BankSync - Sistema Info

Transcripción

BankSync - Sistema Info
87
Manual de configuração do
BankSync
Apresentação do Documento
O Manual do BankSync tem como objetivo explicar aos usuários do sistema, os pontos
principais no que diz respeito à instalação, configuração e conhecimentos relacionados a área e
usabilidade do software.
Inicialmente é feita uma introdução sobre o que é o BankSync, sua história, seus objetivos e
algumas particularidades que o software possui. Para auxiliar no entendimento do produto, é
também explicado nesta sessão um pouco sobre o processo de comunicação bancária.
Na sequência, é demonstrado como é feita a instalação do software, desde seu download no site
da Sistema Info, passando pelo registro do add-on no SBO1 e atribuindo uma licença para os
usuários do SBO.
Uma vez feita à instalação, o manual traz as configurações que devem ser feitas, tanto em telas
do SBO quanto do próprio BankSync. Esta configuração acontece de maneira sequencial e seguila é recomendável.
Quando encerradas as configurações, inicia-se a apresentação dos processos realizados
pelo BankSync. Nesta sessão são demonstradas as telas e é explicado em mais detalhes alguns
filtros e funcionalidades do add-on.
Feita a apresentação dos processos, são demonstradas algumas telas que permitem um
controle administrativo dos boletos e transferências geradas pelo BankSync.
1
SBO: SAP Business One
2
Sumário
1. Introdução ao BankSync _________________________________________________________ 15
2. Comunicação bancária ___________________________________________________________ 16
2.1.
Boletos _____________________________________________________________________________ 16
2.2.
Débito automático ___________________________________________________________________ 17
2.3.
Transferências ______________________________________________________________________ 17
3. Instalação _______________________________________________________________________ 18
3.1.
Download do Software_______________________________________________________________ 18
3.2.
Registro do Add-On no SBO _________________________________________________________ 19
3.3.
Instalação do Add-On no SBO________________________________________________________ 20
3.4.
Primeira execução do BankSync _____________________________________________________ 23
3.4.1
3.4.2
3.4.3
3.5.
3.5.1
3.5.2
3.6.
Senha para o banco de dados _____________________________________________________________ 23
Dados padrões das tabelas do BankSync __________________________________________________ 24
Chave de ativação ________________________________________________________________________ 24
Licenças para Add-Ons da SAP ______________________________________________________ 25
Adquirindo uma licença ___________________________________________________________________ 26
Atribuindo as licenças ____________________________________________________________________ 26
Configurando usuários do BankSync no SBO _________________________________________ 26
4. Comunicação bancária dentro do SAP Business One _______________________________ 28
4.1.
Boletos _____________________________________________________________________________ 28
4.2.
Boletos de Contas a Receber ________________________________________________________ 29
4.2.1
4.2.2
4.2.3
4.2.4
4.2.5
4.2.6
4.3.
4.3.1
4.3.2
4.3.3
4.4.
Enviado __________________________________________________________________________________ 29
Gerado ___________________________________________________________________________________ 29
Depositado _______________________________________________________________________________ 30
Pago _____________________________________________________________________________________ 30
Cancelado________________________________________________________________________________ 31
Sem êxito ________________________________________________________________________________ 31
Boletos de Contas a Pagar ___________________________________________________________ 32
Gerado ___________________________________________________________________________________ 33
Pago _____________________________________________________________________________________ 33
Cancelado________________________________________________________________________________ 33
Transferências ______________________________________________________________________ 33
5. Informações técnicas ____________________________________________________________ 34
5.1.
Tecnologia _________________________________________________________________________ 34
5.2.
Conexão Remota ____________________________________________________________________ 35
3
5.3.
Suporte Técnico ____________________________________________________________________ 35
5.4.
Ajuda ______________________________________________________________________________ 36
6. Configurações ___________________________________________________________________ 39
6.1.
Telas do SAP Business One _________________________________________________________ 40
6.1.1
6.1.2
6.1.3
6.1.4
6.1.4.1
6.2.
Detalhes da empresa _____________________________________________________________________ 40
Configurações gerais _____________________________________________________________________ 42
Contas bancárias da empresa _____________________________________________________________ 43
Formas de pagamento ____________________________________________________________________ 46
Parâmetros BankSync ____________________________________________________________________ 51
Telas do BankSync __________________________________________________________________ 54
6.2.1
6.2.2
6.2.2.1
6.2.2.2
6.2.2.3
6.2.2.5
6.2.3
6.2.3.1
6.2.3.2
6.2.3.3
6.2.4
6.2.4.1
6.2.4.2
6.2.4.3
6.2.4.4
6.2.4.5
6.2.5
6.2.5.1
6.2.5.2
6.2.6
6.2.6.1
6.2.6.2
6.2.6.3
6.2.6.4
Configuração do BankSync _______________________________________________________________ 54
Leiaute de Nomenclatura __________________________________________________________________ 59
Nomenclatura de Remessa ________________________________________________________________ 60
Nomenclatura do assunto de E-Mail _______________________________________________________ 64
Nomenclatura do boleto - Nome do arquivo PDF ___________________________________________ 66
Nomenclatura do boleto – Observação do LCM _____________________________________________ 68
Leiaute de Arquivo de Remessa ___________________________________________________________ 69
Definição do Leiaute ______________________________________________________________________ 69
Definição do Registro _____________________________________________________________________ 73
Definição do Campo ______________________________________________________________________ 75
Leiaute de Arquivo de Retorno ____________________________________________________________ 86
Aba Identificação _________________________________________________________________________ 88
Ocorrências ______________________________________________________________________________ 92
Cobrança ________________________________________________________________________________ 97
Erros ____________________________________________________________________________________ 99
Validação Boletos _______________________________________________________________________ 100
Leiaute de Extrato Bancário (CNAB) ______________________________________________________ 102
Identificação ____________________________________________________________________________ 103
Serviço _________________________________________________________________________________ 107
Leiaute de DDA __________________________________________________________________________ 109
Identificação ____________________________________________________________________________ 109
Ocorrência ______________________________________________________________________________ 111
Validação _______________________________________________________________________________ 112
Código de Barras ________________________________________________________________________ 112
7. Processos do BankSync_________________________________________________________ 116
7.1.
Processo de remessas _____________________________________________________________ 116
7.1.1
7.1.2
7.1.3
7.1.4
7.1.5
7.1.6
7.1.7
7.1.8
7.2.
Criando títulos no SBO __________________________________________________________________ 116
Criando uma nota fiscal __________________________________________________________________ 116
Gerando um título _______________________________________________________________________ 117
Geração da remessa _____________________________________________________________________ 120
Apresentação do assistente ______________________________________________________________ 120
Filtros ___________________________________________________________________________________ 120
Escolha dos títulos ______________________________________________________________________ 124
Resultados ______________________________________________________________________________ 125
Importação do arquivo de retorno ___________________________________________________ 126
4
7.2.1
7.2.1.1
7.2.1.3
7.2.1.4
7.2.2
7.3.
Importação do extrato bancário CNAB _______________________________________________ 139
Filtragem ________________________________________________________________________________ 139
Escolha das linhas de extrato ____________________________________________________________ 141
Resultados ______________________________________________________________________________ 144
7.3.1
7.3.2
7.3.3
7.4.
Administração e importação de boletos por DDA _____________________________________ 145
Importação do arquivo de DDA ___________________________________________________________ 145
Administração de boletos por DDA _______________________________________________________ 148
7.4.1
7.4.2
7.5.
Transferências Bancárias ___________________________________________________________ 149
7.5.1
7.5.1.1
7.5.1.2
7.5.2
7.6.
7.6.1
7.6.2
7.6.3
7.7.
7.7.1
7.7.2
7.7.3
7.7.4
7.7.5
Assistente de importação ________________________________________________________________ 127
Filtragem ________________________________________________________________________________ 127
Escolha dos títulos ______________________________________________________________________ 130
Resultados ______________________________________________________________________________ 137
Reconciliação dos boletos _______________________________________________________________ 138
Administração e pagamento de transferências bancárias __________________________________ 150
Pagamento das transferências ___________________________________________________________ 150
Administração das transferências ________________________________________________________ 158
Transferências Entre Contas _____________________________________________________________ 161
Administração de Cartão de Crédito _________________________________________________ 162
Parametrizações iniciais _________________________________________________________________ 162
Processo ________________________________________________________________________________ 169
Reconciliação de Cartão de Crédito _______________________________________________________ 174
Pagamento de Tributos _____________________________________________________________ 177
Configuração de pagamento de tributos __________________________________________________ 177
Configuração de pagamento de tributos – Detalhes________________________________________ 178
Pagamento de tributos ___________________________________________________________________ 180
Geração do Contas a pagar ______________________________________________________________ 184
Exportação de Arquivo de Remessa ______________________________________________________ 184
8. Databases ______________________________________________________________________ 187
8.1.
Databases – Boleto _________________________________________________________________ 188
8.2.
Databases – Cálculo ________________________________________________________________ 190
8.3.
Databases – Cedente _______________________________________________________________ 191
8.4.
Databases – Contas a Pagar ________________________________________________________ 192
8.5.
Databases – Documento ____________________________________________________________ 192
8.6.
Databases - Extra __________________________________________________________________ 193
8.7.
Databases – Forma de Pagamento___________________________________________________ 194
8.8.
Databases - Leiaute ________________________________________________________________ 197
8.9.
Databases – DDA___________________________________________________________________ 198
8.10.
Databases – PN __________________________________________________________________ 198
8.11.
Databases - Transferência ________________________________________________________ 201
5
Databases – Tributos _____________________________________________________________ 203
8.12.
9. DLL - Dynamic-Link Library ______________________________________________________ 205
9.1.
Código de Barras e Linha Digitável __________________________________________________ 208
9.2.
Configurações das DLLs no SAP Business One ______________________________________ 210
9.3.
Particularidades das DLLs __________________________________________________________ 212
9.3.1
9.3.2
9.3.3
9.3.4
9.3.5
9.3.6
9.3.7
9.3.8
9.3.9
9.3.10
9.3.11
9.3.12
9.3.13
9.3.14
9.3.15
9.3.16
9.3.17
9.3.18
9.3.19
9.3.20
9.3.21
9.3.22
9.3.23
9.3.24
9.3.25
10.
Banco ABC ______________________________________________________________________________ 213
Banco América __________________________________________________________________________ 213
Banco Banrisul __________________________________________________________________________ 214
Banco Bancoob _________________________________________________________________________ 214
Banco Bradesco _________________________________________________________________________ 215
Banco do Brasil _________________________________________________________________________ 215
Banco CitiBank __________________________________________________________________________ 217
Banco Fibra _____________________________________________________________________________ 217
Banco Caixa Econômica Federal _________________________________________________________ 218
Banco HSBC ____________________________________________________________________________ 220
Banco Itaú ______________________________________________________________________________ 221
Banco Mercantil _________________________________________________________________________ 222
Banco Nordeste _________________________________________________________________________ 222
Banco Pine ______________________________________________________________________________ 223
Banco Safra _____________________________________________________________________________ 223
Banco Safra (Bradesco Correspondente) _________________________________________________ 224
Banco Santander ________________________________________________________________________ 224
Banco Sicoob (Correspondente Banco do Brasil) __________________________________________ 225
Banco Sicredi ___________________________________________________________________________ 225
Banco Sofisa ____________________________________________________________________________ 226
Banco BicBanco _________________________________________________________________________ 226
Banco BicBanco (Correspondente Bradesco) _____________________________________________ 227
Banco Sofisa (Correspondente) __________________________________________________________ 227
Dummy _________________________________________________________________________________ 228
Particularidade com o DV do Nosso Número ______________________________________________ 228
Funcionalidades ______________________________________________________________ 229
10.1.
10.1.1
10.1.2
10.2.
10.2.1
10.2.2
OneShare ________________________________________________________________________ 229
Exportação de leiautes ___________________________________________________________________ 230
Importação de leiautes ___________________________________________________________________ 232
Consulta ao SERASA _____________________________________________________________ 237
Configuração da consulta SERASA _______________________________________________________ 237
Utilização da consulta SERASA __________________________________________________________ 239
10.3.
Backup periódico dos leiautes ____________________________________________________ 242
10.4.
Geração e impressão de boletos __________________________________________________ 245
10.5.
Processamento de boletos ________________________________________________________ 252
10.5.1
Geração de boletos em lote _______________________________________________________ 252
10.5.2
Envio e Impressão de boletos em lote _____________________________________________ 255
6
10.5.2.1
Configuração para envio de Boletos _____________________________________________ 255
10.5.2.2
Processo de Envio e Impressão em lote _________________________________________ 258
10.6.
Leiaute de impressão de boletos __________________________________________________ 261
10.7.
Compensação de Cheques________________________________________________________ 262
10.7.1
10.7.2
11.
Configurações ___________________________________________________________________________ 262
Processo e Contabilização _______________________________________________________________ 262
Relatórios BankSync __________________________________________________________ 265
11.1.1
Relatório de títulos importados ___________________________________________________________ 265
7
Índice de Figuras
FIGURA 1: REGISTRANDO O ADD-ON NO SBO .................................................................................................................................. 19
FIGURA 2: CONFIGURAÇÃO DE INICIALIZAÇÃO DO ADD-ON ............................................................................................................ 20
FIGURA 3: INÍCIO DA INSTALAÇÃO DO ADD-ON NO SOB.................................................................................................................. 21
FIGURA 4: INSTALAÇÃO – INFORMAÇÕES DO USUÁRIO .................................................................................................................. 22
FIGURA 5: INSTALAÇÃO – CAMINHO DA INSTALAÇÃO ..................................................................................................................... 22
FIGURA 6: ATUALIZAÇÃO DA ESTRUTURA DA BASE DE DADOS ........................................................................................................ 23
FIGURA 7: REQUISITANDO A SENHA DO BANCO DE DADOS ............................................................................................................ 24
FIGURA 8: AVISO ANTES DE POVOAR AS TABELAS DO ADD-ON ....................................................................................................... 24
FIGURA 9: CHAVE DE ATIVAÇÃO ....................................................................................................................................................... 25
FIGURA 10: SELECIONANDO LICENÇA PARA UM USUÁRIO .............................................................................................................. 26
FIGURA 11: AUTORIZAÇÕES GERAIS POR USUÁRIO.......................................................................................................................... 27
FIGURA 12: ADMINISTRAÇÃO DE BOLETOS ...................................................................................................................................... 28
FIGURA 13: STATUS DO BOLETO DE CONTAS A RECEBER ................................................................................................................. 29
FIGURA 14: ADMINISTRAÇÃO DE BOLETOS – RECONCILIADA E N° DA RECONCILIAÇÃO EXTERNA .................................................. 31
FIGURA 15: STATUS DOS BOLETOS DE CONTAS A PAGAR ................................................................................................................ 32
FIGURA 16: STATUS DAS TRANSFERÊNCIAS DO BANKSYNC.............................................................................................................. 34
FIGURA 17: TELA SOBRE BANKSYNC ................................................................................................................................................. 36
FIGURA 18: TELA DE ATUALIZAÇÕES DO BANKSYNC ........................................................................................................................ 37
FIGURA 19: TELA DE ACESSO A FAQS E MANUAIS DO BANKSYNC .................................................................................................... 37
FIGURA 20: TELA DE ACESSO AO SUPORTE TÉCNICO DO BANKSYNC ............................................................................................... 38
FIGURA 21: TELA DO SITE DA SISTEMA INFO – DOWNLOADS .......................................................................................................... 38
FIGURA 22: TELA DE ATIVAÇÃO DO BANKSYNC ................................................................................................................................ 39
FIGURA 23: DETALHES DA EMPRESA ................................................................................................................................................ 40
FIGURA 24: EXEMPLO DE MAIS DE UMA BASE NO SOB.................................................................................................................... 41
FIGURA 25: CONFIGURAÇÕES GERAIS .............................................................................................................................................. 42
FIGURA 26: CONTAS BANCÁRIAS DA EMPRESA ................................................................................................................................ 43
FIGURA 27: FORMA DE PAGAMENTO ............................................................................................................................................... 46
FIGURA 28: ESCOLHA DA CONTA BANCÁRIA DA EMPRESA .............................................................................................................. 47
FIGURA 29: PROPRIEDADES DO BOLETO .......................................................................................................................................... 48
FIGURA 30: LISTA DE CARTEIRAS ...................................................................................................................................................... 49
FIGURA 31: CADASTRAR CARTEIRA ................................................................................................................................................... 49
FIGURA 32: OPÇÃO PARA APROVAÇÃO ............................................................................................................................................ 50
FIGURA 33: ESCOLHER UMA DLL ...................................................................................................................................................... 50
FIGURA 34: CAMINHO PARA INSERIR A DLL ..................................................................................................................................... 50
FIGURA 35: PARÂMETROS DO BANKSYNC – CONFIGURAÇÃO.......................................................................................................... 51
FIGURA 36: PARÂMETROS DO BANKSYNC – CONTABILIDADE .......................................................................................................... 52
FIGURA 37: PARÂMETROS DO BANKSYNC – CÓDIGO CIRT ............................................................................................................... 53
FIGURA 38: CONFIGURAÇÃO BANKSYNC – ABA CONTABILIZAÇÃO .................................................................................................. 54
FIGURA 39: CONTAS BANCÁRIAS DA EMPRESA – CONFIGURAÇÃO DAS CONTAS ............................................................................ 55
FIGURA 40: LANÇAMENTO CONTÁBIL MANUAL – LANÇAMENTOS EXTRAS ..................................................................................... 56
FIGURA 41: CONFIGURAÇÃO DO BANKSYNC – ABA PROCESSAMENTO ........................................................................................... 58
FIGURA 42: CONFIGURAÇÃO DO BANKSYNC – ABA OUTROS ........................................................................................................... 58
FIGURA 43: LEIAUTE DE NOMENCLATURA – NOMENCLATURA DE REMESSA .................................................................................. 60
FIGURA 44: LEIAUTE DE NOMENCLATURA – NOMENCLATURA DE REMESSA .................................................................................. 61
FIGURA 45: GRADE PARA DEFINIÇÕES DO LEIAUTE DE NOMENCLATURA ....................................................................................... 62
FIGURA 46: MODELO DE EXEMPLO .................................................................................................................................................. 64
8
FIGURA 47: LEIAUTE DE NOMENCLATURA – NOMENCLATURA DO ASSUNTO DO E-MAIL ............................................................... 65
FIGURA 48: LEIAUTE DE NOMENCLATURA – NOME DO ARQUIVO PDF............................................................................................ 66
FIGURA 49: LEIAUTE DE NOMENCLATURA – CORPO DO E-MAIL ...................................................................................................... 67
FIGURA 50: LEIAUTE DE NOMENCLATURA – OBSERVAÇÃO DO LCM ............................................................................................... 68
FIGURA 51: LEIAUTE DE ARQUIVO DE REMESSA .............................................................................................................................. 70
FIGURA 52: LEIAUTE DE REMESSA – GRADE DE REGISTROS ............................................................................................................. 72
FIGURA 53: LEIAUTE DE REMESSA – SETAS DE MOBILIDADE ........................................................................................................... 73
FIGURA 54 TELA DE DEFINIÇÃO DE REGISTRO .................................................................................................................................. 74
FIGURA 55: DEFINIÇÃO DO CAMPO TEXTO FIXO .............................................................................................................................. 76
FIGURA 56: CONFIGURAÇÃO DA POSIÇÃO PARA CÓDIGO DE BARRAS ............................................................................................ 77
FIGURA 57: DEFINIÇÃO DO CAMPO DATABASE ................................................................................................................................ 78
FIGURA 58: CONFIGURAÇÃO DA POSIÇÃO PARA CÓDIGO DE BARRAS ............................................................................................ 80
FIGURA 59: DEFINIÇÃO DO CAMPO CATEGORIA .............................................................................................................................. 80
FIGURA 60: CONFIGURAÇÃO DA POSIÇÃO PARA CÓDIGO DE BARRAS ............................................................................................ 82
FIGURA 61: CONFIGURAÇÃO DA COLUNA CONDIÇÃO E VALOR....................................................................................................... 83
FIGURA 62: DEFINIÇÃO DO CAMPO SQL SELECT............................................................................................................................... 84
FIGURA 63: CONFIGURAÇÃO DA POSIÇÃO PARA CÓDIGO DE BARRAS ............................................................................................ 85
FIGURA 64: LEIAUTE DE ARQUIVO DE RETORNO .............................................................................................................................. 87
FIGURA 65: LEIAUTE DE ARQUIVO DE RETORNO, CABEÇALHO ........................................................................................................ 88
FIGURA 66: ARQUIVO DE RETORNO ................................................................................................................................................. 88
FIGURA 67: LEIAUTE DE ARQUIVO DE RETORNO TÍTULO ................................................................................................................. 89
FIGURA 68: ARQUIVO DE RETORNO ................................................................................................................................................. 89
FIGURA 69: DETALHES DA EMPRESA IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA ................................................................................................ 89
FIGURA 70: LEIAUTE DE ARQUIVO DE RETORNO IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO ....................................................................... 90
FIGURA 71: ARQUIVO DE RETORNO CHAVE ÚNICA .......................................................................................................................... 90
