuelva un problema social con la gente
que no tiene tierras o que las tiene de forma insuficiente”. Parte del discurso de Morales
pareció dirigido a replicar las críticas de sectores que cuestionaron la modificación a la ley
de tierras que aprobó la Cámara de Diputados y que ahora debe ser tratada por el Senado,
donde el oficialismo es minoría. El jueves, Morales había advertido que “los movimientos
sociales se levantarán” para presionar al Congreso en favor de esa norma, y ayer fue el
viceministro de Tierras, Alejandro Almaraz, el que dejó la puerta abierta a las
movilizaciones si el Parlamento demora la iniciativa.
(www.pagina12.com.ar, sábado, 18/11/06)
Com base no texto III, responda às questões 7 e 8 em português
7. (1,0) Em que dia, mês e ano o presidente da Bolívia avisou que os movimentos sociais aumentariam?
8. (1,0) Que medidas tomadas pelo presidente da Bolívia podem resolver problemas sociais?
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – ESPANHOL
TEXTO IV
QUINO (Joaquín Salvador Lavado). Mafalda 9 – Tiras.
Buenos Aires: Ediciones de la Flor, 2002.
Com base no texto IV, responda à questão 9 em português
9. (1,0) El vecino de la niña de la historieta tuvo que comprar un auto. Especifica la razón para este hecho.
10. (1,0) Leia os títulos e os textos a seguir. Relacione cada título ao texto correspondente.
(1) Un equipo para soñar a lo grande
(2) Pekín avanza otro paso
(3) Reino Unido estudia censurar Internet
(4) Fin de año social
a) ( ) Internet es algo que ha generado poder y democracia de muchas maneras, pero aún no se dispone de
herramientas para ayudar a la gente a navegar de forma segura.
b) ( ) el presidente volvió a tejer un mensaje optimista en su pronóstico de que en los primeros meses del año
próximo mejorará el mercado del crédito en España y aumentará la liquidez.
c) ( ) La gran reforma energética que promete Obama estará en manos de un Nobel de física partidario de las
renovables y tres expertas en protección medioambiental.
d) ( ) La incorporación de dos navíos de guerra chinos a las flotillas de diferentes países que patrullan las costas
de Somalia para combatir la creciente piratería marítima en el cuerno de África tiene un significado relevante.
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – ESPANHOL
PARA A VALIDADE DO QiD, AS RESPOSTAS DEVEM SER APRESENTADAS EM FOLHA
PRÓPRIA, FORNECIDA PELO COLÉGIO, COM DESENVOLVIMENTO E SEMPRE A TINTA.
TODAS AS QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA DEVEM SER JUSTIFICADAS.
DATA DE ENTREGA: 14 / 04 / 2016
GABARITO
1. Gaturro elogia os Reis Magos, de modo que isso venha a melhorar o desempenho do Papai Noel.
2. A expressão seria “se liga”.
3. Na carta: letras manuscritas. Na reflexão: balão de pensamento.
4. “quiere festejar en el Masters de Madrid” OU “Llevarse el “mejor vino” que encuentre en Madrid: ése es el
premio que se prometió a sí misma la francesa Amélie Mauresmo”.
5. “Especialmente tras derrotas duras en Grand Slam, momentos en los que pensé que realmente nunca sería
capaz de dar el gran salto”.
6. “Y haber ganado el Masters en Los Angeles fue un momento clave, el gran cambio en mi carrera”.
7. 17 de novembro de 2006.
8. Segundo Morales algumas terras devem ser redistribuídas.
9. Para conseguir chegar cedo aos dois empregos.
10. a (3) b (4) c (1) d (2)
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – INGLÊS
PARA A VALIDADE DO QiD, AS RESPOSTAS DEVEM SER APRESENTADAS EM FOLHA
PRÓPRIA, FORNECIDA PELO COLÉGIO, COM DESENVOLVIMENTO E SEMPRE A TINTA.
TODAS AS QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA DEVEM SER JUSTIFICADAS.
DATA DE ENTREGA: 11 / 05 / 2016
Mother Teresa, a Roman Catholic nun, inspired millions with her
absolute devotion to the poor and the sick. Until her death in
1977, her only mission was to bring dignity and relief to people
who were forgotten by society. People considered her a living
saint.