FIGURA 72: LEIAUTE DE ARQUIVO DE RETORNO - IDENTIFICAÇÃO ALTERNATIVA .......................................................................... 90
FIGURA 73: PREENCHIMENTO DO CAMPO NOSSO NÚMERO........................................................................................................... 91
FIGURA 74: IDENTIFICAÇÃO ESPECIAL .............................................................................................................................................. 91
FIGURA 75: LEIAUTE DE ARQUIVO DE RETORNO – OCORRÊNCIAS ................................................................................................... 92
FIGURA 76: CÓDIGOS DE OCORRÊNCIAS .......................................................................................................................................... 93
FIGURA 77: LEIAUTE DE RETORNO – CUSTOMIZAÇÃO DA OCORRÊNCIA ......................................................................................... 95
FIGURA 78: LEIAUTE DE RETORNO – CUSTOMIZAÇÃO DA AÇÃO ..................................................................................................... 95
FIGURA 79: LEIAUTE DE RETORNO – AJUDA NA CUSTOMIZAÇÃO .................................................................................................... 96
FIGURA 80: LEIAUTE DE RETORNO – BOTÃO SUB OCORRÊNCIAS .................................................................................................... 97
FIGURA 81: LEIAUTE DE ARQUIVO DE RETORNO - COBRANÇA ........................................................................................................ 98
FIGURA 82: TIPO DE COBRANÇA PADRÃO ........................................................................................................................................ 98
FIGURA 83: LEIAUTE DE ARQUIVO DE RETORNO ERRO .................................................................................................................... 99
FIGURA 84: OCORRÊNCIAS DE ERROS, MANUAL DO BANCO ......................................................................................................... 100
FIGURA 85: LEIAUTE DE ARQUIVO DE RETORNO VALIDAÇÃO ........................................................................................................ 100
FIGURA 86: LEIAUTE DE ARQUIVO DE EXTRATO CNAB ................................................................................................................... 102
FIGURA 87: LEIAUTE DE EXTRATO BANCÁRIO CNAB REGISTRO / IDENTIFICAÇÃO ......................................................................... 103
FIGURA 88: EXTRATO BANCÁRIO CNAB .......................................................................................................................................... 103
FIGURA 89: FORMATO DE VALOR ................................................................................................................................................... 106
FIGURA 90: FORMATO DE TIPO DE LANÇAMENTO ......................................................................................................................... 106
FIGURA 91: TELA DA ABA SERVIÇOS ............................................................................................................................................... 108
FIGURA 92: CADASTRO DE CÓDIGOS E DESCRIÇÕES PARA SERVIÇOS DE EXTRATO BANCÁRIO ..................................................... 109
FIGURA 93: LEIAUTE DE DDA – OCORRÊNCIA ................................................................................................................................. 110
FIGURA 94: LEIAUTE DE DDA – OCORRÊNCIAS ............................................................................................................................... 111
FIGURA 95: LEIAUTE DE DDA – VALIDAÇÃO .................................................................................................................................... 112
9
FIGURA 96: LEIAUTE DE DDA – CÓDIGO DE BARRAS ...................................................................................................................... 113
FIGURA 97: NOTA FISCAL DE SAÍDA ................................................................................................................................................ 117
FIGURA 98: LCM DA NOTA FISCAL DE SAÍDA .................................................................................................................................. 117
FIGURA 99: CONTAS A RECEBER ..................................................................................................................................................... 118
FIGURA 100: TELA DE MEIO DE PAGAMENTO ................................................................................................................................ 119
FIGURA 101: ASSISTENTE DE EXPORTAÇÃO - APRESENTAÇÃO ....................................................................................................... 120
FIGURA 102: CONFIGURAÇÃO DO TIPO DE DOCUMENTO ............................................................................................................. 121
FIGURA 103: CONFIGURAÇÃO DO FILTRO DE DATA ....................................................................................................................... 121
FIGURA 104: CONFIGURAÇÃO DO FILTRO DE STATUS DO DOCUMENTO ....................................................................................... 121
FIGURA 105: CONFIGURAÇÃO DO FILTRO DE PAGAMENTO .......................................................................................................... 121
FIGURA 106: CONFIGURAÇÃO DO FILTRO SITUAÇÃO DO DOCUMENTO ........................................................................................ 122
FIGURA 107: CONFIGURAÇÃO DO FILTRO DE FORMA DE PAGAMENTO ........................................................................................ 122
FIGURA 108: CONFIGURAÇÃO DO FILTRO FILIAL ............................................................................................................................ 122
FIGURA 109: CONFIGURAÇÃO DO FILTRO TIPO DE TRANSAÇÃO ................................................................................................... 123
FIGURA 110: CONFIGURAÇÃO DO FILTRO DE CONTAS A PAGAR ................................................................................................... 123
FIGURA 111: ALERTA ....................................................................................................................................................................... 123
FIGURA 112: ASSISTENTE DE EXPORTAÇÃO - ESCOLHA DOS TÍTULOS............................................................................................ 124
FIGURA 113: ASSISTENTE DE EXPORTAÇÃO – RESULTADOS ........................................................................................................... 125
FIGURA 114: ASSISTENTE DE IMPORTAÇÃO - APRESENTAÇÃO ...................................................................................................... 126
FIGURA 115: ASSISTENTE DE IMPORTAÇÃO DE ARQUIVO – FILTRAGEM ....................................................................................... 127
FIGURA 116: ASSISTENTE DE IMPORTAÇÃO DE ARQUIVO DE RETORNO - CONFLITOS .................................................................. 129
FIGURA 117: RESOLUÇÃO DE CONFLITO ENTRE BOLETOS.............................................................................................................. 130
FIGURA 118: ASSISTENTE DE IMPORTAÇÃO DE ARQUIVO DE RETORNO – CAMPOS DO LEIAUTE ................................................. 130
FIGURA 119: ASSISTENTE DE IMPORTAÇÃO DE ARQUIVO DE RETORNO – ABA AUTOMÁTICA...................................................... 131
FIGURA 120: CONFIGURAÇÃO DO TIPO DE COBRANÇA ................................................................................................................. 131
FIGURA 121: CONTA CONTÁBIL – PARCEIRO DE NEGÓCIOS ........................................................................................................... 132
FIGURA 122: CONTA CONTÁBIL – CONTAS BANCÁRIAS DA EMPRESA ........................................................................................... 132
FIGURA 123: ASSISTENTE DE IMPORTAÇÃO DE ARQUIVO DE RETORNO – COLUNAS DE VALORES ............................................... 133
FIGURA 124: ASSISTENTE DE IMPORTAÇÃO – TELA DE RESULTADOS DA IMPORTAÇÃO DO ARQUIVO ......................................... 134
FIGURA 125: BOLETO – OCORRÊNCIAS ........................................................................................................................................... 134
FIGURA 126: STATUS DUPLICADO................................................................................................................................................... 135
FIGURA 127: OCORRÊNCIA NAS COLUNAS MOTIVO E INFORMAÇÕES ADICIONAIS ...................................................................... 136
FIGURA 128: ASSISTENTE DE IMPORTAÇÃO ABA MANUAL ............................................................................................................ 136
FIGURA 129: ASSISTENTE DE IMPORTAÇÃO – ABA NÃO IDENTIFICADO ........................................................................................ 137
FIGURA 130: ASSISTENTE DE IMPORTAÇÃO – RESULTADOS .......................................................................................................... 138
FIGURA 131: ASSISTENTE PARA EXTRATOS CNAB - APRESENTAÇÃO.............................................................................................. 139
FIGURA 132: ASSISTENTE PARA EXTRATOS CNAB - FILTRAGEM ..................................................................................................... 140
FIGURA 133: ASSISTENTE PARA EXTRATOS CNAB - AUTOMÁTICA ................................................................................................. 142
FIGURA 134: ASSISTENTE PARA EXTRATOS CNAB– MANUAL ......................................................................................................... 143
FIGURA 135: ASSISTENTE PARA EXTRATOS CNAB– NÃO-IDENTIFICADOS ...................................................................................... 143
FIGURA 136: ASSISTENTE PARA EXTRATOS CNAB – RESULTADOS.................................................................................................. 144
FIGURA 137: PROCESSAR EXTRATO BANCÁRIO EXTERNO .............................................................................................................. 145
FIGURA 138: BOLETOS POR DDA – APRESENTAÇÃO ....................................................................................................................... 146
FIGURA 139: BOLETOS POR DDA – PARAMETRIZAÇÃO .................................................................................................................. 147
FIGURA 140: BOLETOS POR DDA – IMPORTAÇÃO DO ARQUIVO .................................................................................................... 147
FIGURA 141: BOLETOS POR DDA – FILTRO DA ADMINISTRAÇÃO ................................................................................................... 148
FIGURA 142: BOLETOS POR DDA – ADMINISTRAÇÃO DE BOLETOS ................................................................................................ 149
FIGURA 143: TRANSFERÊNCIAS BANCÁRIAS – CONTA DE COMPENSAÇÃO .................................................................................... 151
FIGURA 144: TRANSFERÊNCIAS BANCÁRIAS – MEIO DE PAGAMENTO .......................................................................................... 152
10
FIGURA 145: ASSISTENTE DE PAGAMENTO PARA TRANSFERÊNCIAS – FILTROS ............................................................................ 152
FIGURA 146: ASSISTENTE DE PAGAMENTO PARA TRANSFERÊNCIAS – FORMA DE PAGAMENTO SUGERIDA ................................ 153
FIGURA 147: ASSISTENTE DE PAGAMENTO PARA TRANSFERÊNCIAS – PREENCHIMENTO DA FORMA DE PAGAMENTO .............. 154
FIGURA 148: PAGAMENTO PARA TRANSFERÊNCIAS – FORMA DE PAGAMENTO – EXPORTAR REMESSA APÓS GERAÇÃO ........... 154
FIGURA 149: ASSISTENTE DE PAGAMENTO PARA TRANSFERÊNCIAS – FORMA DE PAGAMENTO NÃO SUGERIDA ....................... 155
FIGURA 150: ASSISTENTE DE PAGAMENTO PARA TRANSFERÊNCIAS – SELEÇÃO DA FORMA DE PAGAMENTO ........................... 155
FIGURA 151: ASSISTENTE DE PAGAMENTO PARA TRANSFERÊNCIAS – ATUALIZAÇÃO DA FORMA DE PAGAMENTO .................... 155
FIGURA 152: ASSISTENTE DE PAGAMENTO PARA TRANSFERÊNCIAS – CAMPOS ADICIONAIS ....................................................... 156
FIGURA 153: ASSISTENTE DE PAGAMENTO PARA TRANSFERÊNCIAS ............................................................................................. 156
FIGURA 154: ASSISTENTE DE PARAMENTO PARA TRANSFERÊNCIAS ............................................................................................. 157
FIGURA 155: ADMINISTRAÇÃO DE TRANSFERÊNCIAS – FILTRO...................................................................................................... 158
FIGURA 156: ADMINISTRAÇÃO DE TRANSFERÊNCIAS – ADMINISTRAÇÃO ..................................................................................... 159
FIGURA 157: ASSISTENTE DE PAGAMENTO PARA TRANSFERÊNCIAS – PROCESSO ........................................................................ 160
FIGURA 158:TRANSFERÊNCIA ENTRE CONTAS ................................................................................................................................ 161
FIGURA 159:TRANSFERÊNCIA ENTRE CONTAS MÚLTIPLAS FILIAIS ................................................................................................. 162
FIGURA 160: CARTÃO DE CRÉDITO – PARÂMETROS ....................................................................................................................... 163
FIGURA 161: CARTÃO DE CRÉDITO – OPERADORA DE CARTÃO DE CRÉDITO ................................................................................. 163
FIGURA 162: CARTÃO DE CRÉDITO – IMPORTAÇÃO COM BANDEIRAS .......................................................................................... 164
FIGURA 163: CARTÃO DE CRÉDITO – LEIAUTE DE RETORNO (IDENTIFICAÇÃO).............................................................................. 164
FIGURA 164: CARTÃO DE CRÉDITO – ARQUIVO VANS .................................................................................................................... 167
FIGURA 165: CARTÃO DE CRÉDITO – IDENTIFICAÇÃO VANS .......................................................................................................... 167
FIGURA 166: CARTÃO DE CRÉDITO – FORMA DE PAGAMENTO ..................................................................................................... 168
FIGURA 167: CARTÃO DE CRÉDITO – IDENTIFICAÇÃO DE OCORRÊNCIAS ....................................................................................... 169
FIGURA 168: CARTÃO DE CRÉDITO – MEIO DE PAGAMENTO ......................................................................................................... 170
FIGURA 169: CARTÃO DE CRÉDITO – DEPÓSITO EM ABERTO ......................................................................................................... 170
FIGURA 170: CARTÃO DE CRÉDITO – IMPORTAÇÃO DO RETORNO ................................................................................................ 171
FIGURA 171: CARTÃO DE CRÉDITO – GRADE DE FORMA DE PAGAMENTO .................................................................................... 171
FIGURA 172: CARTÃO DE CRÉDITO – CAMPOS DE CONTA ............................................................................................................. 172
FIGURA 173: CARTÃO DE CRÉDITO – IMPORTAÇÃO DO RETORNO (IDENTIFICAÇÃO) .................................................................... 172
FIGURA 174: CARTÃO DE CRÉDITO – ADMINISTRADOR ................................................................................................................. 173
FIGURA 175: CARTÃO DE CRÉDITO – MENSAGEM DE VÍNCULO ..................................................................................................... 173
FIGURA 176: RECONCILIAÇÃO DE CARTÃO DE CRÉDITO................................................................................................................. 175
FIGURA 177: CANCELAMENTO DE COMPROVANTES ...................................................................................................................... 176
FIGURA 178: PAGAMENTO DE TRIBUTOS –CONFIGURAÇÃO DE TRIBUTOS ................................................................................... 177
FIGURA 179: PAGAMENTO DE TRIBUTOS – CONFIGURAÇÃO DE CAMPOS .................................................................................... 178
FIGURA 180: PAGAMENTO DE TRIBUTOS – NOME DE CAMPO E TABELA ...................................................................................... 179
FIGURA 181: PAGAMENTO DE TRIBUTOS – ALTERAÇÃO DA COLUNA ............................................................................................ 179
FIGURA 182: PAGAMENTO DE TRIBUTOS – CONFIGURAÇÃO DA FORMA DE PAGAMENTO .......................................................... 180
FIGURA 183: PAGAMENTO DE TRIBUTOS – TELA PRINCIPAL .......................................................................................................... 181
FIGURA 184: PAGAMENTO DE TRIBUTOS – SELEÇÃO DE TRIBUTOS LCM ...................................................................................... 181
FIGURA 185: PAGAMENTO DE TRIBUTOS – LISTAGEM DOS LCMS ................................................................................................. 182
FIGURA 186: PAGAMENTO DE TRIBUTOS – SELEÇÃO DA FORMA DE PAGAMENTO ...................................................................... 182
FIGURA 187: PAGAMENTO DE TRIBUTOS – INSERIR LINHA DE LCM .............................................................................................. 182
FIGURA 188: CONTAS A PAGAR - TRIBUTOS ................................................................................................................................... 184
FIGURA 189: DEFINIÇÃO DO REGISTRO – DATABASE ..................................................................................................................... 185
FIGURA 190: DEFINIÇÃO DO REGISTRO – DATABASES ................................................................................................................... 187
FIGURA 191: DEFINIÇÃO DO CAMPO – BASE DE DADOS (DATABASES) .......................................................................................... 188
FIGURA 192: PROCESSO DE EXECUÇÃO DE UMA DLL ..................................................................................................................... 206
FIGURA 193: FLUXO DE CHAMADAS DO BUSINESS ONE ................................................................................................................ 207
11
FIGURA 194: MENSAGEM DE ERRO DA DLL. ................................................................................................................................... 207
FIGURA 195: CONFIGURAÇÃO DA FORMA DE PAGAMENTO .......................................................................................................... 211
FIGURA 196: CONFIGURAÇÕES ESPECÍFICAS DO BOLETO .............................................................................................................. 211
FIGURA 197: CAMINHO ONE SHARE ............................................................................................................................................... 230
FIGURA 198: TELA INICIAL DA EXPORTAÇÃO DE LEIAUTES ............................................................................................................. 231
FIGURA 199: TELA INFORMANDO O CAMINHO PARA SALVAR O ARQUIVO DE LEIAUTE ............................................................... 231
FIGURA 200: TELA DE SELEÇÃO DE LEIAUTES A SEREM EXPORTADOS ........................................................................................... 232
FIGURA 201: CAMINHO DO ONESHARE .......................................................................................................................................... 233
FIGURA 202: TELA INICIAL DE IMPORTAÇÃO DE LEIAUTES ............................................................................................................. 233
FIGURA 203: TELA QUE INFORMARÁ O CAMINHO ONDE FOI SALVO O ARQUIVO DE LEIAUTE ..................................................... 234
FIGURA 204: TELA DE SELEÇÃO DE LEIAUTES A SEREM IMPORTADOS ........................................................................................... 235
FIGURA 205: TELA DE CORREÇÃO DE INFORMAÇÕES REFERENTES AOS LEIAUTES A SEREM IMPORTADOS ................................. 235
FIGURA 206: TELA DE FINALIZAÇÃO DE IMPORTAÇÃO DE LEIAUTES.............................................................................................. 236
FIGURA 207: CAMINHO PARA ACESSO AS CONFIGURAÇÕES SERASA ............................................................................................ 237
FIGURA 208: CONFIGURAÇÕES SERASA – ABA CONFIGURAÇÕES .................................................................................................. 238
FIGURA 209: CONFIGURAÇÕES SERASA – ABA PERMISSÕES DE ACESSO ....................................................................................... 238
FIGURA 210: CONFIGURAÇÕES SERASA – ABA INFORMAÇÕES ...................................................................................................... 239
FIGURA 211: CONFIGURAÇÕES SERASA – ABA INFORMAÇÕES – CONSULTA DE SALDO ............................................................... 239
FIGURA 212: CONSULTAS SERASA .................................................................................................................................................. 240
FIGURA 213: CONSULTAS SERASA / NOVA CONSULTA SERASA ...................................................................................................... 241
FIGURA 214: TELA DE CONSULTA COMPLETA SERASA ................................................................................................................... 241
FIGURA 215:BOTÃO DE CONSULTAS SERASA ................................................................................................................................. 242
FIGURA 216: PAINEL DE CONTROLE – BOTÃO BACKUP .................................................................................................................. 243
FIGURA 217: PAINEL DE CONTROLE – CAMINHO DO BACKUP ....................................................................................................... 243
FIGURA 218: MENU B1 – CONFIGURAÇÕES DE BACKUP DE LEIAUTES ........................................................................................... 244
FIGURA 219: GERADOR DE CONSULTAS - TABELA DE BACKUPS ..................................................................................................... 244
FIGURA 220: IMPRESSÃO DE BOLETOS – PAINEL DE CONTROLE .................................................................................................... 245
FIGURA 221: IMPRESSÃO DE BOLETOS – REGISTRO DE RELATÓRIOS ............................................................................................. 246
FIGURA 222: IMPRESSÃO DE BOLETOS – BOTÃO “GERAR BOLETO” .............................................................................................. 247
FIGURA 223: IMPRESSÃO DE BOLETOS – FORMA DE PAGAMENTO PARCEIRO DE NEGÓCIOS....................................................... 248
FIGURA 224: IMPRESSÃO DE BOLETOS – FORMA DE PAGAMENTO DA NF .................................................................................... 248
FIGURA 225: IMPRESSÃO DE BOLETOS – BOLETO IMPRESSO......................................................................................................... 249
FIGURA 226: IMPRESSÃO DE BOLETOS – CONTAS A RECEBER ....................................................................................................... 250
FIGURA 227: IMPRESSÃO DE BOLETO – IMPRIMIR BOLETO NO CR ................................................................................................ 251
FIGURA 228: IMPRESSÃO DE BOLETO – SELEÇÃO DE LEIAUTES ..................................................................................................... 251
FIGURA 229: GERAÇÃO DE BOLETOS EM LOTE - FILTROS ............................................................................................................... 252
FIGURA 230: GERAÇÃO DE BOLETOS EM LOTE – TELA PRINCIPAL ................................................................................................. 254
FIGURA 231: GERAÇÃO DE BOLETOS EM LOTE – SELEÇÃO DA FP .................................................................................................. 254
FIGURA 232: GERAÇÃO DE BOLETOS EM LOTE – MENSAGEM DE SUCESSO .................................................................................. 254
FIGURA 233: GERAÇÃO DE BOLETOS EM LOTE – IMPRESSÃO DOS BOLETOS................................................................................. 255
FIGURA 234: ENVIO E IMPRESSÃO - CONFIGURAÇÕES ................................................................................................................... 256
FIGURA 235: ENVIO E IMPRESSÃO - FILTRO .................................................................................................................................... 258
FIGURA 236: ENVIO E IMPRESSÃO – TELA PRINCIPAL .................................................................................................................... 260
FIGURA 237: IMPRESSÃO DE BOLETOS – CAMPOS ......................................................................................................................... 261
FIGURA 238:COMPENSAÇÃO DE CHEQUES – CONTA CONTÁBIL .................................................................................................... 262
FIGURA 239: COMPENSAÇÃO DE CHEQUE – LCM BUSINESS ONE .................................................................................................. 262
FIGURA 240: COMPENSAÇÃO DE CHEQUES – LCM BANKSYNC ...................................................................................................... 263
FIGURA 241: COMPENSAÇÃO DE CHEQUES – FILTRO..................................................................................................................... 263
FIGURA 242: COMPENSAÇÃO DE CHEQUES – TELA DE RECONCILIAÇÃO ....................................................................................... 264
12
FIGURA 243: COMPENSAÇÃO DE CHEQUES – RECONCILIAÇÃO ..................................................................................................... 264
FIGURA 244: COMPENSAÇÃO DE CHEQUES – LCM COMPENSAÇÃO .............................................................................................. 264
FIGURA 245: RELATÓRIO BANKSYNC - FILTROS .............................................................................................................................. 265
FIGURA 246: RELATÓRIO BANKSYNC - TÍTULOS IMPORTADOS ...................................................................................................... 266
13
Índice de Tabelas
TABELA 1: AUTORIZAÇÕES PARA USUÁRIOS DO BANKSYNC ............................................................................................................ 27
TABELA 2: CHAVES DOS BOLETOS DAS EMPRESAS DO GRUPO ALGODÃO S.A ................................................................................. 42
TABELA 3: DATABASE TRIBUTOS ..................................................................................................................................................... 186
TABELA 4: DATABASE TRIBUTOS – RODAPÉ.................................................................................................................................... 186
TABELA 5: ESTRUTURA DOS DADOS DO CÓDIGO DE BARRAS ........................................................................................................ 208
TABELA 6: EXEMPLO DE PREENCHIMENTO DOS CAMPOS LIVRES .................................................................................................. 209
TABELA 7: FORMATAÇÃO DOS DADOS DA LINHA DIGITÁVEL ......................................................................................................... 209
TABELA 8: CAMPOS DA TABELA CONTAS BANCÁRIAS DA EMPRESA .............................................................................................. 210
TABELA 9: CAMPOS DA TABELA FORMAS DE PAGAMENTO ........................................................................................................... 210
14
1. Introdução ao BankSync
O BankSync é uma solução projetada para atender a complexidade dos serviços de
pagamentos e cobrança executados pelos Bancos que integram o Sistema Bancário Brasileiro,
totalmente integrado ao produto SAP Business One™ e é a única solução homologada para este
fim, fornecendo os dados para geração dos arquivos de comunicação bancária e registro das
ocorrências.
O BankSync possui as seguintes funcionalidades:

Criar leiautes dinâmicos de remessa e retorno no padrão CNAB, atendendo as
necessidades dos bancos brasileiros;

Automatizar as situações que um boleto pode assumir dentro do SBO;

Enviar e receber as transferências e boletos do SBO;

Realizar a importação de arquivos de extrato, no padrão CNAB, para o SBO;

Também possui a funcionalidade de integração dos dados de DDA, caso a empresa for
optante do DDA é possível importar os dados de pagamentos diretamente para a base do
cliente;

Importar e Exportar leiautes para outras bases;

Automatizar a reconciliação bancária, evitando erros na reconciliação manual e aperfeiçoar
o tempo utilizado para tal atividade;
15
2. Comunicação bancária
A comunicação bancária é um serviço disponibilizado pelos bancos que permite que pessoas
físicas e jurídicas troquem informações e solicitem operações com seus bancos. Dentre as opções
disponíveis, estão o envio de dados de títulos para a cobrança de clientes, manipulação da
aplicação do patrimônio obtido em cobranças, pagamentos de despesas para terceiros, entre
outros.
2.1. Boletos
O principal meio de comunicação bancária é feito através do uso de boletos, que são títulos
que representam um valor que se tem a receber de um cliente, ou para pagar para um terceiro. São
conhecidos também por bloquetos de cobrança.
Qualquer pessoa, física ou jurídica, pode emitir boletos de cobrança, bastando apenas que
este se registre em sua agência para aderir à modalidade.
Existem duas modalidade utilizadas para boletos de cobrança, chamados de cobrança
registrada e não-registrada:
 Registrada: são gerados pelo cedente e as informações do documento são enviadas para
o banco através de um arquivo de remessa. Estes dados são gerenciados pela instituição
financeira que pode realizar serviços, como o protesto de títulos quando inadimplentes;
 Não-Registrada: funcionam como os de cobrança registrada só que as informações do
documento não necessitam ser enviadas para o banco. Portanto, todo serviço de
verificação e protesto fica a encargo do cedente;
Estes serviços apresentam um custo para seus utilizadores, chamado de tarifa. Os custos
dos bloquetos de cobrança registrados são cobrados quando o arquivo de remessa é enviado ao
banco. O custo dos bloquetos de cobrança não-registrada, por sua vez, só é cobrado do cedente
quando o sacado efetua o pagamento. De certa forma, os bloquetos de cobrança registrados
podem ser chamados de pré-pagos, enquanto os não registrados podem ser chamados de póspagos.
16
2.2. Débito automático
Débito automático é um serviço de cobrança bancária que possibilita as empresas cobrar
valores, podendo ser recorrentes ou não, como serviços de assinaturas de jornal, por meio de
débitos realizados de forma automatizada em dias pré-determinados na conta dos seus clientes.
Dentre as informações trocadas estão os dados dos débitos a serem realizados nas contas
dos clientes da empresa, que também são clientes do banco, e os dados de manutenção dos
clientes optantes por débito automático.
2.3. Transferências
Outra maneira de realizar movimentações de capital para o pagamento de título é através
da transferência de valores de uma conta para outra. Fazendo uso de transferências, uma pessoa,
física ou jurídica, pode realizar o pagamento de títulos na mesma maneira que faria utilizando um
boleto, mas sem a necessidade de um papel impresso.
Algumas das modalidades de transferências mais utilizadas são o DOC e a TED. O DOC,
ou Documento de Ordem de Crédito, é utilizado para transferências com valores mais baixos e o
dinheiro é liberado apenas no dia útil seguinte ao do processamento da operação.
Uma Transferência Eletrônica Disponível (TED) é uma operação na qual os correntistas
realizam operações interbancos para valores iguais ou acima dos R$3.000,00, além disso, este é
um meio mais rápido para transferir recursos, pois, como não há necessidade da operação passar
pelo sistema de compensação dos bancos, o dinheiro fica disponível no mesmo dia, desde que o
emitente tenha saldo na conta.
17
3. Instalação
Este capítulo irá guiá-lo por todo o processo que envolve a instalação e configuração do addon dentro do SAP Business One. Ele lhe demonstrará onde baixar o software, como registrá-lo no
SBO, o que é e onde obter uma chave de ativação, como realizar a aquisição de uma licença para
utilização do add-on dentro do SBO no site da SAP, como atribuir essa licença para um usuário e
como configurar as permissões mínimas para que este usuário possa usar o add-on sem restrições
por parte do SBO.
3.1. Download do Software
O primeiro quesito para a instalação do software é navegar até nosso site2. O endereço direto
para a página de download está atualmente no link abaixo:
http://www.sistemainfo.com.br/atendimento/downloads/atualizacoes/banksync
Esta página contém a última versão disponível do add-on, bem como as DLL’s que podem
ser utilizadas com as formas de pagamento do SBO.
Este processo segue o padrão estabelecido pelo produto SAP Business One™. O grupo de
objetos enviado ao VAR para que este possa efetuar a instalação do add-on no ambiente do Cliente
é composto pelos seguintes itens:
 BankSync Setup.ard: arquivo que define os registros necessários para a instalação do
produto;
 BankSync Setup.exe: arquivo que executa o processo de instalação do add-on dentro
do SAP Business One™;
É necessário salientar que este add-on foi desenvolvido sobre a Plataforma Microsoft .Net,
sendo assim, é necessário que o cliente tenha o .Net Framework 3.5 instalado em cada máquina
que deseja utilizar o add-on. Este framework é free3 e tem sua distribuição feita pelo site de sua
fabricante, a Microsoft.
18
3.2. Registro do Add-On no SBO
Uma vez feito o download são descompactados os arquivos, deve-se efetuar o login no SBO
com um usuário com permissões para alteração nos registros de add-ons (geralmente é o usuário
manager), e navegar até a tela de Módulos | Administração | Add-Ons | Administração de addon.
Figura 1: Registrando o add-on no SBO
Nesta tela, demonstrada na Figura 1, deve-se selecionar o botão Registrar add-on. Ele irá
abrir uma nova janela, onde deve clicar no botão
, e informar para o programa onde se encontra
o arquivo BankSync.ard. Encontrado o caminho do programa, selecione OK.
19
Figura 2: Configuração de inicialização do add-on
Uma vez informado o caminho até o instalador do add-on, uma nova linha com os dados do
BankSync irá aparecer na grade de add-ons atribuídos à empresa. Configure os dados da grade
conforme a Figura 2 e clique sobre o botão Atualizar. Feito isto, você terá informado ao SBO que
seu add-on precisa ser instalado, e que ele deverá ser inicializado automaticamente toda vez que
uma nova instância do SAP Business One for iniciada
3.3.
Instalação do Add-On no SBO
Agora que o add-on já está registrado dentro do SBO, é hora de realizar a sua instalação.
Para isso, vá até o menu Módulos | Administração | Add-Ons | Administrador add-on, e navegue
até a aba Add-ons instalados. Você irá se deparar com uma tela similar a demonstrada na Figura
3. Clicando sobre o botão Instalar, será dado início ao Assistente de Instalação do BankSync.
20
Figura 3: Início da instalação do add-on no SOB
As imagens a seguir demonstram apenas as telas do instalador do BankSync que
apresentam configurações para o usuário preencher. A primeira (Figura 4) solicita informações com
relação à empresa do usuário, enquanto que a segunda (Figura 5) pede para que seja definido o
local onde o add-on será instalado.
OBS: o caminho padrão geralmente atende as necessidades dos usuários. É recomendado
que este caminho não seja alterado.
21
Figura 4: Instalação – Informações do usuário
Figura 5: Instalação – Caminho da instalação
22
Uma vez escolhidas estas configurações, o add-on iniciará a sua instalação. Até este
momento, o BankSync não terá criado, ainda, nenhum objeto dentro do SAP Business One. Porém,
caso o usuário tenha informado para o add-on executar automaticamente junto com o SBO,
prossiga imediatamente para a próxima etapa: Primeira execução do BankSync.
3.4. Primeira execução do BankSync
Quando o BankSync for executado pela primeira vez, ele irá solicitar algumas informações
para o usuário. As sessões que vêm na sequência demonstram com mais detalhes os
procedimentos que devem ser tomados.
OBS: durante o processo da primeira execução da BankSync, fique atento para a tela
mostrada na Figura 6, pois ela irá aparecer sempre que houver uma alteração na estrutura da base
de dados. Para que o add-on possa continuar sua instalação sem imprevistos, clique sempre em
“Sim” toda vez que esta tela aparecer.
Figura 6: Atualização da estrutura da base de dados
3.4.1
Senha para o banco de dados
A primeira destas informações é a senha do usuário “sa” do banco de dados, a qual será
guardada pelo add-on, para que posteriormente ele possa fazer consultas à base de dados. A
Figura 7 demonstra a tela:
23
Figura 7: Requisitando a senha do banco de dados
3.4.2
Dados padrões das tabelas do BankSync
Após alguns minutos, o add-on irá alertar o usuário de que ele precisa inserir os dados
padrões dentro da base de dados, e que este processo levará alguns minutos. Além de poder
ocasionar travamentos para outros usuários do sistema. Selecione “Sim” para prosseguir
normalmente pela instalação. Se desejar continuar esta operação em outra ocasião, selecione
“Não” para parar a execução do add-on. A Figura 8 mostra um exemplo da tela em questão:
Figura 8: Aviso antes de povoar as tabelas do Add-On
3.4.3
Chave de ativação
Por último, o BankSync irá requisitar ao usuário para que este informe a sua chave de
ativação, conforme demonstrado na Figura 9. O campo da chave de ativação é o único no qual o
usuário deverá preencher dados.
OBS: Os campos que estão à esquerda da figura deverão ser ignorados por hora.
24
Caso o usuário não possua uma chave de ativação, este deverá entrar em contato com a
Sistema Info para solicitar a sua chave, via e-mail ou telefone. Esta chave será única para cada
instalação de servidor do SBO e estará vincula a chave de hardware, código do sistema e código
da instalação do SBO. Sem esta chave de ativação o produto não poderá ser inicializado.
Figura 9: Chave de ativação
OBS: Para ambientes OnDemand, a ativação será por base de dados, onde será validado
por CNPJ. Possui também uma validação da quantidade de licenças SAP do BankSync que estão
atribuídas para o determinado servidor/CNPJ.
3.5. Licenças para Add-Ons da SAP
Para que o add-on possa ser inicializado no SAP Business One, é necessário que o VAR
obtenha uma licença de uso diretamente no site da SAP. Esta sessão informa o usuário sobre como
esta licença pode ser adquirida, e onde ela deve ser utilizada dentro do SBO.
25
3.5.1
Adquirindo uma licença
Os passos para adquirir essa licença fazem parte da própria documentação da SAP,
disponíveis no link: https://websmp104.sap-ag.de/smb/sbo/licensekeys
3.5.2
Atribuindo as licenças
Uma vez que uma ou mais licenças tenham sido adquiridas e registradas no servidor de
licenças do SAP Business One, é necessário ainda atribuí-las a usuários do SBO. Para atribuir uma
licença no sistema, navegue até Módulos | Administração | Licença | Administração de licenças,
e selecione o usuário que deseja atribuir uma licença do add-on na grade de Usuários. Em seguida,
marque a licença do BankSync, na grade de Licenças Externas, e finalize clicando no botão
Atualizar. Figura 10 demonstra este procedimento, utilizando no exemplo o usuário manager.
Figura 10: Selecionando licença para um usuário
3.6. Configurando usuários do BankSync no SBO
Uma vez que seus usuários estejam com as permissões para o uso do BankSync
configuradas, deve-se ainda garantir que estes possuam acessos as telas do mesmo. Este controle
é mantido pelo próprio SAP Business One, e o local onde estas opções podem ser gerenciadas
ficam em Módulos | Administração | Inicialização do sistema | Autorizações | Autorizações gerais.
26
Figura 11: Autorizações gerais por usuário
Para garantir o acesso as principais telas utilizadas pelo BankSync, é necessário configurar
as permissões para o usuário em questão conforme demonstrado na Tabela 1.
Tabela 1: Autorizações para usuários do BankSync
27
4. Comunicação bancária dentro do SAP Business One
4.1. Boletos
O controle de boletos dentro do SAP Business One é feito originalmente através de uma tela
específica para a administração dos boletos, localizada em Módulos | Banco | Boleto |
Administração de boletos, demonstrada na figura:
Figura 12: Administração de Boletos
Um boleto não pode migrar de uma gaveta para qualquer outra. Existem restrições e
propósitos para a existência de cada uma destas gavetas e para que um boleto se desloque de
uma gaveta para a outra, ele deve passar por todas as gavetas intermediárias.
Na sessão que segue, serão explicados os significados de cada uma destas gavetas,
separados pelo tipo do boleto, que pode ser de Contas a Receber e de Contas a Pagar.
28
4.2. Boletos de Contas a Receber
Os boletos de Contas a Receber apresentam um controle maior, pois são gerenciados desde
o momento de sua criação.
A Figura 13 demonstra os status que um boleto de Contas a Receber pode assumir no
sistema. Na sequência, são descritos o que cada uma destas situações representa no sistema.
Figura 13: Status do boleto de Contas a Receber
4.2.1
Enviado
O status de enviado, também chamado de “criado”, é um dos status iniciais que um boleto
pode assumir no sistema. Ele representa o momento em que o boleto passou a existir virtualmente
dentro de seu sistema. Para o SBO, o sistema sugere que este seja um status de aprovação, para
que então ele seja aprovado, utilizado e impresso.
Quando um boleto é gerado com o status de Enviado, não há qualquer lançamento contábil
feito no sistema por parte do documento de Contas a Receber que foi criado.
4.2.2
Gerado
Um boleto que apresenta o status de Gerado pode apresentar dois significados dependendo
se o boleto foi criado diretamente com o status de Gerado, ou se ele migrou do status de enviado
para o de gerado.
Quando um boleto passa para o status de gerado é realizada uma movimentação da conta
contábil de “Contas a Receber Nacionais/Internacionais” para a conta contábil de “Contas a
Receber por Boletos”.
29
Partindo do primeiro caso, em que o boleto é criado inicialmente como Gerado, o status de
gerado tem basicamente o mesmo significado que os boletos com status de Enviado, exceto que
o boleto já se encontra aprovado, caso o usuário esteja utilizando o cenário proposto pelo SBO.
No segundo cenário, quando o boleto passa de enviado para gerado, significa que o boleto
já foi submetido para a comunicação bancária através de uma remessa. Em outras palavras, o
BankSync troca automaticamente o status dos boletos que estão com a situação igual a Enviado
para Gerado, a partir do momento que este passa a fazer parte de um arquivo de remessa.
De qualquer forma, os boletos que se encontram atualmente em uma remessa e estão a
caminho do processamento pelo banco, estarão sempre com o status de Gerado. Note também
que caso o boleto tenha sido criado inicialmente com o status de Gerado, o BankSync possui um
controle interno utilizado para identificar quais boletos já foram inseridos em uma remessa ou não,
então ambos os cenários são compatíveis com o Add-on.
4.2.3
Depositado
Esta situação é utilizada pelos bancos para informar ao cedente que o banco recebeu os
dados do seu boleto e que agora ele está sobre custódia dele.
Quando o boleto é passado do status de Gerado para Depositado, ocorre um lançamento
contábil movimentando as contas contábeis de Cobrança da conta bancária da empresa e a de
Apresentação de boletos.
4.2.4
Pago
Este status indica que o boleto foi pago pelo cliente, e muitas vezes os bancos só irão mandar
dados do boleto no arquivo de retorno quando o boleto for pago.
Porém, existe uma particularidade neste status, pois para o SAP Business One, quando um
boleto foi pago pelo seu cliente, isto não significa que a sua empresa recebeu o dinheiro ainda. A
confirmação deste recebimento do dinheiro é feita através de um demonstrativo no extrato bancário,
o qual deve ser reconciliado no sistema contra o boleto. Como os bancos não informam a qual
boleto cada linha do extrato é referente, essa reconciliação deve ser executada manualmente pelo
usuário do SBO.
Os boletos que se encontram reconciliados no sistema aparecem na gaveta dos boletos
pagos juntamente com os que ainda não foram. Para identificar se um boleto já foi reconciliado ou
30
não, basta observar nas colunas Reconciliada e Nº da reconciliação externa, esta última só
apresentando valor caso a primeira coluna indique “sim”. A Figura 14 mostra um exemplo em que
se podem identificar boletos reconciliados junto com os que não foram.
Figura 14: Administração de Boletos – Reconciliada e N° da reconciliação externa
OBS: as colunas Reconciliada e Nº da reconciliação externa não aparecem por padrão
no programa. Deve-se clicar no botão de Configurações do Formulário e marcá-las para exibição.
4.2.5
Cancelado
Um boleto que se encontra nos status de Enviado e Gerado pode ser cancelado. Esta
operação irá reverter o lançamento contábil manual criado pelos boletos que se encontram no
status Gerado.
A operação de cancelamento de um boleto é irreversível e irá encerrar também o Contas a
Receber ao qual o boleto estava associado. O título vinculado ao Contas a Receber passará para
a situação “aberta” novamente.
4.2.6
Sem êxito
Esta operação tem o propósito similar ao de cancelamento, exceto que funciona apenas para
os boletos que estão no status Pago.
31
Uma vez que um boleto caia na situação Sem Êxito, é feito um lançamento da “Conta
Contábil Do Banco” para o “Contas a Receber Nacionais” daquele cliente.
OBS: deve ser tomada a devida cautela ao executar esta operação, pois caso o boleto não
tenha sido reconciliado ainda no sistema, pode ficar uma falha na contabilidade, tendo em vista que
nunca houve um lançamento da “Conta Contábil de Cobrança/Desconto do Banco” para a “Conta
Contábil do Banco”.
4.3. Boletos de Contas a Pagar
O SAP Business One realiza um controle mais simplificado dos boletos de Contas a Pagar,
tendo em vista que preocupações quanto a sua origem e emissão fazem parte do papel do cedente.
É importante ressaltar que o boleto de Contas a Pagar deve receber algumas informações a
mais do que os de Contas a Receber, como o número do boleto e sua linha digitável.
A Figura 15 demonstra os status que um boleto de Contas a Pagar pode assumir no sistema.
Na sequência, são descritos o que cada uma destas situações representa no sistema.
Figura 15: Status dos boletos de Contas a Pagar
Alguns usuários utilizam o campo Código de Barras do boleto de Contas a Pagar para
informar o código lido do boleto pela leitora de barras, enquanto que outros inserem neste campo
o valor da linha digitável do boleto.
O valor que é preenchido neste campo é salvo na tabela OBOE, no campo BarcodeRep
que é reservado pelo SBO para guardar a representação, ou linha digitável do código de barras.
Para o SBO, o preenchimento deste campo é indiferente, já que o valor é armazenado
apenas para posteriores consultas. Porém, para o BankSync, os três primeiros dígitos deste campo
são utilizados para identificar a qual banco pertence o boleto de Contas a Pagar. Este valor será
utilizado nos Leiautes de arquivo de remessa para Contas a Pagar. Mesmo assim, independente
32
dos valores que o usuário escolha preencher neste campo, ambos apresentam nos primeiros três
números o Código do banco.
4.3.1
Gerado
Todos os boletos para Contas a Pagar são criados com o status igual a Gerado. Neste
momento é gerado um lançamento contábil da conta contábil “Contas a Pagar Nacionais” para o
“Contas a Pagar por Boleto”.
Um boleto nesta situação pode ser deslocado para os outros dois status, Pago e Cancelado.
4.3.2
Pago
O status Pago indica que o boleto foi efetivamente pago para o cedente e quando um boleto
é deslocado para este status, é criado um lançamento contábil das contas de “Contas a Pagar por
Boleto” do parceiro de negócio para a conta “Conta Contábil do Banco”.
Um boleto que se encontra na situação de Pago não pode ser diretamente cancelado, porém
é possível retorná-lo para o status Gerado e passá-lo posteriormente para Cancelado. Passar o
boleto para o status Gerado irá gerar um lançamento de estorno do lançamento que foi gerado,
quando o boleto foi passado para Pago.
4.3.3
Cancelado
Uma vez que um boleto entre na aba de “Cancelados”, este não pode mais ser movimentado
pelas abas. Também é criado um estorno para o lançamento do status de Gerado do boleto.
4.4. Transferências
As transferências no SBO ocorrem de uma maneira mais simplificada, quando comparado
aos boletos.
Quando determinando o meio de pagamento por transferência de um Contas a Pagar, o
usuário deve apenas escolher uma conta da qual será retirado o dinheiro e informar uma referência
qualquer para a transferência. Feito isto, o Contas a Pagar será criado considerando que a
transferência já ocorreu e realizando as devidas contabilizações.
33
Porém, para a maior parte dos clientes este comportamento é indesejado, tendo em vista
que este cenário impede o uso da comunicação bancária, já que o cliente só poderá criar os Contas
a Pagar uma vez que a transferência já tenha ocorrido.
Para solucionar este processo, o BankSync possui uma Administração de Transferências
Bancárias para tratar e movimentar cada transferência efetuada pelo usuário.
Figura 16: Status das transferências do BankSync
Como pode ser observado na Figura 16, o processo do BankSync possui quatro status,
similares aos de boletos de Contas a Pagar. Quando uma nova transferência é criada, ela se
encontra no status de Enviado, passando para Gerado uma vez que ela se encontre em uma
remessa. Após a importação de um retorno, a transferência pode passar para Pago ou Cancelado.
O processo completo de administração de pagamento de transferências bancárias, está
detalhado a partir da página 149 deste documento.
5. Informações técnicas
5.1. Tecnologia
Os recursos tecnológicos utilizados para o desenvolvimento do BankSync integram os
seguintes grupos:
 SAP Software Development Kit (SDK)
Este kit para desenvolvimento fornece uma interface de relacionamento do add-on com o
produto SAP Business One™ através de duas API (Application Protocol Interface):
34
 o Data Interface – API (DI-API): a interface de dados provê os métodos e atributos
necessários para a manipulação da base de dados. Através dela é possível recuperar,
editar, inserir e atualizar dados.
 o User Interface – API (UI-API): a interface de usuário provê a interação com a aplicação.
Através dela é possível inserir, modificar e remover funcionalidades visuais.
5.2. Conexão Remota
O servidor e o cliente obrigatoriamente devem estar na mesma sub-rede. Caso exista a
necessidade desse acesso remoto, deve-se fazê-lo através do software Team Viewer que a equipe
de suporte utiliza, efetuando esses acessos apenas nas versões 5 e 6.
O
Team
Viewer
está
disponível
no
site
da
Sistema
Info
no
seguinte
link:
http://www.sistemainfo.com.br/atendimento/service-desk/acesso-remoto.
5.3. Suporte Técnico
O suporte ao cliente inicialmente será prestado pelo VAR, que mantém o trato com o cliente.
O atendimento da equipe de Suporte SAP da Sistema Info para com o VAR será por meio de
chamados, que poderão ser cadastrados no site da Sistema Info utilizando um login e senha,
cadastrados pela própria equipe de Suporte SAP para o VAR.
35
5.4. Ajuda
No menu superior do SAP Business One, acessando Ajuda | Sobre BankSync será
apresentada a tela abaixo referenciada na Figura 17:
Figura 17: Tela Sobre BankSync
Na tela de ajuda do BankSync, o usuário poderá acessar algumas informações a respeito do
produto como:
Atualizações
Ao clicar no botão Atualizações, o usuário será redirecionado para o seguinte link:
http://suporte.sistemainfo.com.br/suporte/ConsultaClie.php?sistema=banksync onde estará
disponível todos os conteúdos referentes a atualizações e releases do add-on (Figura 18).
36
Figura 18: Tela de Atualizações do BankSync
Manuais e FAQ
Será encaminhado para o seguinte link: http://www.sistemainfo.com.br/manuais, que
utilizando os dados: Usuário - sap e Senha - sistema, terá acesso a todos os FAQs e Manuais do
add-on (Figura 19).
Figura 19: Tela de acesso a FAQs e Manuais do BankSync
Suporte Técnico
Encaminhará o usuário ao seguinte link http://suporte.sistemainfo.com.br/suporte/index.php,
que deverá utilizar seus dados de acesso para abertura de chamados técnicos (Figura 20).
37
Figura 20: Tela de acesso ao Suporte Técnico do BankSync
Download
Direcionará o usuário para a página de download do BankSync, no seguinte link:
http://www.sistemainfo.com.br/atendimento/downloads/atualizacoes/banksync,
onde
terá
disponível a última versão do add-on para o SAP Business One versão 8.81, 8.82 e 9.0, juntamente
com o pacote completo das DLLs (Figura 21).
Figura 21: Tela do Site da Sistema Info – Downloads
38
Alterar licença
Será apresentada a tela de ativação da chave para o usuário (Figura 22). A tela estará
informando a chave atual do sistema, e caso o usuário deseje altera-la, basta sobrescrever a chave
existente e clicar em “Ativar”.
Figura 22: Tela de ativação do BankSync
6. Configurações
Esta sessão do manual irá demonstrar para o usuário como preparar o add-on, realizando
todas as configurações necessárias para seu uso dentro do SBO.
Em um primeiro momento, serão explicadas as configurações que precisarão ser realizadas
nas telas do próprio SBO e, na sequência, passarão a ser explicadas as telas do próprio BankSync.
Cada item será inicialmente apresentado com uma breve introdução sobre o propósito da
tela, seguido de um detalhamento mais aprofundado sobre o propósito de seus campos; em alguns
casos, passando a oferecer dicas sobre o seu preenchimento, ou apontando para exemplos em
que seu uso se faz necessário.
Nas telas apresentadas, itens importantes para o BankSync serão destacados em vermelho.
Estes e outros itens serão descritos em mais detalhes a cada tela apresentada.
39
6.1. Telas do SAP Business One
Este primeiro grupo de configurações expõe particularidades que devem ser tratadas em
telas do próprio SAP Business One.
6.1.1
Detalhes da empresa
Esta tela abaixo (Figura 23) pode ser encontrada em Módulos | Administração | Inicialização
do Sistema | Detalhes da Empresa. Na aba Dados contábeis existe um único campo de usuário
que é de interesse para o BankSync, que é o Chave única da empresa.
Figura 23: Detalhes da Empresa
Quando temos casos em que a empresa contratante do SBO emite boletos em mais de uma
base de dados, utilizamos este campo para distinguir de qual base o boleto foi lançado, para evitar
confusões com as numerações internas do SBO.
40
Para facilitar a compreensão de seu uso e importância, vamos utilizar como exemplo as
empresas do grupo Algodão S.A, demonstrado na Figura 24. Supondo que cada uma destas bases
hipotéticas gerasse remessas de boletos para um banco em comum; no momento em que o retorno
do banco fosse ser importado para dentro do SBO, poderiam existir nele boletos emitidos de cada
uma das bases citadas no exemplo.
Figura 24: Exemplo de mais de uma base no SOB
Isto causaria um conflito, no que diz respeito à identificação dos boletos que estão no arquivo
com os que estão nas bases das empresas, pois a maneira principal de identificação utilizada pelo
BankSync é pela chave primária da tabela de boletos OBOE.BoeKey, ou seja, em um mesmo
retorno bancário, se existissem dois boletos com o mesmo código (Ex: OBOE.BoeKey = 1), porém
de bases diferentes, o BankSync não saberia identificar a qual base cada boleto pertenceria.
Ao configurar o campo de Chave única da empresa para representar as siglas de sua
empresa, podemos evitar este problema de identificação. De acordo com a Tabela 2, podemos
acompanhar que a chave dos boletos é precedida pela chave única da base que gerou o boleto. A
base de dados GAMA está com o valor padrão que é dado quando há uma nova instalação do
BankSync, UNC. As bases ALPHA e BETA estão devidamente configuradas, com uma chave única
distinta para cada uma delas; enquanto que a base DELTA não possui qualquer identificação.
Como não existem chaves repetidas, não haverá problemas de identificação entre as bases, com
exceção da base DELTA, pois esta não possui chave única, e poderá causar problemas até para
as outras bases.
41
Tabela 2: Chaves dos boletos das empresas do grupo Algodão S.A
6.1.2
Configurações gerais
A tela de Configurações gerais, disponível em Módulos | Administração | Inicialização do
Sistema | Configurações gerais, apresenta várias configurações importantes para o SBO, porém
para o BankSync, apenas o campo Pasta Boleto que se encontra na aba Caminho, é de extrema
importância.
Este caminho serve para indicar onde se encontram as DLL’s no momento em que o SBO
vai criar um boleto de Contas a Receber. Para que as DLL’s apareçam na lista de Algoritmos de
código de barras, em Formas de pagamento, é necessário que elas estejam na pasta “Boleto”,
dentro do diretório onde o SBO fora instalado. Geralmente este diretório é C:\Arquivos de
Programas\SAP\SAP Business One\Boleto.
Figura 25: Configurações Gerais
42
OBS: é importante ressaltar que o diretório que o SBO usa para buscas as DLL’s que
poderão ser escolhidas na tela de Forma de Pagamento não é necessariamente o mesmo de onde
ele irá buscar as DLL’s no momento em que o SBO irá criar um boleto de Contas a Receber. Isto
geralmente causa confusão entre os usuários. Por isso, aconselhamos a deixar o valor para o
campo Pasta Boleto apontando para C:\Arquivos de Programas\SAP\SAP Business One\Boleto.
6.1.3
Contas bancárias da empresa
O cadastro de contas bancárias da empresa possibilita o cadastro de contas bancárias para
uso dentro do sistema, em especial para a contabilização de pagamentos e recebimentos. Este
cadastro é utilizado principalmente em conjunto com a Forma de Pagamento; e alguns dos campos
presentes nesta tela são requisitos para o uso apropriado das DLL’s associadas às formas de
pagamento. Para acessar esta tela (Figura 26), acesse: Módulos | Administração | Configurações |
Banco | Contas bancárias da empresa.
Figura 26: Contas bancárias da empresa
O preenchimento da maioria de seus campos é de fácil compreensão, contudo existem
alguns que precisam de especial atenção e que são destacados na sequência:
 Código do Banco – BankCode
Código utilizado para identificação do banco;
43
 Número da conta – Account
Número da conta bancária da empresa. Informe apenas números, e não informe os dígitos
verificadores, já que estes possuem um campo próprio para eles;
 Filial – Branch
Este campo é o número da agência do banco onde a empresa possui a conta. Informar o
valor sem os dígitos verificadores e utilize apenas números;
 Chave de controle – ControlKey
Utilize este campo para informar o dígito verificador da Agência, caso ela tenha algum;
 Dígito de controle da conta – AccountChk
Informe o dígito verificador do número da conta da empresa neste campo. Em caso de
existirem mais de um dígito verificador para o número da conta, utilize o campo Usuário nº 1
(DSC1.UsrNumber1);
 Nosso Número – OurNum
Informe aqui o número que deseja para o próximo boleto de Contas a Receber que for emitir
no sistema. Existe uma particularidade4 quanto a este campo, que faz com que ele precise ser
utilizado em conjunto com o campo do Nº do Acordo e/ou o Nº do Contrato;
 Número do Acordo – AgreeNum
Este campo deve ser utilizado para complementar o campo Nosso Número;
 Conta contábil – GLAccount
Esta é a conta contábil que irá ser utilizada quando o boleto for finalmente finalizado.
Importante ressaltar que um boleto só será finalizado após o mesmo ter sido consolidado.
Dependendo do seu tipo de contabilidade, caso queira que suas movimentações bancárias
sejam diferentes para cada conta ou banco, aconselhamos criar uma conta contábil para cada
4
Para maiores detalhes sobre como deve ser feito o preenchimento do campo Nosso Número, consulte o capítulo referente
às DLL’s.
44
banco. O mesmo deve ser feito para a Conta contábil provisória, a conta do Banco de cobrança
e a conta do Banco de desconto, que estão descritos na sequência.
 Conta contábil provisória – GLIntrAct
Esta conta é utilizada quando o boleto foi reconciliado e a Forma de Pagamento está
marcada com a opção Lançar na conta contábil provisória.
 Banco de cobrança – BankCollec
Conta utilizada quando o boleto é passado para o status de pago, e a maneira escolhida
para seu pagamento foi a de cobrança.
 Banco de desconto – BankDiscou
Conta utilizada quando o boleto é passado para o status de Pago, e a maneira escolhida
para seu pagamento foi a de descontado.
 Leiaute de Extrato CNAB – U_CodeCSLA
Informe neste campo5 o código do leiaute de extrato CNAB para importações de extrato
neste banco.
 Leiaute de Importação por DDA– U_CodeILAY
Informe neste campo o código do leiaute de retorno bancário, para importações de arquivos
para DDA. Este campo mostrará apenas leiautes marcados como DDA, no cadastro de leiautes de
retorno. Somente contas bancárias da empresa que possuem este campo preenchido estarão
disponíveis para seleção durante o assistente de Importação de Boletos por DDA.
 Número do Contrato – U_Contract
Este campo é de uso especial para as DLLs do BankSync.
 Filial – U_Branch
Neste campo o usuário poderá selecionar a filial que deseja utilizar os dados para exportação
no arquivo de remessa. Caso o campo estiver em branco, os dados do cedente sempre serão da
Matriz.
5
Pressione TAB sobre ele, com o Add-on iniciado, para chamar uma Choose From List com a sugestão de valores;
45
6.1.4
Formas de pagamento
Localizada em Módulos | Administração | Configurações | Banco | Formas de pagamento,
as formas de pagamento são utilizadas no momento de uma compra ou venda, e possuem detalhes
referentes ao tipo de pagamento escolhido.
O BankSync só realiza o controle de boletos para Contas a Pagar ou receber, e para
transferências de Contas a Pagar.
Veja na sequência, como deve ser feito o preenchimento de seus campos. Utilize a Figura
27 para auxiliar na identificação dos campos:
Figura 27: Forma de pagamento
 Código da forma de pagamento – PayMethCod
Informe um código para a forma de pagamento. Aconselha-se a utilizar um código que
indique o tipo, a conta e o banco ao qual a forma de pagamento pertence, mas não há nada que
lhe impeça de utilizar da forma que melhor achar.
46
 Descrição – Descript
Uma descrição mais significativa, do que o código, para o método de pagamento.
 Tipo de pagamento – Type
Informe se o tipo da forma de pagamento será de Recebido, para vendas e Contas a
Receber; ou de Pago, para compras e Contas a Pagar.
 Meio de pagamento - BankTransf
Aqui é onde se informa qual método será utilizado no pagamento de contas. Dependendo
das combinações utilizadas entre Tipo de Pagamento e Meio de Pagamento, alguns
componentes podem aparecer, ou não.
 Banco da empresa – BankCountr, BankDflt, DflAccount, Branch, BankCtlKey
Aqui, deve-se escolher uma das contas bancárias da empresa que foram cadastradas
anteriormente. Para facilitar a escolha, clique sobre o botão
, que está ao lado do campo “País”.
Uma tela, conforme demonstrado na Figura 28, irá aparecer permitindo-lhe escolher uma conta.
Figura 28: Escolha da conta bancária da empresa
47
 Características do Boleto
Destaca-se em especial, o botão
. Este botão está disponível apenas quando o Tipo de
Pagamento for Recebido, e o Meio de Pagamento for Boleto. Ao clicar-se sobre ele, uma nova
janela irá aparecer (Figura 29).
Figura 29: Propriedades do boleto
Nesta tela, devem ser preenchidos os dados conforme instruído no manual CNAB do banco
em questão. Alguns campos foram adicionados a partir da versão 8.82 do SBO como: Instrução
de cancelamento, Código de ocorrência e Código de movimento que é um campo “Obrigatório”
para gerar a remessa pelo BankSync.
Mas é importante citar o preenchimento de dois campos além dos citados acima, que são
particularmente importantes para as DLLs: O Nº do portfólio e o Código da Moeda.
Primeiro, com relação ao código da moeda, a não ser que seja especificado de maneira
diferente, este código deverá ser sempre 9 ou 0. O código 9 simboliza a moeda “Real”, enquanto 0
simboliza um valor neutro, e que o banco irá tratá-lo em sua moeda padrão, ou de outra maneira
especificada pelo manual do banco.
Com relação ao campo do portfólio, também chamado de carteira no banco, o valor que
interessa para o programa é o que está presente em Nº do portfólio. Para cadastrar/editar este
valor, basta clicar sobre o botão
ao lado do campo Id portfólio interno. Isto irá abrir uma nova
tela, vista na Figura 30.
48
Figura 30: Lista de Carteiras
Clicando para editar, ou criar um novo registro, aparecerá à tela presente na Figura 31.
Figura 31: Cadastrar carteira
 Enviar para aprovação – SendAccept
Quando esta opção estiver marcada (Figura 32), novos boletos serão sugeridos para serem
criados com o status de Enviado, ao invés de Gerado. Isto permite para o usuário um controle
mais facilitado dos boletos que já fazem parte de uma remessa, pois eles estarão com o status
igual a Gerado.
49
Figura 32: Opção para aprovação
OBS: Caso esta opção não esteja marcada, novos boletos serão criados com o status de
Gerado. Porém, isto não será problema para o BankSync, pois ele possui um controle interno dos
boletos que já foram incluídos em uma remessa.
 Algoritmo do código de barras – BoeDLL
Este campo (Figura 33) aparece apenas quando a Forma de pagamento está com Meio de
pagamento igual a Recebido e Tipo de pagamento igual a Boleto. É neste campo que o usuário
escolhe onde e qual das DLL de forma de pagamento ele irá utilizar.
Figura 33: Escolher uma DLL
Caso a DLL que você esteja procurando não esteja disponível na lista, clique sobre a opção
Definir Novo, mostrado na Figura 33, e informe o caminho até sua DLL na tela que aparece (Figura
34). Isto fará com que a DLL seja copiada para a pasta, considerando uma instalação padrão do
SBO, no caminho: C:\Arquivos de Programas\SAP\SAP Business One\Boleto.
Figura 34: Caminho para inserir a DLL
50
OBS: para evitar erros, mantenha as DLLs atualizadas e se possível na pasta de instalação
do SBO, que geralmente encontra-se no seguinte caminho (C:\Arquivos de Programas\SAP\SAP
Business One\Boleto).
6.1.4.1
Parâmetros BankSync
Ao clicar sobre o botão
, que estará disponível apenas com o add-on
BankSync conectado, uma tela com as abas, configuração, contabilização e código CIRT, com
informações que são de relevância para o BankSync será apresentada. Uma amostra da tela
configuração se encontra abaixo na Figura 35:
Figura 35: Parâmetros do BankSync – configuração
Segue abaixo o detalhamento de alguns campos contidos na tela acima:

Débito automático: marca a forma de pagamento sendo exclusivamente para Débito
automático;
51

Número Sequencial da remessa: é automaticamente incrementado toda vez que
uma remessa é gerada utilizando aquela forma de pagamento;

Número Sequencial de lotes: é automaticamente incrementado toda vez que uma
remessa com lotes é realizada utilizando aquela forma de pagamento;

Número Sequencial do pagamento: é automaticamente incrementado toda vez que
um pagamento é gerado com aquela forma de pagamento;

Leiautes (Retorno – Remessa – Retorno de cartão de crédito – Leiaute de Cartão
de Crédito): parametrizado os leiautes que serão utilizados para cada processo,
executado pela forma de pagamento configurada;

Nomenclaturas (E-mail, PDF, assunto do E-mail): parametrizado as nomenclaturas
que serão utilizados para o processo de envio e impressão de boletos em lote,
executado pela forma de pagamento configurada;

Leiaute de impressão de boleto: sem parametrização no campo, o processo irá
utilizar o relatório padrão/único do banco da forma de pagamento. Caso exista mais
de uma opção, o usuário poderá selecionar neste campo;
Figura 36: Parâmetros do BankSync – contabilidade
Segue abaixo o detalhamento de alguns campos contidos na tela acima Figura 36:

Conta contábil para tarifas bancárias: é a conta que deve ser utilizada para aquela
forma de pagamento, quando um boleto apresentar uma tarifa cobrada pelo banco;
52

Conta contábil para despesas: é a conta (Débito) que deve ser utilizada para aquela
forma de pagamento, quando um boleto apresentar uma despesa em cartório. A outra
conta (Crédito) utilizada é a Conta bancária provisória, da tela de Contas bancárias
da empresa;

Conta contábil para transferência a compensar: é a conta obrigatório para
utilização do processo de pagamento de transferências pelo BankSync. Conta
transitório que intermedia o processo do cliente para com o banco;

Sobrescrever contas contábeis: as contas parametrizadas nestes campos
sobrescreverão as contas parametrizadas em Determinação de contas contábeis
(Business One) e no Parceiro de negócios (Business One);

Cartão de crédito (contas contábeis): as contas parametrizadas nestes campos
sobrescreverão as contas gerais da tela de Configuração Cartão de Crédito;
Figura 37: Parâmetros do BankSync – código CIRT
Segue abaixo o detalhamento do Código CIRT contidos na tela acima:

Código CIRT: os campos listados são específicos para geração do código CIRT, que
é impresso apenas no leiaute B do banco Santander.
53
OBS: os campos contidos em “Sobrescrever contas contáveis” devem ser alterados em
casos muito específicos, pois a má configuração destes poderá causar inconsistências em sua
contabilidade.
6.2. Telas do BankSync
Esta sessão do manual irá demonstrar e explicar as telas de configuração apresentadas pelo
BankSync.
OBS: não iremos apresentar a tela de leiaute de Extrato Bancário (não CNAB), por ser um
leiaute raramente utilizado. É possível importar arquivos de extrato do banco, que são separados
por “,” por meio de uma própria tela do SBO.
6.2.1
Configuração do BankSync
A tela de configuração do BankSync é destinada a configurações de funcionamento e
operação do Add-On. Ela está disponível em Módulos | Administração | Inicialização do sistema |
BankSync | Configuração do BankSync.
Figura 38: Configuração BankSync – Aba Contabilização
Lançamento de valores adicionais: Este parâmetro, quando verdadeiro (True), irá deixar
o usuário realizar lançamentos contábeis para taxas, juros, descontos, despesas e
arredondamentos. Caso esteja falso (False), realizará apenas lançamentos para o valor dos
boletos.
54
Reverter lançamento de tarifa: Quando verdadeiro (True) esta opção permite ao usuário,
no momento da reversão de lançamentos contábeis manuais extras, realizar a reversão do
lançamento das tarifas automaticamente.
Lançamento adicional para CR: Quando verdadeiro (True) esta opção permite ao usuário
efetuar lançamentos contábeis extras no momento da baixa dos títulos no Business One para
Contas a Receber.
Para que o processo insira esses lançamentos, é necessária a configuração das contas
contábeis nos campos Conta Contábil e Banco de Cobrança na tela de Administração |
Configuração | Banco | Contas Bancárias da Empresa
Figura 39: Contas bancárias da empresa – Configuração das contas
Quando a transação movimenta um documento para o status Pago, conforme a Figura 40,
os lançamentos extras são inseridos da seguinte forma:
Lançamentos Atuais
Geração do Boleto
D – Contas a Receber de Boletos (Determinação Contábil / Cadastro de PN)
C – Contas a Receber (Determinação Contábil / Cadastro de PN)
Depósito do Boleto (Registro no Banco)
D – Conta de Cobrança (Contas Bancárias da Empresa)
C – Conta de Apresentação do Boleto (Determinação Contábil / Cadastro do PN)
55
Pagamento do Boleto
D – Conta de Apresentação do Boleto (Determinação Contábil / Cadastro do PN)
C – Contas a Receber de Boletos (Determinação Contábil / Cadastro de PN)
Lançamentos Adicionais
Pagamento do Boleto
D – Conta Contábil (Contas Bancárias da Empresa)
C – Conta de Cobrança (Contas Bancárias da Empresa)
Figura 40: Lançamento contábil manual – Lançamentos Extras
Agrupar lançamento por bandeira: Caso esteja verdadeiro (True), agrupa os
comprovantes de cartão de crédito por bandeira quando é realizada a importação do arquivo de
cartão crédito os lançamentos contábeis manuais são realizados agrupando os valores por
bandeira conforme a quantidade de títulos.
56
Reconciliação de diferença de valores: Ativado reconcilia os LCM’s de juros, tarifas,
descontos e despesas de forma automática. Desativado reconcilia de forma manual.
Reconciliação de tarifa bancária: Quando selecionado reconcilia os LCM’s de tarifas de
forma automática.
Contabilizar contra o PN: Quando verdadeiro (True) esta opção permite ao usuário
contabilizar a conta o parceiro de negócios (PN), partindo da conta “Banco de cobrança” da conta
bancária, sem envolver as contas de diferenças de valores.

Contas a receber
o Juros e multas

Crédito: PN

Débito: - ‘Banco de cobrança’
o Descontos

Crédito: - ‘Banco de cobrança’

Débito: - PN
o Diferença de valores a maior

Crédito: PN

Débito: - ‘Banco de cobrança’
o Diferença de valores a menor


Crédito: - ‘Banco de cobrança’

Débito: - PN
Contas a pagar
o Juros e multas

Débito: PN

Crédito: - ‘Banco de cobrança’
o Descontos

Débito: - ‘Banco de cobrança’

Crédito: - PN
o Diferença de valores a maior

Débito: PN

Crédito: - ‘Banco de cobrança’
o Diferença de valores a menor

Débito: - ‘Banco de cobrança’
57

Crédito: - PN
Figura 41: Configuração do BankSync – Aba Processamento
Processamento de importação em lote: Controla se o processo de importação será feito
por lote ou por título.
Acelerar processo de exportação: Aprimora o desempenho do processo de exportação de
arquivo de remessa.
Figura 42: Configuração do Banksync – Aba Outros
Ignorar código de barras: Quando verdadeiro (True), o BankSync ignora o código de barras
do boleto que foi digitado incorretamente no Contas a Pagar, sendo assim o título aparece sem
problemas na tela de arquivo de remessa. Quando for falso (False) ele irá mostrar uma mensagem
avisando e não exportará o arquivo por que o número da linha digitável do boleto está incorreto.
58
Desativar identificação alternativa: Quando verdadeiro (True) esta opção habilita a caixa
de seleção na tela de “Assistente de importação de arquivo de retorno” que permite ao usuário
desativar a identificação alternativa dos boletos, na tela de “Manutenção de leiaute de arquivo de
retorno”.
Validação de diferença de valores: Quando este parâmetro estiver marcado como
verdadeiro (True) ocorrerá uma validação em uma situação específica. Caso o valor do boleto
enviado para o banco (arquivo de remessa) tenha valor inferior ao pago (arquivo de retorno) - devido
à juros, taxas e demais causas - ocorrerá uma validação que verificará se o valor pago está dentro
de um limite estabelecido pelo usuário comparando sempre ao valor do boleto enviado.
Gerar boleto em PDF: Quando ativo, salva os boletos dos bancos Banco do Brasil, Sicoob
e Itaú em PDF.
Identificação especial extra: Quando selecionado o usuário poderá usar uma segunda
identificação especial para identificação de boleto na importação de arquivo de retorno.
OBS: Sempre que iniciar pelo painel de controle e forçar a verificação da base e ativar todos
os módulos, o BankSync passará todos os parâmetros para verdadeiro (True).
6.2.2 Leiaute de Nomenclatura
A configuração da tela de Leiaute de Nomenclatura tem por objetivo, oferecer ao usuário a
disponibilidade de criar suas próprias nomenclaturas, sejam elas Nomenclaturas de Remessa,
Nomenclaturas do assunto de E-Mail, Nomenclatura do boleto - Nome do arquivo PDF,
Nomenclatura do E-Mail - Corpo do E-Mail. Esta tela está disponível em Módulos | Administração
| Configurações | Banco | BankSync | Leiaute de Nomenclatura, um exemplo desta tela encontrase abaixo na Figura 43.
59
Figura 43: Leiaute de Nomenclatura – Nomenclatura de Remessa
6.2.2.1
Nomenclatura de Remessa
O cadastro de Nomenclatura de Remessa tem por objetivo, oferecer uma regra de
nomenclatura personalizável para os arquivos de remessa gerados pelo do BankSync. Veremos
um exemplo da tela demonstrada na Figura 44.
60
Figura 44: Leiaute de Nomenclatura – Nomenclatura de Remessa
 Código
Deve ser informado um código único e uma descrição para o leiaute.1 acima
 Diretório base
Este é o diretório em que o BankSync irá criar e armazenar o arquivo de remessa exportado.
OBS: caso o diretório esteja errado e/ou a pasta não exista, o BankSync acusará um erro.
 Criar subdiretório pelo nome da Forma de Pagamento
Caso esta opção esteja marcada, o BankSync irá criar os arquivos dentro de uma pasta
adicional ao caminho em diretório base, utilizando como nome para esta nova pasta, o código da
forma de pagamento.
61
 Definição de Nomenclatura
Figura 45: Grade para definições do Leiaute de Nomenclatura
Nesta grade (Figura 45), podemos personalizar como será feita a montagem do nome do
arquivo. Os botões Adicionar linha e Remover linha manipulam a quantidade de linhas para
montar a estrutura. Segue uma descrição das colunas desta grade:
 Significado
Pode ser chamado também de descrição, auxilia na identificação do propósito desta linha.
 Qtde
Representa o tamanho final que este valor deverá apresentar dentro do nome. Caso o valor
em Qtde seja diferente do previsto, o programa irá compensar os valores em falta, ou cortar
os valores em excesso, sempre da esquerda para a direita.
O valor para preenchimento dos espaços faltantes é feito com base no tipo, conforme
demonstrado no próximo tópico.
 Tipo
O tipo do registro serve como uma validação da linha, para garantir que o pedaço em questão
do nome atenda a um dos critérios pré-estabelecidos. Os valores que ele pode assumir são:
62
Texto Fixo: Utilizado quando o programa não deva apresentar um tratamento para este
campo;
Contador: Representa um valor numérico que irá aumentar a cada nova remessa gerada;
Contador diário: Idêntico ao Contador, exceto que a cada novo dia, o contador é reiniciado
para “1” novamente;
Datetime: Indica que o valor final é uma data, e irá tentar converter a data informada em
conteúdo, caso esta seja diferente de vazia;
 Conteúdo
Conteúdo é o valor que será utilizado no nome do arquivo. No caso de Datetime, se o campo
Conteúdo estiver vazio, o sistema pegará a data de hoje. Para os campos Contador e
Contador Diário, deve-se colocar pelo menos o valor “1” para que o programa comece a
incrementar a partir dele.
 Formato
Formato define que validação deverá ser utilizada, e como o valor deverá ser mostrado no
nome do arquivo.
A formatação que ele irá apresentar e se existir alguma particularidade, estão descritos na
sequência:
Livre: O programa não realiza qualquer validação sobre este trecho do nome;
Maiúscula: Converte todo o valor presente em Conteúdo para letras maiúsculas;
Minúscula: Converte todo o valor presente em Conteúdo para letras minúsculas;
Numérico: Converte o valor para um número, descartando os pedaços de Conteúdo que
não forem numéricos;
Data/Hora: Quando formatado como data, o valor que será utilizado é o do dia atual do
relógio de seu sistema operacional. As letras presentes ao lado de Data indicam qual o formato
que ela irá adotar:
d: Dia; m: Mês; y: Ano; H: Hora; m: Minuto;
63
Quando as letras aparecem mais de uma vez, a formatação irá forçar com que zeros estejam
presentes quando o número não alcançar a quantidade de letras. Ex: dia 2 de outubro de 2010,
para a máscara dd/mm, será formatado como 02/10.
 Visualizando o modelo de exemplo
Esta tela (Figura 46) apresenta uma funcionalidade que permite ao usuário verificar como
será gerado o arquivo.
Figura 46: Modelo de exemplo
Ao clicar sobre o botão Ver Exemplo, o programa irá gerar sobre o campo Exemplo o
conteúdo que foi feito na grade. Importante ressaltar que antes de visualizar o exemplo, deve-se
salvar qualquer alteração pendente na tela, pois do contrário, será mostrado o exemplo para a
forma antiga.
6.2.2.2
Nomenclatura do assunto de E-Mail
Selecionando a opção Nomenclatura do assunto de E-mail no campo Tipo, a
nomenclatura terá como objetivo, oferecer uma regra de nomenclatura personalizável para o
assunto do E-mail que será enviado ao destinatário do e-mail. Veremos um exemplo da tela
demonstrada na Figura 47.
64
Figura 47: Leiaute de Nomenclatura – Nomenclatura do assunto do E-mail