Mother Teresa was born in Albania in 1910 the daughter of a
prosperous construction contractor. She was a playful girl. At the
age of 17, she decided to become a nun.
After she was ordained, her superiors sent her to Calcutta, India,
to teach Geography in a Catholic school for middle class girls.
She taught at that school for 20 years, but teaching didn’t make
her completely happy. The poor people in the Calcutta street
were living in very bad conditions. Mother Teresa became more
and more upset about not doing anything to help them.
Finally she couldn’t ignore their suffering anymore. She
abandoned the comfortable life she had at the school and went
to live together with the poor. She wanted to serve not only God;
she wanted to serve people, too. This decision, she said, was a
call from God.
In 1950, Mother Teresa founded the order of the Missionary of
Charity, dedicated to the relief of human suffering. Her mission
attracted many followers. Today, the order has thousand of
members in 90 countries and operates more than 500 homes
and clinics.
Mother Teresa believed that the preciousness and dignity of human life was as important as her religious faith. She
received many honors, but always minimized her importance. “I am nothing”, she would say. “God is all”.
In 1979, Mother Teresa received the Nobel Peace Prize. When she received the prize she said, with typical
humility: “Personally, I am unworthy. I accept in the name of the poor”.
1. (1,0) According to your understanding of the text, which clause (a, b, c, d, or e) best completes the first part of
each sentence (A, B, C, D, or E) below?
(A)
(B)
(C)
(D)
(E)
Mother Teresa went to live among the poor … ( )
Mother Teresa not only helped the poor … ( )
Mother Teresa believed that … ( )
To Mother Teresa the dignity of human life … ( )
When Mother Teresa received the Nobel Peace Prize … (
a.
b.
c.
d.
e.
… was as important as her belief in God.
… she said that she accepted it in the name of the poor.
… but she also inspired other people to be helpful and generous.
… because she felt that, close to them, she could help them better.
… every person needs food, housing, love and dignity.
)
ANSWER THE FOLLOWING QUESTIONS IN ENGLISH WITH INFORMATION FROM THE TEXT.
2. (1,0) When was Mother Teresa born?
3. 1,0) Where was Mother Teresa born?
4. (1,0) What kind of girl was Mother Teresa?
5. (1,0) What was the mission of Mother Teresa’s life?
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – INGLÊS
6. (1,0) Where is Calcutta?
7. (1,0) How old was Mother Teresa when she received the Nobel Peace Prize?
8. (1,0) What did she say when she received the Nobel Peace Prize?
9. (1,0) Who did Mother Teresa dedicate the Nobel Peace Prize to?
10. (1,0) When did Mother Teresa die?
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – INGLÊS
PARA A VALIDADE DO QiD, AS RESPOSTAS DEVEM SER APRESENTADAS EM FOLHA
PRÓPRIA, FORNECIDA PELO COLÉGIO, COM DESENVOLVIMENTO E SEMPRE A TINTA.
TODAS AS QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA DEVEM SER JUSTIFICADAS.
DATA DE ENTREGA: 11 / 05 / 2016
1. D
C
E
A
B
2. In 1910
3. In Albania.
4. Playful.
5. To bring dignity and relief to people who were forgotten by society.
6. In India.
7. About 40 years old.
8. “Personally, I am unworthy. I accept in the name of the poor”.
9. To the poor people.
10. In 1997.
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – LPLB
PARA A VALIDADE DO QiD, AS RESPOSTAS DEVEM SER APRESENTADAS EM FOLHA
PRÓPRIA, FORNECIDA PELO COLÉGIO, COM DESENVOLVIMENTO E SEMPRE A TINTA.
TODAS AS QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA DEVEM SER JUSTIFICADAS.
DATA DE ENTREGA: 11 / 05 / 2016
TEXTO I
Godofredo Walsh era um desses velhos sublimes, em cujas cabeças as cãs (1) semelham o diadema
prateado do gênio. Velho já, casara em segundas núpcias com uma beleza de vinte anos. Godofredo era pintor:
diziam uns que este casamento fora um amor artístico por aquela beleza romana, como que feita ao molde das
belezas antigas – outros criam-no com paixão pela pobre moça que vivia de servir de modelo. O fato é que ele a
queria como filha – como Laura, a filha única de seu primeiro casamento – Laura, corada como uma rosa, e loira
como um anjo. Eu era nesse tempo moço: era aprendiz de pintura em casa de Godofredo. Eu era lindo então! Que
trinta anos lá vão! Que ainda os cabelos e as faces me não haviam desbotado como nesses longos quarenta e
dois anos de vida! Beleza, já não a tenho...