Definição de Nomenclatura
Nesta grade pode-se personalizar como será feita a montagem do Assunto do E-mail, por
exemplo, inserir o número do boleto quando for enviado um e-mail para cobrança.
OBS: Algumas colunas e campos possuem o mesmo tratamento e função dos descritos na
Nomenclatura de Remessa, abaixo segue as particularidades desta nomenclatura em específica.
Tipo: além das opções disponíveis na Nomenclatura de Remessa, nesta em específica, o
usuário poderá trazer para o assunto do e-mail uma informação da base de dados, bastando
selecionar a opção Database.
Banco de dados: o usuário poderá selecionar qual informação do banco de dados ele
deseja inserir no assunto do e-mail, juntamente com as demais informações.
Formato: deve-se definir qual o formato da informação que virá do banco de dados deverá
ter.
OBS: quando selecionada a opção Numérico, na coluna Formato, a coluna Qtde será
habilitada, nela você irá colocar a quantidade de caracteres que irão aparecer.
65
6.2.2.3
Nomenclatura do boleto - Nome do arquivo PDF
Selecionando a opção Nomenclatura do boleto - Nome do arquivo PDF no campo Tipo,
a nomenclatura terá como objetivo, oferecer uma regra de nomenclatura personalizável para
padronizar os nomes dos boletos armazenados após a impressão. Veremos um exemplo da tela
demonstrada na Figura 48.
Figura 48: Leiaute de Nomenclatura – Nome do arquivo PDF
OBS: Algumas colunas e campos possuem o mesmo tratamento e função dos descritos na
Nomenclatura de Remessa, abaixo segue as particularidades desta nomenclatura em específica.

Salvar boletos automaticamente
O usuário poderá determinar se após a impressão, os boletos serão salvos automaticamente
ou não, de acordo com a Forma de pagamento utilizada.
66

Definição de Nomenclatura
Nesta grade, pode-se personalizar como será feita a montagem do Nome do arquivo PDF,
por exemplo, caso o usuário queira inserir o nome do parceiro de negócios e um código
identificador, (BS neste caso) quando for salvar o boleto, ele deverá seguir os seguintes passos:
Base de dados: quando o tipo for Database essa coluna ficará habilitada, nela será definido
qual informação do banco de dados que o BankSync deverá retornar para montar o nome do
arquivo .pdf.
Formato: deve-se definir o formato de acordo com a informação configurada/retornada.
OBS: caso não seja definida nenhuma informação que possa diferenciar os nomes dos
arquivos, o BankSync irá inserir automaticamente números ao lado do nome.
6.2.2.4
Nomenclatura do E-Mail - Corpo do E-Mail
Selecionando a opção Nomenclatura do E-Mail - Corpo do E-Mail, a nomenclatura tem
como objetivo buscar o conteúdo que o usuário deseja enviar para o destinatário no e-mail. Abaixo
a Figura 49 ilustra um exemplo de configuração desta nomenclatura.
Figura 49: Leiaute de Nomenclatura – Corpo do E-mail
67
OBS: Algumas colunas e campos possuem o mesmo tratamento e função dos descritos na
Nomenclatura de Remessa, abaixo segue as particularidades desta nomenclatura em específica.

Diretório Base
O botão
do campo de diretório base permitirá ao usuário buscar um modelo de e-mail
pré configurado nos formados .html ou .html.
6.2.2.5
Nomenclatura do boleto – Observação do LCM
Selecionando a opção Nomenclatura do boleto – Observação do LCM no campo Tipo, a
nomenclatura terá como objetivo, oferecer uma regra de nomenclatura personalizável para
padronizar as observações dos LCMs dos boletos. Veremos um exemplo da tela demonstrada na
Figura 50.
Figura 50: Leiaute de Nomenclatura – Observação do LCM
OBS: Algumas colunas e campos possuem o mesmo tratamento e função dos descritos nas
demais nomenclaturas.
68
No exemplo ilustrado na figura acima, a configuração presente gravará a seguinte
informação no campo Observações do LCM: “Boleto depositado/pago “Código do PN” – “Número
da NF”.
Além das informações configuradas pelo usuário na nomenclatura, a funcionalidade
concatenará as mesmas, com as seguintes informações do LCM de boletos:
Gerado > Depositado: Boleto depositado
Depositado > Pago: Boleto pago
Pago > Reconciliado: Boleto pago
6.2.3
Leiaute de Arquivo de Remessa
O cadastro de Leiaute de Arquivo de Remessa tem por objetivo deixar os arquivos de
remessa em padrão CNAB oferecido pelos bancos, para efetuar os pagamentos ou recebimentos
eletrônicos. Cada leiaute de arquivo de remessa tem suas próprias particularidades dependendo,
lógico, do banco em questão, mas todos sem exceções utilizam-no como base, o padrão Febraban
(Federação Brasileira de Bancos). O cadastro de arquivo de leiaute de remessa encontra-se
disponível acessando os seguintes módulos: Módulos | Administração | Configurações | Banco |
BankSync | Leiaute de Arquivo de Remessa.
6.2.3.1
Definição do Leiaute
A definição de leiaute de arquivo de remessa nos serve como um esqueleto de nosso arquivo
.txt, que será gerado na exportação de arquivo de remessa, ele irá ser gerado exatamente na
estrutura definida, na definição do leiaute. Verificamos um exemplo acompanhando a Figura 51,
que ilustra a estrutura de um arquivo de remessa e analisaremos o que significa para cada tipo de
campo mostrado nesta tela:
69
Figura 51: Leiaute de arquivo de remessa
Os campos que serão descritos abaixo, são referentes à tela de leiaute de arquivo de
remessa, parte de definição do leiaute e como devem ser seus respectivos preenchimentos:
 Código
Um código único para este cadastro.
 Nome
Nome dado para o leiaute.
 Tipo de Doc.
Para qual tipo de transação esse leiaute, será para Contas a Pagar ou Contas a Receber.
 Nomenclatura
Campo que vincula o leiaute de nomenclatura com o leiaute de remessa em questão.
70
 Tipo de codificação Este campo permite que o usuário selecione o tipo de codificação
do arquivo de remessa, que é gerado pelo leiaute em um processo de exportação. As
opções disponíveis são: ANSI e UTF-8.
Aceita Caracteres Diacríticos
Permite que ao gerar os arquivos de remessa, possam sair no mesmo, caracteres como (,’.”
^ ~) dentre outros.
 Maiúsculas
Faz com que toda a vez que for gerada uma remessa, todos os campos alfanuméricos saiam
com suas letras no formato maiúsculas.
 Com Nova Linha - U_HasNewLn
Ao gerar o arquivo de remessa ele sempre irá adicionar ao final do arquivo .txt, uma nova
linha em branco6, apenas para finalizar o arquivo.
 Descrição - U_Descript
Informada à descrição que terá aquela linha específica do arquivo de remessa, na maioria
dos casos, podendo ser um Cabeçalho, Detalhes ou Rodapé de arquivo.
 Ativo - U_Actived
Sempre que este campo estiver marcado, aquela linha do leiaute de arquivo de remessa
estará ativa, ou seja, o BankSync irá verificar se existem dados para esta linha, caso tenha, esta
linha sairá no arquivo de remessa, caso não o BankSync desconsidera essa linha e parte para a
linha seguinte.
 Requerido - U_Required
Sempre que este campo estiver marcado, o BankSync entenderá que está linha de arquivo
é obrigatória, e sempre irá sair no arquivo de remessa.
71
 Tipo de Dados – DataType
Irá identificar o que esta linha será no arquivo de remessa, as opções para definição de tipos
de dados são estas:

Cabeçalho de Arquivo

Cabeçalho de Título

Todos os Títulos

Títulos do Próprio Banco

Títulos do Próprio Banco - Registrados

Títulos do Próprio Banco - Não Registrados

Títulos de Outros Bancos

Rodapé de Título

Cabeçalho de Transferência

Cabeçalho de Transferência - Próprio Banco

Cabeçalho de Transferência - Outros Bancos

Rodapé de Transferência

Rodapé de Arquivo

Herdar do Nível Anterior
 Nível - U_Level
O nível irá definir ao sistema a ordem de impressão dos arquivos de remessa, lembrando
sempre que dados como cabeçalho e rodapé, sempre tem de ser do mesmo nível.
Segue abaixo na Figura 52, um exemplo simples de nivelamento dos arquivos de remessa,
que é constituído por um registro de cabeçalho, um registro de detalhe e um registro de rodapé:
Figura 52: Leiaute de Remessa – Grade de registros
 Tamanho - U_Size
72
O campo irá definir o tamanho do arquivo de remessa, ou seja, se for um CNAB 400, o
tamanho deste campo deve ser 400. Neste caso cada linha do arquivo remessa irá sair com 400
caracteres, caso seja CNAB 240 o tamanho do campo deve ser 240, e cada linha do arquivo de
remessa terá 240 caracteres.
No canto superior direto da tela de configuração do leiaute de remessa, possui duas setas
(Figura 53) onde permitirá ao usuário mover as linhas de registros já cadastradas no leiaute.
Figura 53: Leiaute de Remessa – Setas de mobilidade
6.2.3.2
Definição do Registro
Utilizando o botão Definição do Registro ou clicando duas vezes sobre ele, irá abrir a tela
de definição de registro. Após informar todo o conteúdo referente à definição do leiaute, serão
informadas as linhas do arquivo, ou seja, todos os dados que a linha em questão irá conter,
conforme a Figura 54.
73
Figura 54 Tela de Definição de Registro
 Registro – Name
Essa linha contém a mesma informação que foi dada na tela de Definição de Leiaute, ele
somente replica esse nome para a tela de Definição de Registros.
 Descrição - U_Name
Informará à descrição que terá o campo, referente à linha do arquivo de remessa em
questão, ou seja, o que este campo significa.
OBS: a descrição dos campos independentemente do nível (Cabeçalho, Detalhe e Rodapé),
é baseada no Manual do Banco que está sendo utilizado para configurar esse leiaute de remessa.
O Manual do Banco disponibiliza TODAS as informações para a correta configuração do leiaute de
remessa.
 Posição - U_Position
Este campo é um auto contador, ele se ajusta conforme a quantidade de caracteres do
campo anterior, somando assim automaticamente. Iniciando sempre da posição um, o tamanho
máximo permitido é baseado no campo Tamanho da tela de Definição de Leiaute, ou seja, o
74
contador vai acusar erro caso a posição do último campo, somado a quantidade do próximo campo,
for maior que o valor final definido no campo Tamanho.
 Qtde - U_Size
Será definida aqui a quantidade de caracteres que terá o seu campo em questão.
 Tipo - U_Type
O BankSync possibilita 4 tipos de campos em um combobox chamado Tipo, os campos
podem ser dos seguintes tipos:
 0 - Texto Fixo: Quando o campo for do tipo texto fixo, será informado um valor dentro
dele que será sempre o mesmo, como a própria configuração informa, FIXO.
 1 - Data Base: Um campo data base é um tipo de campo que permite ao usuário
buscar dados de campos do SBO, como por exemplo: Nome do PN, Endereço do PN,
dentre outros campos.
 2 – Categoria: Este tipo de campo nos possibilita criar mais de uma condição para
um único campo, por exemplo, quando vier um número “0” eu gostaria que este campo me
trouxesse o Nome do PN, caso venha “1” gostaria que retornasse o Nome do Cedente, ou
seja, em um único campo o usuário poderá possuir dois tipos de retorno.
 3 - SQL Select: O BankSync possibilita ao usuário informar uma consulta SQL Select
para que retorne o valor desejado. Alguns campos do Business One não têm opção em
nosso tipo de campo Data Base. Sendo assim o usuário pode utilizar o tipo de campo SQL
Select para retornar os dados que ele deseja de uma tabela especifica do Business One.
6.2.3.3
Definição do Campo
Na Definição do Campo, o usuário informa o formato deste campo, o alinhamento e o
preenchimento do mesmo, além de sua posição e suas propriedades específicas.
Texto Fixo
Para a definição de um campo Texto Fixo, é necessário realizar algumas configurações,
(Figura 55), que serão abordadas abaixo:
75
Figura 55: Definição do campo texto fixo
 Campo – Name
O nome que sempre virá neste campo é o mesmo nome que o usuário já definiu no campo
Descrição, na tela de Definição de Registro.
Propriedades Gerais
 Tipo - U_Type
O tipo de documento será sempre o mesmo que estiver no campo Tipo da tela de Definição
de Registro.
 Formato - U_Format

0 - Livre

1 - Alfabético

2 - Alfanumérico

3 - Numérico

4 - 2 Decimais

5 - 5 Decimais

6 - Data (aaaammdd)

7 - Data (ddmmaa)

8 - Hora (ddmmaaaa)
76
 Alinhamento - U_Align

(0) - Esquerda

(1) - Direita
 Preenchimento - U_Filling

(*) - Zero

(0) - Espaço

(_) - Underscore

(-) - Hifen
OBS: quando o campo for de formato Numérico, Decimal 2 ou Decimal 5, o seu
alinhamento e preenchimento devem ser: Direita + Zero. Quando o campo for de formato
Alfanumérico, Alfabético ou Livre, o seu alinhamento e preenchimento devem ser: Esquerda +
Espaço.
 Posição - U_Pos / Tamanho - U_Siz
Digamos que o usuário tenha um campo de 44 posições, por exemplo, um código de barras,
e ele gostaria de pegar apenas os “3” primeiros dígitos desse código de barras, que seria o número
do banco. Dessa forma o usuário deve preencher o campo Posição, com a posição em que ele se
encontra, que neste caso a posição “1” (os três primeiros dígitos do código de barras), e no campo
Tamanho, ele informa o tamanho do valor que ele deseja, neste caso “3”. A configuração irá ficar
conforme a Figura 56.
Figura 56: Configuração da posição para código de barras
77
Propriedades Específicas
 Texto Fixo - U_Text
No campo Texto Fixo, o usuário deve preencher com os caracteres que ele sempre deseja
que saia em seu arquivo de remessa, pois como o próprio campo diz Fixo, ou seja, sempre sairá
com os caracteres que estiverem preenchidos neste campo.
Database
Para a definição de um campo Database, é necessário realizar algumas configurações, (
Figura 57), que serão abordadas abaixo:
Figura 57: Definição do campo database
 Campo – Name
O nome que sempre virá neste campo é o mesmo nome que o usuário já definiu no campo
Descrição, na tela de Definição de Registro.
Propriedades Gerais
 Tipo - U_Type
O tipo de documento será sempre o mesmo que estiver no campo Tipo da tela de Definição
de Registro.
78
 Formato - U_Format

0 - Livre

1 - Alfabético

2 - Alfanumérico

3 - Numérico

4 - 2 Decimais

5 - 5 Decimais

6 - Data (aaaammdd)

7 - Data (ddmmaa)

8 - Hora (ddmmaaaa)
 Alinhamento - U_Align

(0) - Esquerda

(1) - Direita
 Preenchimento - U_Filling

(*) - Zero

(0) - Espaço

(_) - Underscore

(-) - Hifen
OBS: quando o campo for de formato Numérico, Decimal 2 ou Decimal 5, o seu
alinhamento e preenchimento devem ser: Direita + Zero. Quando o campo for de formato
Alfanumérico, Alfabético ou Livre, o seu alinhamento e preenchimento devem ser: Esquerda +
Espaço.
 Posição - U_Pos / Tamanho - U_Siz
Digamos que o usuário tenha um campo de 44 posições, por exemplo, um código de barras,
e ele gostaria de pegar apenas os “3” primeiros dígitos desse código de barras, que seria o número
do banco. Dessa forma o usuário deve preencher o campo Posição, com a posição em que ele se
encontra, que neste caso a posição “1” (os três primeiros dígitos do código de barras), e no campo
Tamanho, ele informa o tamanho do valor que ele deseja, neste caso “3”. A configuração irá ficar
conforme a Figura 58.
79
Figura 58: Configuração da posição para código de barras
Propriedades Específicas
 Base de Dados - U_Database
Este campo deverá conter sempre a base de dados que o cliente deseja que o add-on
busque nas tabelas do Business One, como por exemplo: Nome do PN, Endereço do PN, dentre
outros campos de tabelas do Business One que temos disponíveis como bases de dados (data
base).
Categoria
Para a definição de um campo Categoria, é necessário realizar algumas configurações,
(Figura 59), que serão abordadas abaixo:
Figura 59: Definição do campo categoria
80
 Campo – Name
O nome que sempre virá neste campo é o mesmo nome que o usuário já definiu no campo
Descrição, na tela de Definição de Registro.
Propriedades Gerais
 Tipo - U_Type
O tipo de documento será sempre o mesmo que estiver no campo Tipo da tela de Definição
de Registro.
 Formato - U_Format

0 - Livre

1 - Alfabético

2 - Alfanumérico

3 - Numérico

4 - 2 Decimais

5 - 5 Decimais

6 - Data (aaaammdd)

7 - Data (ddmmaa)

8 - Hora (ddmmaaaa)
 Alinhamento - U_Align

(0) - Esquerda

(1) - Direita
 Preenchimento - U_Filling

(*) - Zero

(0) - Espaço

(_) - Underscore

(-) - Hifen
81
OBS: quando o campo for de formato Numérico, Decimal 2, Decimal 5, o seu alinhamento
e preenchimento devem ser: Direita + Zero. Quando o campo for de formato Alfanumérico,
Alfabético ou Livre o seu alinhamento e preenchimento devem ser: Esquerda + Espaço.
 Posição - U_Pos / Tamanho - U_Siz
Digamos que o usuário tenha um campo de 44 posições, por exemplo, um código de barras,
e ele gostaria de pegar apenas os “3” primeiros dígitos desse código de barras, que seria o número
do banco. Dessa forma o usuário deve preencher o campo Posição, com a posição em que ele se
encontra, que neste caso a posição “1” (os três primeiros dígitos do código de barras), e no campo
Tamanho, ele informa o tamanho do valor que ele deseja, neste caso “3”. A configuração irá ficar
conforme a Figura 60.
Figura 60: Configuração da posição para código de barras
Propriedades Específicas
 Tipo de Retorno: U_RetType

0 – Texto Fixo

1 – Base de Dados
 Valor Padrão - U_Text
A informação configurada nesse campo será utilizada quando nenhumas das condições
presentes na grade forem verdadeiras.
Grade de Dados
 Condição - U_CondOp
Este campo sempre vai estar preenchido com a condição que o usuário deseja que o addon faça, como por exemplo:

0 - Menor que ou igual a
82

1 - Menor que

2 - Igual a

3 - Diferente de

4 - Maior que

5 - Maior que ou igual a
 Valor - U_CondVal
O campo valor sempre vai conter o valor para o add-on efetuar a condição, como por
exemplo: digamos que a condição selecionada seja 0 – Menor que ou igual a, e no campo Valor,
para que o add-on efetue essa condição, o usuário coloque “5”, então o sistema vai sempre verificar
a condição Menor que ou igual a “5”, conforme a Figura 61.
Figura 61: Configuração da coluna condição e valor
 Texto Fixo - U_Text
Quando preenchido o campo texto fixo, ele fará a condição e retornará sempre o valor que
estiver fixo neste campo.
 Base de Dados - U_Database
Quando preenchido com uma base de dados ele retornará sempre a base de dados
informada pelo usuário.
SQL Select
Para a definição de um campo SQL Select, é necessário realizar algumas configurações,
(Figura 62), que serão abordadas abaixo:
83
Figura 62: Definição do campo SQL Select
 Campo – Name
O nome que sempre virá neste campo é o mesmo nome que o usuário já definiu no campo
Descrição, na tela de Definição de Registro.
Propriedades Gerais
 Tipo - U_Type
O tipo de documento será sempre o mesmo que estiver no campo Tipo da tela de Definição
de Registro.
 Formato - U_Format

0 - Livre

1 - Alfabético

2 - Alfanumérico

3 - Numérico

4 - 2 Decimais

5 - 5 Decimais

6 - Data (aaaammdd)

7 - Data (ddmmaa)