Eu era aquele tipo de mancebo ainda puro do ressumbrar (2) infantil, pensativo e melancólico como o Rafael
se retratou no quadro da galeria Barberini. Eu tinha quase a idade da mulher do mestre. – Nausa tinha vinte – e eu
tinha dezoito anos.
Amei-a, mas meu amor era puro como meus sonhos de dezoito anos. Nausa também me amava: era um
sentir tão puro! Era uma emoção solitária e perfumosa como as primaveras cheias de flores e de brisas que nos
embalavam aos céus da Itália.
Como eu o disse – o mestre tinha uma filha chamada Laura. Era uma moça pálida, de cabelos castanhos e
olhos azulados; sua tez era branca, e só às vezes, quando o pejo (3) a incendia (4), duas rosas lhe avermelhavam
a face e se lhe destacavam no fundo de mármore. Laura parecia querer-me como a um irmão. Seus risos, seus
beijos de criança de quinze anos, tudo era só para mim. Os sentimentos de Laura por mim eram uma delícia. À
noite, quando eu ia deitar-me, ao passar pelo corredor escuro com minha lâmpada, uma sombra me apagava a luz
e um beijo me pousava nas faces, nas trevas.
Muitas noites foi assim.
(AZEVEDO, Álvares de. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar)
( 1 ) cabelos brancos ( 2 ) desabrochar ( 3 ) vergonha ( 4 ) ruborizava
1. (1,0) O narrador do texto I afirma: “Amei-a, mas meu amor era puro como meus sonhos de dezoito anos. Nausa
também me amava: era um sentir tão puro!...”
Comente esse trecho, tendo em vista a visão de amor do Romantismo.
2. (1,0) A postura do narrador do texto I, em relação ao passado, mostra-se saudosista, indiscutivelmente
romântica. Copie o trecho que exemplifica tal postura.
3. (1,0) A mulher idealizada é representada por duas personagens diferentes no trecho lido. Informe quem são e
copie uma expressão que sirva para caracterizar cada uma delas como tal.
4. (1,0) Observe o trecho abaixo:
“Eu era nesse tempo moço [...].”
Reescreva a oração em destaque, alterando a posição do adjunto adverbial.
5. (1,0) A caracterização detalhada dos espaços e personagens é uma marca do Romantismo. Desse modo,
determine o tipo de predicado que prevalece nos trechos em que o narrador descreve os personagens.
Comprove sua resposta com um fragmento do texto I.
TEXTO II
Mais do que um fenômeno circunscrito a teens ou a adultos solitários, os relacionamentos românticos via internet
tendem a se expandir em um futuro próximo e devem, como consequência, provocar um relaxamento das normas
sociais e morais tais como as entendemos hoje. No limite, elas devem impor um novo padrão de ética à sociedade
“off-line”, como defende o filósofo Aaron Ben-Ze’ev em seu livro “Love Online” (…)
FOLHA: O Sr. diz em seu livro que “a natureza interativa do ciberespaço exerce um profundo impacto sobre a
estrutura social”. Que tipo de impacto?
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – LPLB
AARON: A internet modificou dramaticamente o domínio do romântico e esse processo irá se acelerar no futuro.
Tais alterações mudarão inevitavelmente as formas sociais atuais, como o casamento, a coabitação, as práticas
românticas correntes relacionadas à sedução, namoros e a noção de exclusividade romântica. Podemos esperar
um relaxamento das normas sociais e morais; esse processo não deveria ser considerado uma ameaça, pois não
são as modificações on-line que põem em perigo os relacionamentos românticos, mas nossa falta de habilidade
para nos adaptarmos a elas. O relaxamento dessas normas ficará particularmente evidente em questões que
dizem respeito à exclusividade romântica. Será difícil evitar inteiramente as alternativas disponíveis. A noção de
“traição” será menos comum no que diz respeito aos casos românticos.
Assim como o aumento da flexibilidade romântica, valores como estabilidade e maior camaradagem serão mais
importantes. A natureza caótica e dinâmica do ciberespaço nunca irá substituir a natureza mais estável do “espaço
real”, pois não podemos viver em um caos completo: do mesmo modo que outros tipos de significado, o
significado emocional pressupõe algum tipo de base estável contra a qual ele é gerado.
Apesar disso, o domínio romântico se tornará mais dinâmico, e será mais difícil perfazer as vantagens emocionais
de uma estrutura romântica estável.
FOLHA: Do ponto de vista dos efeitos psicológicos, quais as diferenças entre o amor “convencional” e o “online”?
AARON: Em ambos os tipos de amor existem emoções reais, como desejo e ciúme. Mas existem muitas
diferenças no que diz respeito à prevalência de vários aspectos em cada tipo de amor. No amor on-line, o papel
da imaginação é muito maior.
O ciberespaço revolucionou o papel da imaginação nos relacionamentos pessoais e elevou a imaginação de seu
papel de ferramenta periférica – utilizada sobretudo por artistas e, no pior dos casos, por sonhadores e aqueles
que, por assim dizer, não têm nada para fazer – a um meio central de relacionamento pessoal para muitas
pessoas, que têm ocupações ou envolvimentos, mas preferem interagir on-line.
A internet encoraja outros tipos de trocas em relacionamentos românticos. Assim, a proeminência da comunicação
verbal em comunicações on-line provavelmente irá aumentar a importância das habilidades intelectuais nas
interações românticas.
(PERES, Marcos Flamínio. In: Folha de São Paulo, Caderno Mais! 18 de julho de 2004)
6. (1,0) Mencione o tema abordado no texto II.
7. (1,0) Compare as orações abaixo:
No amor on-line, o papel da imaginação é muito maior. (6º§)
[...] mas preferem interagir on-line. (7º§)
Diferencie sintaticamente os termos m negrito.
8. (1,0) Considere o período:
A internet encoraja outros tipos de trocas em relacionamentos românticos. (último §)
Informe a transitividade do verbo “encorajar”.
9. As respostas dadas à Folha de São Paulo pelo filósofo Aaron Ben-Ze’ev constituem textos argumentativos.
Sendo assim, identifique:
a) (0,5) a tese do filósofo no primeiro parágrafo de sua segunda resposta; e
b) (0,5) um argumento que comprove essa tese.
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – LPLB
TEXTO III
(Disponível em: http://imagohistoria.blogspot.com/2010_10_01_archive.html; acesso em 01 de março de 2009)
10. (1,0) A tirinha acima evidencia uma sociedade imediatista. Relacione essa afirmativa com o padrão de
sociedade traçado pelo Romantismo, considerando a fala da personagem Mafalda.
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – LPLB
PARA A VALIDADE DO QiD, AS RESPOSTAS DEVEM SER APRESENTADAS EM FOLHA
PRÓPRIA, FORNECIDA PELO COLÉGIO, COM DESENVOLVIMENTO E SEMPRE A TINTA.
TODAS AS QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA DEVEM SER JUSTIFICADAS.
DATA DE ENTREGA: 11 / 05 / 2016
GABARITO
1. (1,0) Nesse trecho, encontramos um amor vinculado à pureza, idealizado, típico dos jovens românticos.
2. (1,0) “Eu era lindo então! que trinta anos lá vão! que ainda os cabelos e as faces me não haviam desbotado
como nesses longos quarenta e dois anos de vida! Beleza, já não a tenho...”
Obs.: não é necessário copiar o trecho todo.
3. (0,5)
(0,5)
Laura : “corada como uma rosa” OU “loira como um anjo”
Nausa: “sentir tão puro!” OU “uma emoção solitária e perfumosa”
4. (1,0) Nesse tempo, eu era moço. (a vírgula é facultativa) / Eu era moço nesse tempo.
5. (0,5 cada etapa)
Predicado nominal.
Há muitas opções de orações que podem ser destacadas, por exemplo, qualquer uma que tenha o verbo “ser”.
Exemplo: “Godofredo Walsh era um desses velhos sublimes [...]”