8 - Hora (ddmmaaaa)
84
 Alinhamento - U_Align

(0) - Esquerda

(1) - Direita
 Preenchimento - U_Filling

(*) - Zero

(0) - Espaço

(_) - Underscore

(-) - Hifen
OBS: quando o campo for de formato Numérico, Decimal 2 ou Decimal 5, o seu
alinhamento e preenchimento devem ser: Direita + Zero. Quando o campo for de formato
Alfanumérico, Alfabético ou Livre, o seu alinhamento e preenchimento devem ser: Esquerda +
Espaço.
 Posição - U_Pos / Tamanho - U_Siz
Digamos que o usuário tenha um campo de 44 posições, por exemplo, um código de barras,
e ele gostaria de pegar apenas os “3” primeiros dígitos desse código de barras, que seria o número
do banco. Dessa forma o usuário deve preencher o campo Posição, com a posição em que ele se
encontra, que neste caso a posição “1” (os três primeiros dígitos do código de barras), e no campo
Tamanho, ele informa o tamanho do valor que ele deseja, neste caso “3”. A configuração irá ficar
conforme a
.
Figura 63: Configuração da posição para código de barras
85
SQL Select
 Select - U_Select
Neste campo deve conter a consulta SQL que o usuário deseja utilizar, lembrando que o
usuário deve colocar a consulta sem a palavra Select, pois está palavra já está implementada no
próprio campo, veja o exemplo abaixo:

Consulta SQL Normal
Select OBOE.OurNum From OBOE Where OBOE.BoeNum = %BoeNum%

Como tem de ser preenchido o SQL no campo Select do BankSync
OBOE.OurNum From OBOE Where OBOE.BoeNum = %BoeNum%
6.2.4
Leiaute de Arquivo de Retorno
O cadastro de Leiaute de Arquivo de Retorno tem por objetivo buscar os dados que estão
contidos dentro do arquivo de retorno, e retornar estes ao sistema, para que sejam assim
importados e efetuados os pagamentos ou recebimentos dos documentos que já foram enviados
ao banco.
Os leiautes de arquivo de retorno (Figura 64) contêm algumas abas para cadastro que serão
explicadas posteriormente.
OBS: Dependendo do tipo de leiaute campos e abas serão habilitados ou desabilitados.
Para cadastrar um Leiaute de Arquivo de Retorno, basta acessar os seguintes módulos:
Módulos | Administração | Configurações | Banco | BankSync | Leiaute de Arquivo de Retorno
86
Figura 64: Leiaute de Arquivo de Retorno
Os campos que serão descritos abaixo, são referentes à tela de leiaute de arquivo de retorno
parte fixa. Após descrevermos estes, vamos analisar os campos que estão contidos em suas
respectivas abas (Identificação, Ocorrências, Cobrança, Erros, Validação).
 Código/Nome: informar o código do leiaute que não deverá repetir na base de dados, em
sequência sua respectiva descrição;
 Tipo de Doc.: selecionar o tipo do leiaute para o determinado meio de pagamento no qual
ele será utilizado;
87
6.2.4.1
Aba Identificação
 Número de Linhas de um Título: Informar neste campo o número de linhas que cada
título possui no seu arquivo de retorno. Muitas vezes os bancos colocam alguns dos
valores dos títulos ou datas, na segunda linha do título.
Identificação da conta
 Código do Banco / Agência / Conta corrente: estas informações irão auxiliar a
identificação do arquivo, caso o usuário esteja utilizando o novo assistente de importação
de arquivo de retorno. Deve-se informar no leiaute qual local do arquivo as informações
se encontram, de acordo com a Forma de pagamento que foi gerada os títulos;
Cabeçalho
 Identificação: Nestes campos informamos a identificação do cabeçalho do arquivo de
retorno. Para melhor visualizar, segue abaixo um exemplo de cadastro (Figura 65).
Figura 65: Leiaute de arquivo de retorno, Cabeçalho
Figura 66: Arquivo de retorno
Sabendo que a primeira posição da primeira linha é composta por “0”, automaticamente o
BankSync irá identificar isso como sendo o Cabeçalho do Arquivo de Retorno (Figura 66).
Título
 Identificação: Nestes campos informamos a identificação do título no arquivo. Para
melhor visualizar, segue abaixo um exemplo de cadastro.
88
Figura 67: Leiaute de arquivo de retorno Título
Figura 68: Arquivo de retorno
Sabendo que a primeira posição da segunda linha é composta por “1”, automaticamente o
BankSync irá identificar que toda linha que iniciar com “1” será um título no arquivo (Figura 68).
Identificação do Documento
 Identificação: Nestes campos serão informadas as identificações de cada título na base
de dados, ou seja, será informado um dado que contenha no arquivo e que esteja presente
na base de dados, assim será feita uma comparação pelo add-on, em seguida a
identificação do título.
O BankSync permite ao usuário cadastrar na tela de Detalhes da Empresa, Módulos |
Administração | Inicialização do Sistema | Detalhes da Empresa, o campo Chave Única da
Empresa (Figura 69), ao gerar o arquivo de remessa. Existe um campo que é utilizado para esta
informação, cujo valor é um database chamado Boleto - Chave Única, composto por Chave Única
da Empresa + OBOE.BoeKey. É baseado neste dado (Figura 71) que o BankSync irá identificar o
título dentro do Business One, bastando neste campo informar qual a posição que ele inicia. Para
melhor visualizar veja o exemplo de cadastro abaixo (Figura 70).
Figura 69: Detalhes da empresa Identificação da Empresa
89
Figura 70: Leiaute de arquivo de retorno Identificação do Documento
Figura 71: Arquivo de retorno chave única
Identificação Alternativa do Boleto
O BankSync possui um outro tipo de identificação, chamada Identificação Alternativa, que
utiliza alguns campos para ler o arquivo de retorno: Nosso Número e Dígito.
Para que o add-on identifique o arquivo corretamente, as informações parametrizadas na
identificação alternativa devem estar de acordo com a base de dados, pelo contrário, o add-on
automaticamente desconsiderará essa identificação e passará para a Identificação Especial que
será vista no próximo tópico deste manual.
Caso o usuário deseje identificar o arquivo apenas pelo Nosso Número por exemplo, devese preencher este campo conforme sua posição e tamanho no arquivo de retorno, e os demais
campos devem conter “0”. Veja o exemplo abaixo para configuração da identificação Alternativa
(Figura 72).
Figura 72: Leiaute de arquivo de retorno - Identificação Alternativa
Os campos Nosso Número e Dígito são utilizados não só para identificação, mas também
para preenchimento do campo Nosso Número, encontrado na tela de Boletos – Contas a receber
(Figura 73). Caso o usuário deseje preencher ou atualizar a informação contida neste campo,
devem-se configurar os campos citados acima para que o add-on os atualize conforme contidos no
90
arquivo de retorno. O campo Número da nota fiscal estará disponível apenas para leiautes do tipo
DDA para identificação das notas fiscais.
Figura 73: Preenchimento do campo Nosso Número
OBS: Este processo de atualização será possível apenas se a Forma de pagamento que
está sendo utilizada no processo, esteja configurada com a DLL Dummy (Verificar funcionalidade
da DLL no capítulo de particularidades das DLLs).
Identificação Especial
A identificação especial é a última tentativa feita pelo add-on para identificar o título em
questão. Ele baseia-se em apenas um dado que o usuário poderá escolher, bastando configurar o
campo Tabela e escolher o Campo que você quer utilizar de acordo com a informação que você
busca. Segue exemplo de cadastro deste campo Identificação Especial (Figura 74).
Figura 74: Identificação Especial
91
6.2.4.2
Ocorrências
Em seu arquivo de retorno, o banco envia uma ocorrência, essa nada mais é do que uma
informação do acontecimento, que ocorreu com seu documento dentro do banco, se ele foi pago,
depositado, rejeitado, dentre outras opções (Figura 75).
Figura 75: Leiaute de arquivo de retorno – Ocorrências
 Identificação: como padrão do BankSync, nos campos Posição, Tamanho e Linha, devese informar os dados para que o leiaute encontre a ocorrência dentro do arquivo;
 Entrada normal: é definida uma ocorrência padrão para o retorno quando o banco envia
a confirmação de entrada na instituição (ação desta ocorrência é Depositado);
 Liquidação: é definida uma ocorrência padrão para o retorno quando o banco liquida o
título (ação desta ocorrência é Pago);
Identificação de Ocorrências
O banco informa em seu manual, várias ocorrências que tem de ser cadastradas na grid de
Identificação de Ocorrências, note abaixo um exemplo de uma lista de ocorrências de um banco
qualquer (Figura 76).
92
Figura 76: Códigos de Ocorrências
 Ação: Após cadastrar o código da ocorrência junto com sua descrição, o usuário pode
definir no campo Ação, uma ação para este documento, ou seja, quando ele vier com a
ocorrência XX ele toma a ação de Pagar, por exemplo. Assim sendo, sempre que algum
documento vir com a ocorrência XX ele será movimentado para a gaveta de Pagamento
na Administração de boletos do Business One.
Abaixo segue as ocorrências disponíveis para movimentação de títulos:

0 – Nenhuma: não movimenta o título;

1 – Depositar: move o título para gaveta Depositado;

2 – Pagar: move o título para gaveta de Pagamento;

3 – Cancelar: move o título para gaveta de Cancelado;

4 – Falhar: move o título para gaveta de Sem Êxito;

5 – Gerado: move o título para gaveta de Gerado;

6 – Reconciliar: move o título para gaveta de Pagamento e reconcilia
automaticamente;

7 – Somente Tarifa: reconhece a linha de título como tarifa bancária;

8 – Alterar Vencimento: altera a data de vencimento atual do boleto, para a nova
data retornada no arquivo;

9 – Descontar: essa ação é utilizada quando o banco troca a carteira de cobrança
pela carteira descontada. Abaixo está um exemplo do LCM de carteira de cobrança,
quando o boleto é movimentado normalmente de Gerado para Depositado:
Gerado > Depositado (Cobrança normal)
Crédito: Apresentação de boletos (Parceiro de negócios)
93
Débito: Banco de cobrança (Contas bancárias da empresa)
Quando a ocorrência é acionada, o BankSync efetua dois lançamentos na
importação dos títulos. Primeiro ele reverte o lançamento normal que foi feito
inicialmente, pois ele contabilizou o Banco de cobrança.
Depositado > Gerado (Revertendo o primeiro lançamento)
Cancela/Reverte o lançamento detalhado anteriormente
Após isso ele faz o lançamento correto do boleto descontado, utilizando o Banco de
desconto da conta bancária da empresa.
Gerado > Depositado (Cobrança descontada)
Crédito: Boleto descontado (Parceiro de negócios)
Débito: Banco de desconto (Contas bancárias da empresa);

10 – Alterar Nosso Número: identifica as informações do Nosso Número e DV de
acordo com as configurações da Identificação Alternativa do leiaute de retorno,
assim dados são atualizadas diretamente na tabela @SIEBS_BOEC do BankSync;

11 – Título Enviado Para Cartório: não realiza nenhuma alteração nas gavetas da
tela de ‘Administração de boletos’, pois o status do boleto não será alterado, apenas
adicionará uma nova ocorrência na tela de Boleto – Contas a receber.

99 – Customizado

0 – Importar (Leiaute de DDA): Importa as linhas que estão no arquivo de importação
de DDA.

1 – Não importar (Leiaute de DDA): Não irá importar as linhas do arquivo de
importação DDA que estão com essa ocorrência.
OBS: As ocorrências 0 – Importar e 1 – Não importar, estarão disponíveis apenas para leiautes
do tipo DDA.
O botão Customizar que se encontra no canto inferior da tela (mesma ação 99 citada acima)
necessitará de uma condição para definir a ação de um título.
94
Figura 77: Leiaute de retorno – Customização da ocorrência
Selecionando uma linha de ocorrência e clicando no botão Customizar, a tela de
parametrização (Figura 78) irá aparecer.
Figura 78: Leiaute de retorno – Customização da ação
As variáveis disponíveis para uso na condição ficam na coluna do lado direito da tela. Ao
clicar na variável, sua nomenclatura será inserida automaticamente na tela no lado esquerdo, onde
95
é parametrizada a condição. Para auxiliar na formação da condição, o botão Ajuda disponibiliza
alguns exemplos (Figura 79):
Figura 79: Leiaute de retorno – Ajuda na Customização
No exemplo configurado na Figura 78, a condição exerce a seguinte finalidade:
%BoeSum% > 100 ? 2 : 1
Caso o Valor do Boleto (%BoeSum%) for Maior (>) que 100 (R$ 100,00), ele atualizará o
status do boleto para 2 (status de Pago), caso contrário assumirá 1 (status de Depositado).
Portanto a funcionalidade acima servirá caso em uma única ocorrência, você precise utilizar
mais de uma ação para tal, caso existe uma condição como a citada no exemplo acima;
Na mesma tela de leiaute de retorno, o botão Sub Ocorrências permitirá ao usuário
cadastrar sub ocorrências de acordo com o manual do banco, caso elas existam dentro de
determinadas ocorrências (Figura 80).
96
Figura 80: Leiaute de retorno – Botão Sub Ocorrências
Para configurar uma sub ocorrência, o usuário deve selecionar a linha de uma ocorrência e
clicar em seguida no botão informado. Na mesma tela uma grade ficará disponível, tendo então
que cadastra-las de acordo com o manual, da mesma maneira que são cadastradas as ocorrências
atualmente.
OBS: as ocorrências e sub ocorrências não podem estar na mesma posição no arquivo de
retorno.
6.2.4.3
Cobrança
Nessa tela é possível efetuar a configuração de cobrança padrão que os títulos irão
apresentar. A Figura 81 referência a aba Cobrança, possuindo alguns campos para configuração,
que serão vistos a seguir.
97
Figura 81: Leiaute de arquivo de retorno - Cobrança
 Tipo Padrão: Após configurar os campos de identificação, seleciona se os títulos serão
importados com o Tipo de Cobrança padrão, tendo as opções de acordo com a Figura 82.
Figura 82: Tipo de cobrança padrão
A funcionalidade desta aba é semelhante à de Ocorrências, pois através de códigos
cadastrados de acordo com um manual do banco, é determinada a contabilização de cada título.
Será informada a conta contábil que o processo irá utilizar na movimentação do título, se é do
Banco de cobrança ou Banco de desconto, localizas na tela de Contas bancárias da empresa.
98
6.2.4.4
Erros
Algumas vezes o arquivo de remessa enviado ao banco apresenta alguns erros, e estes são
apresentados em seu arquivo de retorno, por meio de ocorrências. O processo é igual ao de
ocorrências de pagamentos, a única diferença é que o erro possui cinco campos para ocorrências,
enquanto a ocorrência de pagamento possui apenas um campo. Segue abaixo um exemplo da aba
de Erros (Figura 83).
Figura 83: Leiaute de arquivo de retorno Erro
Os dados cadastrados na grade são os mesmos que o banco informa em seu manual,
conforme mostra o exemplo abaixo (Figura 84):
99
Figura 84: Ocorrências de Erros, Manual do Banco
6.2.4.5
Validação Boletos
Na tela de validação (Figura 85), são cadastrados campos onde o BankSync buscará no
arquivo de retorno os dados de seu documento, como: Valor, Datas, Nome, Tarifa Bancária. Após
verificar e buscar tais valores, é efetuado no processo de importação a validação desses valores
para o Business One. Segue abaixo as especificações de alguns campos da aba Validação:
Figura 85: Leiaute de arquivo de retorno Validação
100

Valor pago ou nominal: este campo informa ao assistente qual tipo de valor ele estará
identificando. Pago: valor total do título que foi pago/recebido, com todas as diferenças de
valores caso houver. Nominal: valor do título nominal, idêntico ao valor da base de dados
onde foi gerado;

Tarifa de cobrança: posição do arquivo em que o valor da tarifa retornada pelo banco se
encontra;

Momento da tarifa: a tarifa bancária pode vir no arquivo de retorno em duas situações: na
hora que o documento foi pago ou na hora que ele deu entrada no banco. O campo
Momento da Tarifa identifica exatamente isso, em qual desses momentos o usuário vai
programar o add-on para identificar a tarifa bancária;


0 – Pago

1 – Depositado

2 – Não Gera LCM
Juros/Multas: o campo Juros/Multas permitirá identificar esses lançamentos, caso venham
destacados separadamente do valor dos títulos do arquivo de retorno;

Descontos: o campo permitirá identificar valores de descontos que são destacados em
cada linha de título;

Nome: posição do arquivo em que o nome do sacado é retornado pelo banco;

Data de lançamento: posição do arquivo em que a data de lançamento do título se
encontra;

CPF/CNPJ: posição do arquivo em que a informação fiscal do parceiro é retornada;

Data de vencimento: posição do arquivo em que a data de vencimento do título se
encontra;

Código de barras: posição do arquivo em que o código de barras do título é encontrado
(campo disponível apenas para leiautes de DDA);

Data do pagamento: posição do arquivo em que a data do pagamento do título se encontra
(campo disponível apenas para leiautes de DDA);

Status do boleto sugerido: opção para informar o status em que o boleto se encontra
(Gerado ou Pago - campo disponível apenas para leiautes de DDA);

Número do pagamento: posição do arquivo em que o número do pagamento do título é
retornado (campo disponível apenas para leiautes de DDA);
101

Informação adicional: este campo é utilizado caso o banco retorne alguma informação
adicional, onde o usuário deseje leva-la como histórico para o administrador de boletos por
DDA (campo disponível apenas para leiautes de DDA);

Despesa: posição do arquivo em que o valor da despesa em cartório é retornado;

Momento da despesa: identifica em qual desses momentos (Pagar ou Depositas) o
usuário vai programar o add-on para identificar a despesa;
6.2.5
Leiaute de Extrato Bancário (CNAB)
Sempre que efetuamos uma movimentação em nossa conta bancária, ao final das
transações podemos tirar um extrato de quais movimentações foram efetuadas. O extrato bancário
CNAB faz exatamente isso, só que em um padrão CNAB, que permite ao usuário importar este
arquivo por meio do BankSync e assim fazer suas reconciliações dos documentos. Para acessar a
tela de cadastro de leiaute de extrato CNAB (Figura 86) base acessar os seguintes módulos:
Módulos | Administração | Configurações | Banco | BankSync | Leiaute de Extrato Bancário
(CNAB).
Figura 86: Leiaute de arquivo de extrato CNAB
102
 Código – Code
Um código único para este cadastro.
 Nome – Name
Nome dado para o leiaute.
6.2.5.1
Identificação
Registro
 Identificação - U_RegIdent
No campo identificação temos de descrever, o que em nosso arquivo de extrato CNAB, será
linhas de documentos ou de transações. O manual do banco sempre nos traz essa informação,
para melhor visualização segue o exemplo abaixo (Figura 87):
Figura 87: Leiaute de extrato bancário CNAB Registro / Identificação
Figura 88: Extrato bancário CNAB
Neste caso sempre que informar “E” na posição “14” com tamanho “1”, o BankSync irá
identificar isso como uma linha de transação (Figura 88).
 Posição - U_RegPos
Deve ser preenchida a posição de início da Identificação.
 Tamanho - U_RegSiz
103
Informar o tamanho do campo Identificação.
Banco
 Cód. Banco
O código do banco sempre é formado por “3” caracteres numéricos, desta forma deve ser
preenchido os campos, posição e tamanho do código do banco.
OBS: neste caso o BankSync irá procurar em seu arquivo de retorno CNAB, primeiro a
identificação, como vimos no exemplo anterior ‘E’ na posição 14 e irá identificar que essa linha é
uma transação. Após isso ele irá procurar os caracteres que se encontram na posição e tamanho
para retornar ao add-on, ou seja, retornar o código do banco.

Posição - U_BkCodPos
Deve ser preenchida a posição de início do Código do Banco.

Tamanho - U_BkCodSiz
Informar o tamanho do campo Código do Banco.
 Nº da Conta
O número da conta sempre é formado por caracteres numéricos, desta forma devem ser
preenchidos os campos posição e tamanho da conta.

Posição - BkAcNPos
Deve ser preenchida a posição de início do Número da Conta.

Tamanho - BkAcNSiz
Informar o tamanho do campo Número da Conta.
Lançamento
 Data

Posição - U_LnDtePos
Deve ser preenchida a posição de início da data.

Tamanho - U_LnDteSiz
O tamanho é preenchido automaticamente, juntamente com a escolha do formato da
data.

Formato - U_LnDteFmt
104
Escolher um formato de data, que o manual do banco especificar como padrão para
suas datas.
o 0 - dd/mm/aaaa
o 1 - ddmmaaaa
o 2 - mm/dd/aaaa
o 3 - mmddaaaa
o 4 - aaaa/mm/dd
o 5 - aaaammdd
o 6 – ddmmaa
Referência

Posição - U_LnRefPos
Deve ser preenchida a posição de início de referência.

Tamanho - U_LnRefSiz
Informar o tamanho do campo referência.

Formato - U_LnRefFmt
Escolher um formato do campo referência.
o 0 - Texto
 Detalhes

Posição - U_LnDetPos
Deve ser preenchida a posição de início de detalhes.

Tamanho - U_LnDetSiz
Informar o tamanho do campo detalhes.

Formato - U_LnDetFmt
Escolher um formato do campo detalhes.
o 0 – Texto
 Valor

Posição - U_LnVlrPos
Deve ser preenchida a posição de início do valor.

Tamanho - U_LnVlrSiz
Informar o tamanho do campo valor.
105

Formato - U_LnVlrFmt
Escolher um formato do campo valor (Figura 89).
Figura 89: Formato de valor
 Tipo Lançamento

Posição - U_LnTypPos
Deve ser preenchida a posição de início do tipo de lançamento.

Tamanho - U_LnTypSiz
Informar o tamanho do campo tipo de lançamento.

Formato - U_LnTypFmt
Escolher um formato do campo tipo de lançamento (Figura 90).
Figura 90: Formato de tipo de lançamento
OBS: a opção “Serviço” bloqueará os campos acima e identificará os débitos e
créditos do arquivo, utilizando os serviços cadastrados na aba Serviço do leiaute de
extrato CNAB;
 Nº Documento

Posição - U_LnDcNPos
Deve ser preenchida a posição de início do número do documento.

Tamanho - U_LnDcNSiz
Informar o tamanho do campo número do documento.
106

Formato - U_LnDcNFmt
Escolher um formato do campo número do documento.
o 0 – Texto
 Código Externo

Posição - U_LnExCPos
Preencher a posição do campo código externo.

Tamanho - U_LnExCSiz
Informar o tamanho do campo código externo.

Formato - U_LnExCFmt
Escolher um formato do campo código externo.
o 0 - Texto
 Nº Extrato

Posição - U_LnExNPos
Informar a posição do campo número do extrato.

Tamanho - U_LnExNSiz
Informar o tamanho do campo número do extrato.

Formato - U_LnExNFmt
Escolher um formato do campo número do extrato.
o 0 – Texto
6.2.5.2
Serviço
A aba serviço (Figura 91) é bem semelhante a parte de cadastros de ocorrências no leiaute
de arquivo de retorno. Ela identifica um serviço que o próprio usuário cadastra de acordo com o
manual do banco em questão. Cada serviço é formado por um Tipo, Código, Descrição e um
Tipo de transação. Ao verificar a posição e o tamanho deste serviço no arquivo texto de extrato
bancário, o add-on irá efetuar o processo de importação deste extrato.
107
Figura 91: Tela da aba Serviços

Posição - U_SrvPos
Deve ser preenchida a posição de início do serviço.