6. O avanço/aumento das relações amorosas via internet.
7. (0,5 cada)O primeiro termo é um adjunto adnominal e, o segundo, um adjunto adverbial.
8. Verbo transitivo direto.
9.
a)
b)
(0,5) O amor “convencional” e o “on-line” apresentam características de base em comum, mas são diferentes
no que diz respeito a alguns aspectos mais “superficiais”, “secundários”
(0,5)A importância dada à imaginação no amor “on-line” é maior.
10. (1,0) O aluno deve, ao menos, tangenciar a seguinte resposta: no Romantismo valorizam-se, justamente, os
valores morais e humanos, o que pode ser visto, por exemplo, pela caracterização do herói como um homem
íntegro e de moral inquestionável. Da mesma forma, valorizam-se a espiritualidade e tudo aquilo que envolve
questões religiosas. Em uma sociedade imediatista, como a que o texto III retrata, em que se busca o lucro, o
prazer momentâneo, esses valores mais subjetivos não têm lugar, procura-se ser o mais objetivo possível.
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – REDAÇÃO
PARA A VALIDADE DO QiD, AS RESPOSTAS DEVEM SER APRESENTADAS EM FOLHA
PRÓPRIA, FORNECIDA PELO COLÉGIO, COM DESENVOLVIMENTO E SEMPRE A TINTA.
TODAS AS QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA DEVEM SER JUSTIFICADAS.
DATA DE ENTREGA: 11 / 05 / 2016
TEXTO I
O transporte público no Brasil sempre foi alvo de muitas reclamações ao longo do tempo. Na maioria das
vezes, as queixas referem-se ao fato de os veículos estarem sempre lotados, às condições ruins dos carros e à
baixa qualidade dos serviços prestados. Tais problemas somaram-se à insatisfação popular com o aumento das
passagens de ônibus em algumas capitais do Brasil no ano passado, o que culminou em uma série de protestos
que foram realizados na maior parte das capitais estaduais.
A insatisfação da população com o transporte coletivo nas cidades brasileiras, no entanto, não é uma
questão recente. Pesquisas realizadas pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), em 2011 e 2012,
revelaram um quadro negativo, com avaliações classificadas como “péssimas ou ruins” ultrapassando os 60%.
Mas de onde surgiram os problemas relacionados ao transporte público no país?
Para responder a essa questão, é preciso compreender a lógica da urbanização brasileira, que se
estruturou a partir da lógica dos países subdesenvolvidos, baseada em uma industrialização tardia e acelerada a
partir da segunda metade do século XX, mediante a importação de tecnologias dos países desenvolvidos e com a
instalação de empresas estrangeiras.
Esse processo de industrialização acelerada das grandes cidades contribuiu para a ocorrência de um
igualmente acelerado processo de urbanização. Além do mais, tal fenômeno ocorreu de forma concentrada na
região Sudeste, atraindo uma considerável parcela da população de outras regiões, sobretudo da região Nordeste.
Para agravar, o processo de mecanização intensificou aquilo que se chama por êxodo rural (migração em massa
da população do campo para as cidades), favorecendo ainda mais o excesso populacional das metrópoles
(metropolização).
Esse verdadeiro exército de trabalhadores que passou a habitar as grandes metrópoles brasileiras a partir
da segunda metade do século XX não encontrava boas condições de moradia. Como no capitalismo a terra é uma
forma de mercadoria, os terrenos das grandes cidades sofriam com um alto grau de valorização, o que dificultava
a permanência das classes menos abastadas nas regiões centrais das cidades.
Essas pessoas não tinham outra opção a não ser procurar por moradia em zonas segregadas e afastadas
das regiões centrais, periferias que nasciam em função do crescimento desordenado do espaço urbano. Somamse a isso os processos de favelização e de condição de rua de boa parte dessa população.
Apesar de a maior parte dos habitantes das grandes cidades residir em zonas periféricas e afastadas, era
nas zonas nobres e centrais que as principais ofertas de emprego concentravam-se. Isso porque essas regiões
historicamente concentraram os investimentos públicos e privados em infraestrutura e serviços, revelando uma
contradição inerente ao capital.
Os trabalhadores, portanto, passavam a ter de se deslocar grandes distâncias de suas moradias até os
seus locais de trabalho ou para ter acesso a determinados tipos de serviços, como hospitais, escolas, entre
outros. E, para isso, precisavam de transporte.
No entanto, não houve nenhum tipo de preocupação das administrações públicas municipais, estaduais e
federal em empreender uma política de massificação e melhoria dos transportes coletivos urbanos. Pelo contrário,
o que se viu foi uma política de municipalização – oficializada na Constituição de 1988 – que descentralizou as
ações e deixou a qualidade dos serviços à mercê das prefeituras das cidades. Além disso, praticamente todos os
municípios terceirizavam o serviço para empresas privadas que, buscando o máximo lucro, realizavam o serviço
de forma a gastar o mínimo possível.
Nos últimos anos, ao passo da ineficiência do sistema público de transporte, houve incentivos do governo
federal em aumentar o consumo de carros populares, o que não foi acompanhado por uma política de mobilidade
urbana. Com isso, além de ônibus lotados, assistiu-se também a trânsitos congestionados mesmo em cidades
com número de habitantes relativamente baixo.
FONTE: http://www.brasilescola.com/geografia/problemas-no-transporte-publico
QiD 3 – 2ª SÉRIE – PARTE 1 – REDAÇÃO
TEXTO II
O dilema da sociedade brasileira
"País desenvolvido não é aquele onde pobre anda de carro, mas aquele em que rico anda de transporte
público". A frase simboliza muito bem o dilema que a sociedade brasileira enfrenta: nos últimos dez anos o
número de carros em circulação aumentou 110%, enquanto a população cresceu 12%. O tema da mobilidade
urbana foi jogado ao centro da discussão durante as manifestações do ano passado.
Como eu me locomovo dentro do espaço urbano? Quanto tempo eu demoro para chegar aos lugares que
preciso ir? Quanto custa ir de casa até a escola? E, o mais importante, como podem ser resolvidos os problemas
de mobilidade na região em que moro? Ao contrário de temas que às vezes parecem meio distantes do cotidiano
do jovem, estas questões atingem todas as camadas da população.
FONTE: www.epoca.com.br, 17 de julho de 2013.
TEXTO III
"Conscientização é melhor que aumento nos impostos"
Medidas como a implementação do passe livre ou a redução no valor das passagens acarretam em
despesas que mexem com toda a sociedade. O aumento nos impostos, necessário para projetos do tipo, é
comumente criticado por quem se opõe a uma dependência cada vez maior da administração governamental. A
proposta de passe livre para os 120 mil estudantes da região metropolitana e Goiânia (GO), por exemplo, deve
custar R$ 3,2 milhões por mês aos cofres públicos: metade para o governo do Estado e metade para os
municípios.
Para parte da população, a saída para os problemas de mobilidade está nos investimentos em educação
no trânsito. É comum ver um mar de carros parados num engarrafamento, cada um ocupado por uma única
pessoa – você já parou para pensar em como isso dificulta ainda mais o deslocamento pelas ruas da cidade?
Outra questão é o incentivo ao uso de bicicletas, que não exige muitos gastos públicos além das ciclovias e
políticas de incentivo ao uso delas. Por fim, a própria noção de acessibilidade para pessoas com deficiências
físicas, idosos ou gestantes, por exemplo, faz parte de uma reeducação que busca o acesso mais igualitário à
cidade.
FONTE: www.diariocatarinense.com.br
PROPOSTA DE REDAÇÃO
A partir da leitura da coletânea e dos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija uma
dissertação argumentativa sobre o seguinte tema:
TRANSPORTE PÚBLICO NO BRASIL: É POSSÍVEL RESOLVER?
Em sua conclusão, faça um resumo das principais ideias defendidas ao longo do texto e apresente uma proposta
de ação social que respeite os direitos humanos.
INSTRUÇÕES:
•
•
•
•
•
•
ESCREVA entre 20 e 30 linhas, organizadas em parágrafos;
APRESENTE estrutura argumentativa completa: introdução, desenvolvimento e conclusão.
EMPREGUE uma linguagem formal e objetiva;
CRIE um título interessante para o seu texto;
ORGANIZE seu texto em uma folha de rascunho;
PASSE seu texto a limpo na folha-resposta usando caneta de cor AZUL (escura) ou PRETA.