Tamanho - U_SrvSiz
Informar o tamanho do campo serviço.
 Tipos

Tipo - U_LineType
O manual do banco informa ao usuário qual o tipo referente ao código do serviço, ex:
101 - Crédito, 201 – Débito.
o 0 - Crédito
o 1 - Débito

Código - U_TrnsCode
O manual do banco informa ao usuário quais os códigos de serviço que ele deve
cadastrar em sua grade de seleção, como mostra a Figura 92 abaixo:
108
Figura 92: Cadastro de códigos e descrições para Serviços de extrato bancário

Descrição - U_U_Descript
A descrição também é retirada do manual do banco, conforma mostra o exemplo
acima.

Tipo Transação - U_TrnsType
o 0 - Referência de Pagamento
o 1 - Nota de depósito com nº de referência
o 2 - Doc Num
o 3 - Não tomar nenhuma ação
6.2.6
Leiaute de DDA
A configuração do leiaute de DDA é para a importação de arquivos de retorno do tipo DDA,
a importação desse arquivo gera documentos de contas a pagar que são vinculados a notas fiscais
ou LCM’s do tipo crédito.
A configuração do leiaute pode ser feita no seguinte caminho: Administração | Configuração
| Banco | BankSync | Leiaute de Arquivo de Retorno
6.2.6.1
Identificação
Mesma aba e configuração do leiaute de arquivo de retorno, a diferença é o campo “Número
da Nota Fiscal” na Identificação Alternativa do Boleto, que estará habilitada apenas para leiautes
do tipo DDA.
109
Figura 93: Leiaute de DDA – ocorrência
OBS: Dependendo do tipo de leiaute campos e abas serão habilitados ou desabilitados.
110
6.2.6.2
Ocorrência
Na aba ocorrência, as ocorrências que serão configuradas serão Importar e Não importar,
que poderão ser inclusas no arquivo de retorno e o usuário determinar qual linha será ou não
importada.
Figura 94: Leiaute de DDA – ocorrências
111
6.2.6.3
Validação
Apenas alguns campos ficarão habilitados para serem configurados, pois nem todos os
campos tem no arquivo de DDA. Os campos que poderão ser configurados são de informações
que serão buscadas no arquivo de retorno.
Figura 95: Leiaute de DDA – Validação
OBS: Especificação dos campos você encontra no capitulo de leiaute de arquivo de retorno, página
86 do manual.
6.2.6.4
Código de Barras
Aba código de barras tem como funcionalidade configurar o código de barras do banco
Bradesco informando suas posições no arquivo e concatenando-o, pois o mesmo trabalha com o
código de barras desmembrado.
112
Nesta aba contem seis databases que poderão ser configurados uma vez cada com exceção
do database “Campo Livre”. Todos devem ser configurados conforme o manual do banco.

Identificação do banco (Código do banco)

Código da moeda

Dígito verificador do código de barras

Fator de vencimento

Valor (Valor do título)

Campo livre
Figura 96: Leiaute de DDA – Código de Barras
Adendo: O checkbox “Ignorar código de barras do próprio banco” é para quando o banco da forma
de pagamento for o mesmo da linha do título, isso fará com que a linha código de barras venha em
branco. Caso o checkbox esteja marcado e o banco da forma de pagamento não for o mesmo do
arquivo, a linha do código de barras será preenchido.
113
Sugestão de configuração:
1.O Código do Banco constante das posições 1 a 3 do código de barras deverá ser informado
nas posições 96 a 98 do Registro de Transação;
2. O Código da Moeda constante da posição 4 do código de barras deverá ser informado na
posição 400 (campo Informações Complementares - posições 374 a 413), do Registro de
Transação;
3. O Dígito Verificador do Código de Barras constante da posição 5 do código de barras
deverá ser informado na posição 399 (campo Informações Complementares - posições 374 a
413), do Registro de Transação;
4. O fator de vencimento constante das posições 06 a 09 do código de barras deverá ser
informado nas posições 191 a 194 do Registro de Transação;
5. O valor constante das posições 10 a 19 do código de barras deverá ser informado nas
posições 195 a 204 do Registro de Transação;
6. A agência cedente constante das posições 20 a 23 do código de barras - (campo livre), deverá
ser informada nas posições 374 a 377 - campo Informações Complementares, bem como nas
posições 99 a 103 - campo código da agência do fornecedor, do Registro de Transação, e, adotar
módulo 11, com base 7 para cálculo do dígito da agência, o qual deverá ser informado na posição
104 do Registro de Transação, vide modo de cálculo na página 28;
7. A carteira constante das posições 24 a 25 do código de barras - (campo livre), deverá ser
informada nas posições 378 a 379 - campo Informações Complementares, bem como nas posições
136 a 138 – campo Carteira, do Registro de Transação, alinhado à direita, com zero à esquerda;
114
8. O campo Nosso Número constante das posições 26 a 36 do código de barras - (campo livre),
deverá ser informado nas posições 380 a 390 - campo Informações Complementares, bem como
nas posições 139 a 150 - campo Nosso Número, do Registro de Transação, alinhado à direita e
preenchido com zero à esquerda.
9. A Conta-Corrente constante das posições 37 a 43 do código de barras - (campo livre),
deverá ser informada nas posições 391 a 397 - campo Informações Complementares, bem como
na posição 105 a 117 - campos Conta- Corrente do fornecedor, do Registro de Transação, e, adotar
o módulo 11 com base 7, para cálculo do dígito da Conta-Corrente, o qual deverá ser informado na
posição 118 - campo dígito da Conta-Corrente e, quanto à posição 19 do Registro de Transação,
deverá permanecer branco, vide modo de cálculo na página 28.
10. O zero fixo constante da posição 44 a 44 do código de barras (campo livre), deverá ser
informado na posição 398 - campo Informações complementares, do Registro de Transação.
115
7. Processos do BankSync
Esta etapa do manual irá descrever, em detalhes, cada uma das etapas envolvidas nos
processos que utilizam o BankSync, dando um enfoque especial as partes que dizem respeito ao
próprio add-on.
Primeiramente serão tratados os processos de remessas e em seguida, será apresentado o
processo de geração de boletos de Contas a Pagar com base no Débito Direto Autorizado (DDA).
7.1. Processo de remessas
O processo de remessas envolve enviar arquivos de texto, com os dados de seus títulos
para o banco, e importar o retorno enviado pelo banco para o seu sistema.
Iniciaremos pela geração de remessas para o banco, detalhando a partir da geração de uma
Nota Fiscal de Saída. Serão apresentadas as particularidades para geração de boletos de Contas
a Pagar, Contas a Receber e transferências de Contas a Pagar.
Na sequência, será demonstrado como deve ser feita a importação de um arquivo de retorno
e como devem ser interpretados os dados apresentados na grade de importação.
Uma vez que tenhamos arquivos de retorno importados no sistema, passaremos para a parte
de reconciliação dos boletos, com base no extrato bancário CNAB.
7.1.1
Criando títulos no SBO
Este tópico explica ao usuário como gerar títulos que podem ser enviados para a remessa.
Ele será breve, pois foge um pouco do foco deste manual, que é explicar as particularidades do
BankSync.
7.1.2
Criando uma nota fiscal
Existem diversas maneiras de se criar uma nota fiscal no SBO. Adotaremos aqui a forma
mais simples, onde navegaremos diretamente até sua tela de cadastro e criaremos uma nova nota.
Iniciamos por uma nota fiscal de saída. Para isto, navegamos até a tela de criação de uma
nota fiscal de saída, que se encontra em Módulos | Vendas | Nota Fiscal de Saída. Ao fazer isto,
veremos uma tela similar à demonstrada na Figura 97.
116
Figura 97: Nota fiscal de saída
Basta agora informar um parceiro de negócio, um item que possua estoque positivo, escolher
o imposto aplicado a ele e clicar sobre o botão Inserir.
Ao final da criação desta nota fiscal, será gerado um LCM, conforme demonstrado em Figura
98.
Figura 98: LCM da nota fiscal de saída
7.1.3
Gerando um título
Uma vez que exista um documento no sistema que precise de pagamento, basta navegar
até sua tela respectiva, que seria a de Contas a Receber, para recebimento de uma nota fiscal de
saída ou lançamento de crédito para um fornecedor, ou a de Contas a Pagar, caso seja para o
117
pagamento de uma nota fiscal de entrada ou um lançamento de débito para um cliente. Após isso
basta selecionar o documento que se deseje dar baixa, escolher o meio de pagamento adotado e
executar a baixa.
Como no exemplo anterior criamos uma nota fiscal de saída, iremos criar agora um Contas
a Receber baseado nela. Para isto, navegue até Módulos | Banco | Contas a Receber | Contas a
Receber. Será exibida a tela demonstrada na Figura 99.
Figura 99: Contas a Receber
Informe um parceiro de negócio, que será um cliente neste caso, e selecione o documento
que deseja pagar dentre os que são exibidos na grade da tela. Uma vez escolhido, clique sobre o
ícone da sacola de dinheiro
, localizado na barra de ícones de acesso rápido, e uma tela onde
deve ser informado o meio de pagamento irá aparecer, exemplificada na Figura 100.
118
Figura 100: Tela de meio de pagamento
Escolhemos como meio de pagamento o Boleto. Selecionamos uma das formas de
pagamento disponíveis e informamos seu valor igual ao presente na nota. Note que, para este
exemplo, deixamos o status inicial do boleto como Enviado. Em seguida clicamos sobre o botão
OK para retornarmos a tela anterior. Nela, clicamos sobre o botão Inserir. Agora temos em nosso
sistema um novo boleto de Contas a Receber criado.
Note que não foi criado nenhum lançamento contábil decorrente da criação deste título. Tal
situação ocorreu por causa de duas condições do sistema:
O primeiro se deve ao fato de que o título de Contas a Receber que foi criado ainda está
com seu status em aberto. Isto aconteceu porque, para o SBO, um título pago por boleto só será
encerrado uma vez que o boleto tenha sido Pago e Reconciliado.
O segundo motivo para nenhum lançamento ter sido gerado ocorreu por ter criado o boleto
com seu status igual a Enviado. Isso evitou que o SBO gerasse uma transação de troca de status
do boleto, do status Enviado para Gerado, que iria gerar uma movimentação entre as contas do
parceiro de negócio associado ao boleto.
119
7.1.4
Geração da remessa
O processo de criação de uma remessa, utilizando o BankSync, inicia invocando o assistente
de geração do arquivo de remessa, que se encontra em Módulos | Banco | BankSync | Exportação
de Arquivo de Remessa. Será então demonstrado um assistente que irá guiar o usuário pelo
processo de geração dos arquivos de remessa.
7.1.5
Apresentação do assistente
Em geral, os assistentes do BankSync seguem um padrão e a primeira etapa deles será
sempre uma tela de apresentação do assistente (Figura 101). Ela faz uma breve introdução do
processo que será executado, sendo neste caso o de geração do arquivo de remessa para o banco.
Figura 101: Assistente de exportação - Apresentação
7.1.6
Filtros
A próxima etapa possibilita filtrar os boletos que farão parte dos arquivos de remessa. Nessa
tela é possível filtrar os boletos por:

Tipo do documento: Informa se serão listados os meios de pagamento (boletos e
transferências) ligados a documentos de Contas a Receber ou Contas a Pagar (Figura
102). Também define algumas configurações especiais, que estão detalhadas mais
abaixo;
120
Figura 102: Configuração do tipo de documento

Número do documento: No caso, o número do boleto, campo OBOE.BoeNum;

Datas: Permite filtrar o boleto pela data de lançamento, vencimento, do documento
ou ainda a data em que o boleto foi cancelado. Para que o filtro de data de
cancelamento seja efetuado, a opção de Status do documento deverá ter a check
Cancelado marcada (Figura 103);
Figura 103: Configuração do filtro de data

Status do documento: Somente deverão aparecer os boletos cujo status forem
iguais a Enviado, Gerado, Cancelado, Pendente ou Pago (Figura 104);
Figura 104: Configuração do filtro de status do documento

Pagamentos: Somente deverá listar os boletos que estão vinculados a notas fiscais
bloqueadas ou desbloqueadas (Figura 105);
Figura 105: Configuração do filtro de pagamento
121

Situação do documento: Permite listar os documentos que ainda não foram
exportados, que já foram exportados, ou ainda ambos;
Figura 106: Configuração do filtro situação do documento

Forma de Pagamento: Aqui são listadas todas as formas de pagamento disponíveis
para o tipo de documento previamente selecionado (pagar ou receber) (Figura 107).
Note, será gerado um documento para cada forma de pagamento selecionada e
caso nenhuma seja marcada, serão mostrado títulos de todas as formas de
pagamento.
Figura 107: Configuração do filtro de forma de pagamento

Filial: Permiti ao usuário selecionar a filial na qual ele deseja efetuar a exportação dos
títulos. Caso não utilizar o filtro, basta deixar a opção default Todas (Figura 108);
Figura 108: Configuração do filtro Filial
Além das opções de filtragem citadas anteriormente, baseado no fato de se estar listando
meios de pagamento para Contas a Receber ou a Pagar, esta tela apresenta alguns campos
específicos.
No caso de selecionado para Tipo de Documento a opção de Contas a Receber, pode-se
escolher se o tipo de transação será para Cobrança ou então Descontado (Figura 109). Qualquer
que seja a opção, isto não obrigará o boleto a ser pago neste formato. Esta opção existe apenas
122
para ser utilizada em conjunto com o campo database Leiaute – Tipo de Transação, dos Leiautes
de Arquivo de Remessa.
Figura 109: Configuração do filtro tipo de transação
Caso a opção do Tipo de Documento seja a de Contas a Pagar, a tela possibilita realizar a
filtragem por banco do boleto, o qual é identificável através da recuperação do código do banco
que se encontra no código de barras/linha digitável do mesmo. Em conjunto com a opção de
filtragem por banco existe a opção Inverter Seleção (Figura 110), que filtra todos os bancos, com
exceção do selecionado. O uso destas opções é feito geralmente com leiautes para Contas a Pagar,
de bancos que aceitam boletos de outros bancos.
Figura 110: Configuração do filtro de Contas a Pagar
Para boletos de Contas a Pagar, o sistema emite um alerta para aqueles que cuja formação
do código de barras não atenda ao esperado, conforme demonstrado na Figura 111.
Figura 111: Alerta
123
7.1.7
Escolha dos títulos
Na etapa seguinte do assistente, são mostrados todos os boletos ou transferências que
serão adicionados aos arquivos de remessa. Segue uma descrição das colunas presentes nesta
grade. Para uma melhor visualização, utilize a Figura 112 como referência.
Figura 112: Assistente de exportação - Escolha dos títulos
Marcando o checkbox da coluna Sel., o usuário estará confirmando a inclusão daquele título
para o arquivo de remessa vinculado ao leiaute daquela forma de pagamento.
OBS: selecionando um dos checkbox e, em seguida, segurando a tecla shift + clicando sobre
outro checkbox, pode-se selecionar vários títulos de uma única vez.
Para marcar ou desmarcar todos os títulos de uma única vez, basta um único clique
sobre o cabeçalho da coluna Sel.
Tipo
A coluna tipo informa se a linha em questão apresenta um boleto (B), ou uma transferência
(T).
Nota/Parcela
A primeira letra desta coluna indica qual o documento que originou o boleto. Notas fiscais
(N) e Lançamentos contábeis manuais (L).
124
O número que vêm antes da barra (/) representa o número da serial, caso o documento seja
uma nota, ou então o número da transação (OJDT.TransId), caso o documento seja um lançamento
contábil manual.
Por fim, o número que vem após a barra indica qual a parcela que foi associada ao boleto.
OBS: caso a numeração venha zerada, isto significa que o boleto foi atribuído a mais de um
documento.
7.1.8
Resultados
Uma vez que o usuário avance para a próxima e última etapa, o assistente irá iniciar a
geração dos arquivos de remessa. Nesta tela, o programa demonstrará em tempo real em qual
etapa o gerador de arquivos se encontra, postando mensagens para a grade presente na tela,
conforme demonstrado na Figura 113.
Figura 113: Assistente de exportação – Resultados
Caso ocorra alguma falha nesta etapa do assistente, ele irá apresentar para o usuário uma
mensagem de erro, enquanto que ao mesmo tempo ele irá parar qualquer processo que estiver
executando. Sendo assim, para tentar novamente a criação do arquivo de remessa, o usuário
125
deverá tentar concertar o problema apresentado pelo programa e depois executar novamente o
assistente de exportação.
Caso o programa encerre com sucesso, terá então gerado os arquivos de remessas nos
locais apontados pelo leiaute de nomenclatura de arquivo.
OBS: o BankSync não realiza o envio do arquivo gerado para o banco, devido à
complicações e da não padronização dos serviços prestados pelos bancos nesta área. O processo
de selecionar o arquivo e enviar para o banco deve ser feito automaticamente pelo cliente.
7.2. Importação do arquivo de retorno
O processo de importação do retorno bancário tem origem quando o banco disponibiliza para
o cliente um arquivo CNAB contendo as situações dos boletos enviados previamente para o banco,
geralmente feito através de um retorno por e-mail.
Sendo assim, uma vez que o cliente obtenha este arquivo, para dar início ao processo, ele
deverá navegar até Módulos | Banco | BankSync | Importação de Arquivo de Retorno. Feito isto,
será exibida uma tela de introdução que irá explicar um pouco sobre o processo de retorno,
conforme a demonstrada na
. Clicando sobre o botão Seguinte, o assistente irá para a sua próxima etapa.
Figura 114: Assistente de importação - Apresentação
126
7.2.1
Assistente de importação
O assistente permiti em um único processo, importar vários arquivos, de várias formas de
pagamentos, de várias filiais e de vários meios de pagamentos (transferências, boletos e etc.).
7.2.1.1
Filtragem
Após acessar o menu conforme dito anteriormente, o usuário será levado a tela ilustrada na
Figura 115, onde o mesmo poderá selecionar seus filtros de acordo com sua necessidade.
Figura 115: Assistente de Importação de Arquivo – Filtragem
Logo abaixo o detalhamento de cada campo e grade de filtro, e as possibilidades que o
usuário terá na importação de seus arquivos.
 Tipo de Documento: utilizando as opções disponíveis, Contas a Receber e a Pagar, o
usuário determinará o tipo de documento de seus arquivos. Dependendo da opção, na
grade de Forma de pagamento, serão listadas as Formas de pagamento pertencentes ao
tipo de documento selecionado;
 Meio de pagamento: além do tipo de documento, o usuário poderá selecionar o meio de
pagamento
na
qual
seus
arquivos
pertencem.
As
opções
serão
127
bloqueadas/desbloqueadas de acordo com a seleção do Tipo de documento,
determinando as formas de pagamento que o BankSync atende no processo;
 Data de lançamento/vencimento: como os demais filtros do Business One e do
BankSync, o assistente composto também permitirá ao usuário filtrar seus títulos de
acordo com os intervalos de datas de lançamento e vencimento configuradas nestes
campos;
 Parceiro inativo: como já existente no assistente simples, este campo permitirá ou não
que o assistente liste parceiros de negócios inativos na base de dados;
 Forma de pagamento (incluir inativas): neste campo o usuário filtrará as Formas de
pagamento que estão ativas/inativas, que serão apresentadas na grade de Forma de
pagamento;
 Grade/Matriz Forma de pagamento: após configuração dos filtros acima, serão listadas
nesta grade as Formas de pagamento, permitindo que o usuário as selecione para
identificação de seus arquivos de retorno. Nesta grade também é possível à alteração
momentânea do leiaute de retorno para ser utilizado no processo;
 Grade/Matriz Filial: nesta grade são apresentadas todas as Filiais da base de dados,
tanto as que estão ativas quanto as desativadas;
 Grade/Matriz Arquivos: o usuário poderá efetuar a importação de inúmeros arquivos ao
mesmo tempo, basta adicionar a grade os seus arquivos de retorno para importação. Para
abrir o arquivo de retorno basta o usuário clicar duas vezes na linha do arquivo adicionado
na grade;
7.2.1.2
Tela de Resolução de conflito entre boletos
Ao importar arquivos de retorno é possível que existam conflitos na base (Arquivos com as
mesmas informações de identificação), assim quando houver algum conflito, a linha do arquivo na
aba automática ficará pintada em vermelho e também faltando informações (As informações que
durante a identificação são específicas de cada título, conforme Figura 116 abaixo), aguardando
que o usuário selecione a linha para que a tela de resolução de conflito entre boletos seja aberta.
128
Figura 116: Assistente de importação de arquivo de retorno - Conflitos
Para solucionar os problemas de conflitos entre os boletos, na tela de Resolução de
conflitos de boletos foi criada, onde a partir dela o usuário poderá selecionar qual o título é o
correto que ele deve importar.
Esta tela só pode ser acessada através da tela de importação de arquivos de retorno, no
momento em que o conflito aconteceu, será necessário clicar na linha desejada para que o conflito
seja solucionado, antes disso nenhuma ação para importação daquele boleto pode ocorrer.
A tela de Resolução de conflitos de boletos (Figura 117), possui algumas informações
vitais para identificação de qual boleto é correto, dentre elas estão a Chave única do boleto, o
número do boleto, valor do boleto, código do parceiro de negócio, nome do parceiro de
negócio, status do boleto, data de vencimento e lançamento. Estas informações irão auxiliar o
usuário na hora da decisão de qual título realmente importar, evitando quaisquer inconsistências
na base.
129
Figura 117: Resolução de conflito entre boletos
OBS: Lembrando que para melhor performance e utilização deste assistente, é importante
que o usuário configure os campos ilustrados na Figura 118 abaixo, encontrados na aba
Identificação do Leiaute de retorno. O preenchimento destas informações irá garantir uma melhor
identificação dos títulos, principalmente quando se trata de uma quantidade considerável. Quando
as mesmas não estiverem contidas no arquivo de retorno, o usuário deverá deixar os campos
preenchidos com “zeros”.
Figura 118: Assistente de importação de arquivo de retorno – Campos do leiaute
O processo e as telas de identificação dos títulos seguem abaixo.
7.2.1.3
Escolha dos títulos
Ao se deparar com a tela de escolha dos títulos, pode-se perceber que existem três abas
nesta tela: Automática, Manual e Não-Identificados. Seus propósitos e particularidades são
explicados a seguir.
Automática
Esta é a principal aba das três e é a que indica que o título está pronto para ser atualizado
no sistema. Nela é possível escolher quais os títulos para realizar a importação no sistema, bem
como ajustar a data de lançamento que é recuperada do arquivo.
130
Importante ressaltar que a coluna Data do Lançamento desta grade será utilizada para
firmar a data em que a transação ocorreu. Em outras palavras, no caso de uma importação de
dados referentes aos boletos, será criada uma transação de boletos do SAP Business One e
agrupados nela todos os boletos cujas datas pertencem ao mesmo intervalo.
A Figura 119 ilustra um exemplo de cenário de importação, onde todos os títulos presentes
representam boletos no sistema.
OBS: além das datas diferenciadas, para que um boleto passe do status de Gerado para
Pago, ele precisa primeiro ser passado para o status Depositado.
Figura 119: Assistente de Importação de arquivo de retorno – Aba Automática
Antes que o usuário prossiga para a etapa seguinte, caso ele tenha escolhido um leiaute
para Contas a Receber, ele deve decidir se os boletos selecionados na grade devem ser
considerados como pagos pela carteira de Descontado ou então pela de Cobrança (Figura 120).
Figura 120: Configuração do tipo de cobrança
A seleção destas opções estará contabilizando da seguinte maneira no Business One:
131
Cobrança
Utilizará a conta do “Banco de cobrança” (Contas bancárias da empresa) e a conta de
“Apresentação de boleto” (Parceiro de negócios).
Descontado
Utilizará a conta do “Banco de desconto” (Contas bancárias da empresa) e a conta de “Boleto
descontado” (Parceiro de negócios).
Figura 121: Conta contábil – Parceiro de negócios
Figura 122: Conta contábil – Contas bancárias da empresa
Ele também poderá trocar de forma prática, a data de lançamento dos títulos identificados.
Essa parametrização será efetuada no campo Alteração Dt. Lançamento, no canto inferior
esquerdo da tela do assistente, selecionando os títulos e em seguida inserindo uma nova data.
Ainda na aba Automática, existem algumas colunas que identificam valores destacados e
diferenciados dos valores de cada título do arquivo. Conforme Figura 123 abaixo, segue as
especificações das colunas de valores:

Juros/Multas: irá mostrar o valor de juros e multas destacados de cada linha de título,
de acordo com a posição e tamanho configurado no leiaute de retorno. Isso resultará
em um LCM nas contas de “Juros de mora” (Vendas) e “Pagamento em excesso”
(Compras) configuradas na tela de Determinação de contas contábeis;
132

Tarifa Bancária: irá mostrar o valor de tarifas bancárias destacadas de cada linha de
título, de acordo com a posição e tamanho configurado no leiaute de retorno. Isso
resultará em um LCM na conta de “Tarifas bancárias” (CR) configurada na tela de
Parâmetros BankSync;

Descontos: irá mostrar o valor de descontos destacados de cada linha de título, de
acordo com a posição e tamanho configurado no leiaute de retorno. Isso resultará em
um LCM na conta de “Desconto” (Vendas e Compras) configurada na tela de
Determinação de contas contábeis;

Despesas: irá mostrar o valor de despesas destacadas de cada linha de título, de
acordo com a posição e tamanho configurado no leiaute de retorno. Isso resultará em
um LCM na conta de “Despesas” (CR) configurada na tela de Parâmetros BankSync;

Diferença de Valores: esta coluna mostrará o balanço dos valores identificados em
cada linha de título. Valores a maior e a menor serão somados/subtraídos, resultando
em um valor total que será ilustrado na coluna. Ex.: (CR) R$ +10,00 (juros) e R$ -5,00
(descontos) = Diferença de valores R$ +5,00

Outras diferenças de valores: esta coluna mostrará o balanço dos valores que não
foram destacados, pois se tratam de valores que o banco acumula em um único
campo ou então diretamente no valor pago. Os valores aqui identificados resultarão
em um LCM de diferença de valores, onde serão utilizadas as contas de pagamento
a maior e a menor (Vendas e Compras) da tela de Determinação de contas contábeis;
Figura 123: Assistente de importação de arquivo de retorno – Colunas de valores
Ao clicar sobre o botão Seguinte, o assistente irá exibir a grade de resultados, que contém
um demonstrativo de todos os títulos que foram atualizados no sistema, separados por mudança
de status (Figura 124).
133
Figura 124: Assistente de Importação – Tela de resultados da importação do arquivo
Após a importação do arquivo de retorno, na tela Boleto – Ocorrências, será adicionado
linhas de registros de diferenças de valores preenchidos na aba automática, mais especificamente
nas colunas de valores destacados como, juros/multas, tarifas, descontos, despesas,
arredondamentos, outras diferenças e reconciliação contra o cliente.
Figura 125: Boleto – Ocorrências
134
Manual
O BankSync utiliza a aba Manual para separar os títulos que ele não sabe qual ação tomar,
deixando a cargo do usuário quais ações serão efetuadas posteriormente na tela de
Administração de boletos do SBO ou configuradas no próprio leiaute de retorno na aba
Ocorrências.
Os títulos que caem na aba manual o fazem geralmente por um dos motivos seguintes:

A ocorrência encontrada no arquivo não está cadastrada no leiaute de retorno, sendo
assim o programa não sabe que ação tomar;

A ocorrência encontrada no arquivo foi cadastrada no leiaute de retorno, porém não
foi atribuída nenhuma ação para ser tomada quando esta ocorrência fosse
encontrada;

Quando houver uma ocorrência de alteração de vencimento cuja nova data de
vencimento seja igual à data de vencimento atual do título;

Quando a ação selecionada para a ocorrência não for permitida pelo SBO, o que
depende da situação atual do boleto. As páginas 29 e 32 mostram os fluxos de
operações do SBO para contas a receber e contas a pagar respectivamente.

O título já foi importado no sistema, ou ainda o status do qual ele está partindo é igual
ao de destino. Ex: De Pago para Pago (Figura 126);
Figura 126: Status duplicado

Intencionalmente para posterior inspeção pelo usuário;
Para auxiliar na identificação dos problemas, as colunas Motivo e Informações Adicionais
trazem a descrição da ocorrência (Figura 127), ou apenas o motivo pelo qual o título caiu na aba
Manual. Um exemplo da tela do assistente que se encontra na aba Manual pode ser visto na
.
135
Figura 127: Ocorrência nas colunas motivo e informações adicionais
Figura 128: Assistente de importação Aba Manual
Não-Identificados
Os boletos que se encontram nesta situação, não tiveram sua contraparte encontrada no
sistema, ou seja, a identificação única do título que foi recuperada do arquivo de retorno não condiz
com nenhum dos títulos encontrados na base de dados do SAP Business One.
Isto indica que todos os métodos de identificação do título no sistema falharam, e que os
dados que estavam contidos naquela linha serão descartados.
Para sanar este problema, basta configurar corretamente um dos três métodos de
identificação que o BankSync oferece, todos descritos em Leiaute de Arquivo de Retorno.
Um exemplo de um título que não pode ser identificado encontra-se na Figura 129.
136
Figura 129: Assistente de Importação – Aba Não Identificado
7.2.1.4
Resultados
A última etapa deste processo é representada por um demonstrativo dos resultados da
importação. Nesta tela, podem ser encontradas diversas informações sobre os títulos e seus
respectivos documentos, bem como as transações aos quais estes agora fazem parte. Um exemplo
desta tela está disponível na Figura 130.
137
Figura 130: Assistente de Importação – Resultados
Após a realização da importação do arquivo, são realizadas as movimentações contábeis
dentro do SBO.
7.2.2
Reconciliação dos boletos
Conforme explicado anteriormente, um boleto que esteja no status Pago dentro do SBO não
indica necessariamente que este já foi encerrado contabilmente. Um boleto só será devidamente
finalizado no sistema quando este for reconciliado contra um valor em um demonstrativo de extrato
bancário; ou em outras palavras, quando houver a confirmação da entrada do dinheiro referente
aquele boleto dentro da conta bancária da empresa, mediante uma confirmação no extrato
bancário.
Para que tal situação aconteça dentro do SBO, o usuário deverá importar para o sistema os
dados do extrato bancário. Para realizar tal processo, deve-se ter em mãos um arquivo de extrato
no modelo CNAB, disponibilizado pelo seu banco. Uma vez com este arquivo, o usuário deverá
utilizar o assistente de importação de extratos do BankSync.
138
7.3. Importação do extrato bancário CNAB
Para iniciar o assistente, navegue até Módulos | Banco | BankSync | Importação de Extrato
Bancário (CNAB). Irá aparecer na tela um assistente do BankSync, conforme o demonstrado na
Figura 131.
Figura 131: Assistente para extratos CNAB - Apresentação
7.3.1
Filtragem
A etapa seguinte do assistente permite fazer a filtragem das linhas do extrato que não são
desejadas durante a importação. Segue um exemplo da tela na Figura 132.
139
Figura 132: Assistente para extratos CNAB - Filtragem
Dentre as opções de filtragem temos:

Leiautes: No momento da importação, devem-se informar quais dos leiautes de
extrato deverá ser utilizado;
OBS: o leiaute de extrato deve ser configurado no Contas bancárias da empresa,
especificamente na conta que você irá utilizar. Página 43 do manual.

Arquivo: Este é o local onde deverá ser colocado o caminho até o arquivo CNAB
disponibilizado pelo banco. Pode-se utilizar o botão
para usar o assistente de
busca de arquivos do Windows;

Data: Informando um período de data nestes campos, fará com que apenas linhas do
extrato cuja data esteja neste período sejam demonstradas na próxima etapa do
assistente;

Tipo de Lançamento: estes são os serviços que foram cadastrados no leiaute de
extrato CNAB e somente as linhas do extrato que apresentarem alguns dos serviços
marcados nesta grade serão exibidos na etapa seguinte. Caso não exista nenhum
serviço na grade, o programa irá interromper o avanço do assistente. Caso nenhum
140
dos serviços esteja marcado nesta grade, serão considerados todos os serviços
cadastrados para este leiaute;

Contas Bancárias: Aqui são mostradas todas as contas bancárias do cadastro de
Contas Bancárias da Empresa que estão associadas ao leiaute selecionado no
campo Leiaute desta tela do assistente. Caso não exista nenhuma conta na grade, o
programa irá interromper o avanço do assistente. Caso nenhuma das contas esteja
selecionada na grade, o programa irá considerar todas elas.
Uma vez que os filtros tenham sido escolhidos, ao clicar-se sobre o botão Seguinte
novamente, o programa irá carregar as linhas de extrato encontradas do arquivo na grade da
próxima etapa.
7.3.2
Escolha das linhas de extrato
Esta etapa do assistente permite a seleção das linhas de extrato que serão importadas para
o SAP Business One. Assim como a importação de arquivos de retorno, existem três possibilidades
para a identificação das linhas de extrato. Segue uma descrição delas.
Automática
Esta é a única aba que irá realizar realmente a importação das linhas de extrato no sistema.
Para que um extrato seja enviado para esta aba, é necessário que o Código da conta, Código do
banco e o Valor de identificação do registro estejam iguais aos cadastrados. Também é necessário
que o código do serviço encontrado no arquivo esteja cadastrado no leiaute do extrato. A Figura
133 demonstra um exemplo desta tela.
141
Figura 133: Assistente para extratos CNAB - Automática
Somente os boletos que estiverem marcados na aba de Automática serão importados para
dentro do SBO. Estas linhas de extrato serão apresentadas em um demonstrativo ao final da
importação, na tela de resultados.
Manual
As linhas de extrato que se encontram na aba Manual (Figura 134) são porque apresentaram
uma identificação correta, com base no identificador de registros do extrato e quanto ao código do
banco, mas que falharam em outros quesitos como: o Tipo de lançamento do extrato não é referente
ao mesmo encontrado nele;
Qualquer que seja o motivo, as linhas do extrato que fizerem parte da aba Manual não serão
importadas para o sistema, devendo-se realizar as devidas correções para que estas linhas
apareçam na aba automática, caso deseje que o sistema as importe.
142
Figura 134: Assistente para extratos CNAB– Manual
Não-Identificados
A aba Não-Identificados apresenta as linhas de extrato cuja operação ou número da conta
do banco não foi encontrado no leiaute do extrato, ou no cadastro de Contas Bancárias da
Empresa. Assim como as linhas de extrato exibidas na aba Manual, as linhas exibidas nesta aba
não serão importadas no sistema. Um exemplo desta tela pode ser encontrado na Figura 135.
Figura 135: Assistente para extratos CNAB– Não-Identificados
143
7.3.3
Resultados
A aba de resultados apresenta um pequeno resumo das linhas de extrato que foram
importadas no sistema, conforme demonstrado na Figura 136.
Figura 136: Assistente para extratos CNAB – Resultados
Estas linhas do extrato que foram importadas no sistema podem ser encontradas na tela
Módulos | Banco | Extratos bancários e reconciliações externas | Processar extrato bancário
externo.
O cadastro destas linhas utiliza a conta contábil do banco que está cadastrada no campo
Conta contábil em Contas Bancárias da Empresa para o mesmo código do banco e número da
conta que foi encontrado na linha do extrato.
Uma vez feita esta importação das linhas de extrato para esta tela, o usuário do SBO poderá
partir para a reconciliação manual dos boletos.
Por padrão, a tela Processar extrato bancário externo (Figura 137) não vem com sua
visibilidade habilitada no sistema; para ativá-la, com a janela dos Módulos selecionada, clique sobre
o botão Configurações do Formulário
e marque a checkbox da tela de processamento de
extrato bancário externo.
144
Figura 137: Processar extrato bancário externo
7.4. Administração e importação de boletos por DDA
O processo de Débito Direto Autorizado (DDA) adaptado para o SAP Business One se dá
por meio da importação de um arquivo de retorno, seguindo o modelo CNAB. Os dados importados
deste arquivo são utilizados para criar novos documentos de Contas a Pagar com meio de
pagamento por boleto, sendo estes associados a notas fiscais de entrada ou lançamentos
contábeis manuais de crédito ao fornecedor ou cliente.
Para iniciar o administrador e o assistente de importação de boletos por DDA do BankSync,
utilize o menu que se encontra em Módulos | Banco | Boletos por DDA.
7.4.1
Importação do arquivo de DDA
Ao acessar Módulos | Banco | Boletos por DDA | Importação de Boletos por DDA, será
apresentada a opção abaixo.
Na tela apresentada (Figura 138), o usuário deverá clicar no botão Seguinte para passar ao
próximo passo.
145
Figura 138: Boletos por DDA – apresentação
O assistente terá como função, transferir todos os títulos encontrados no arquivo para a
Administração de Boletos por DDA. O assistente identificará as linhas do arquivo, possuindo uma
nota fiscal/LCM ou não, para que seja tudo vinculado no assistente por controle do usuário, portanto
será validado apenas o CNPJ do Parceiro de Negócio.
Na etapa demonstrada na Figura 139, o usuário deverá preencher os seguintes campos:

Banco: selecionar o banco que será utilizado para pagamento dos boletos;

Conta: selecionar a conta do banco que será utilizado para pagamento dos boletos;

Forma de Pagamento: selecionar a Forma de Pagamento parametrizada para essa
operação;

Arquivos: selecionar o arquivo de DDA enviado pelo banco para importação;

Filtros: caso necessário, o usuário poderá filtrar as linhas do arquivo por data de
vencimento e lançamento, conforme campos disponíveis na tela abaixo;
OBS: O leiaute de retorno DDA é parametrizado na tela de Contas bancárias da empresa,
sendo um leiaute por conta bancária. Página 43 do manual.
146
Figura 139: Boletos por DDA – parametrização
Clicando no botão Seguinte, a próxima etapa irá detalhar todos os títulos contidos no arquivo
utilizado (Figura 140). O usuário terá liberdade de marcar apenas os títulos que deseja importar
para o administrador.
Figura 140: Boletos por DDA – importação do arquivo
147
OBS: Poderão ser importadas linhas de boletos que possuem ou não documentos criados
no B1.
Concluindo o processo de importação, clicando no botão Seguinte da tela acima, o usuário
poderá verificar o status de cada título importado no seguinte caminho: B1 | Banco | Boletos por
DDA | Administração de Boletos por DDA.
7.4.2
Administração de boletos por DDA
Ao acessar essa opção do menu, será apresentada primeiramente uma tela de filtros (Figura
141), onde o usuário poderá configurá-la para encontrar com mais facilidade um determinado
documento, ou simplesmente clicar no botão OK para mostrar todos.
Figura 141: Boletos por DDA – filtro da administração
A Administração de Boletos por DDA do BankSync (Figura 142), tratará as linhas importadas
de um arquivo de retorno através das seguintes gavetas: Não Vinculado, Vinculado, Gerado e
Cancelado.
Todos os movimentos com o título de DDA deverá ser feito nesta opção, tanto a vinculação
de NF/LCM ao título, quanto à troca de status para que o DDA gere o “contas a pagar” com a nota
e parcela vinculadas ao título.
148
Figura 142: Boletos por DDA – administração de boletos

Não Vinculado: Aparecerão todos os títulos que foram importados no assistente, que
possuem ou não uma nota vinculada a ele. Esta aba servirá para o usuário vincular a
nota fiscal/documento e parcela ao título escolhido.

Vinculado: Aparecerão os títulos que estão prontos para serem gerados o ‘contas a
pagar’, isso será possível após o usuário vincular os títulos na aba anterior a um
documento, deslocando posteriormente o título para esta aba.

Gerado: Apenas mostrará os títulos já importados e que já foram criados o ‘contas a
pagar’, poderá ainda ser enviado para o status cancelado, mostrará também a data
que foi gerado o “pagamento”.

Cancelado: Na aba Não Vinculados, o usuário poderá anular a linha importada,
deslocando-a para a gaveta de ‘Cancelados’.
7.5. Transferências Bancárias
A funcionalidade de Transferências Bancárias pode ser feita de três maneiras, sendo elas
por nota fiscal de entrada, por LCM ou ainda por transferência entre contas, que possibilita a
geração de CP e a utilização da comunicação bancária, para gerar remessas e receber o arquivo
de retorno.
149
7.5.1 Administração e pagamento de transferências bancárias
O processo para administrar e pagar transferências dentro do SAP Business One, inicia-se
após criar uma nota fiscal de entrada ou LCM, onde ficará em aberto um título no Contas a Pagar
do B1. Assim esse título poderá ser pago manualmente escolhendo a opção de transferência
bancária ou então utilizando o assistente de pagamento do BankSync.
Para administrar as transferências dentro do Business One, utilize as opções encontrada no
menu Módulos | Banco | Transferências bancárias.
7.5.1.1
Pagamento das transferências
Possuindo títulos em aberto no Contas a Pagar do B1, o usuário poderá efetuar o pagamento
manual utilizando o meio de pagamento, ou então acessando o menu de Banco | Transferências
Bancárias | Assistente de Pagamento para Transferências.
Utilizando o add-on para administrar as transferências bancárias da base de dados, será
necessária a parametrização da conta contábil de compensação de transferências (Figura 143),
localizada no seguinte caminho: Administração | Configuração | Banco | Forma de pagamento |
Parâmetros BankSync.
150
Figura 143: Transferências bancárias – Conta de compensação
Caso o usuário deseja pagar manualmente e administrar o título pelo BankSync, a opção
“Enviar para comunicação bancária” da tela de Meio de pagamento deverá ser marcada, conforme
a Figura 144. Com a opção marcada, será apresentada a Conta compensação de transferências,
que foi cadastrada na tela de Parâmetros BankSync na Forma de pagamento.
151
Figura 144: Transferências bancárias – Meio de pagamento
Utilizando a opção de pagamento pelo Assistente de pagamento de transferências, o
usuário poderá efetuar o pagamento de várias transferências de uma única vez, parametrizando
alguns filtros caso necessário (Figura 145):
Figura 145: Assistente de pagamento para transferências – Filtros
No lado esquerdo inferior do assistente, dentro de uma grade serão listadas todas as Formas
de Pagamento para transferências (Contas a Pagar), onde o usuário poderá trabalhar com as
formas de pagamento que foram sugeridas nas Notas Fiscais do Business One (Figura 146).
152
Figura 146: Assistente de pagamento para transferências – Forma de pagamento sugerida
O filtro citado acima possui algumas condições como:

Selecionar todas as Formas de Pagamento: o assistente irá listar todos e apenas os
documentos que foram sugeridas Formas de Pagamento;

Selecionar algumas das Formas de Pagamento: o assistente irá listar apenas os
documentos que foram sugeridas Formas de Pagamento de acordo com o selecionado;

Não selecionar as Formas de Pagamento: o assistente irá listar todos os documentos,
indiferentemente se foram ou não sugeridas Formas de Pagamento;
No passo seguinte do assistente, serão listados os documentos em aberto no Contas a
Pagar do Business One.
Na tela foi adicionada a coluna “Forma de Pagamento”, onde irá listar as formas de
pagamento sugeridas nas Notas Fiscais, ou caso não forem, estarão em branco para
preenchimento manual ou automático (Figura 147).
153
Figura 147: Assistente de pagamento para transferências – Preenchimento da Forma de Pagamento
Na parte inferior esquerda da tela do assistente, foi adicionado um campo para seleção de
Forma de Pagamento e também foi adicionada uma checkbox para Exportar remessa após
geração (Figura 148).
Figura 148: Pagamento para transferências – Forma de Pagamento – Exportar remessa após geração

Exportar remessa após geração
Caso o usuário checar essa opção, a remessa gerada será enviada para a pasta Outbox,
aonde será efetuada a comunicação bancária de modo automático.

Forma de pagamento
Caso o usuário deseja ignorar as formas de pagamento sugeridas nos documentos, ou então
selecionar formas de pagamento para as Notas Fiscais que estão sem sugestões, o mesmo poderá
utilizar este campo, pois após a seleção das linhas e em seguida da forma de pagamento, a coluna
“Forma de Pagamento” na grade é preenchida automaticamente.
154
Exemplo
Duas notas estão em aberta, porém não foram sugeridas Forma de Pagamento na
sua emissão. Na grade do assistente será apresentada a coluna em branco, possibilitando
ao usuário preenche-la com a Forma de Pagamento que desejar:
Figura 149: Assistente de pagamento para transferências – Forma de Pagamento não sugerida
Em seguida o usuário poderá informar qual Forma de Pagamento será utilizada para
pagamento das notas que foram selecionadas na grade:
Figura 150: Assistente de pagamento para transferências – Seleção da Forma de Pagamento
Após a seleção, o assistente automaticamente preenche ou atualiza a coluna Forma
de Pagamento da grade:
Figura 151: Assistente de pagamento para transferências – Atualização da Forma de Pagamento
155
A grade localizada no lado direito da tela do assistente, possui também alguns filtros em
relação aos Parceiros de Negócio, onde o usuário poderá filtrar por grupos de fornecedores, ou até
mesmo individualmente, marcando os parceiros para que os mesmos sejam apresentados na
próxima tela de seleção.
Dentre várias informações que o assistente trás em relação aos títulos encontrados, é
possível modificar as informações dos seguintes campos na grade: Cp. Referência, Cp. Obs do
Diário, CP. Pagar A, Pagar a. Endereço, Pagar a. País, Pagar a. Banco, Pagar a. Conta, Pagar
a. Filial. Ambas as colunas tratam-se de informações que estarão presentes no Contas a Pagar
destes títulos, assim que a transação for concluída (Figura 152).
Figura 152: Assistente de pagamento para transferências – Campos adicionais
Estas informações podem ser encontradas nos locais abaixo, de acordo com a Figura 153 e
Figura 154:
Figura 153: Assistente de pagamento para transferências
156
Figura 154: Assistente de paramento para transferências
Após a seleção dos títulos, o usuário poderá clicar no botão Seguinte e assim o pagamento
das transferências selecionadas serão efetuados.
Contabilização
Após a geração das transferências, a contabilização do processo pelo BankSync ficará da
seguinte forma:
Criação da transferência (modo manual ou utilizando o assistente de pagamento de
transferências):
Crédito – Conta transitória (cadastrada em Parâmetros BankSync)
Débito – Parceiro de negócios
Pagamento da transferência (movimentando a transferência para gaveta Paga pelo modo
manual ou via arquivo de retorno):
Crédito – Conta da empresa
Débito – Conta transitória (cadastrada em Parâmetros BankSync)
157
7.5.1.2
Administração das transferências
Ao acessar o seguinte caminho: Módulos | Banco | Transferências bancárias |
Administração de Transferências Bancárias, o usuário poderá administrar todas as
transferências lançadas na base de dados. Esta atividade é semelhante à de administração de
boletos do SAP Business One, porém para transferências.
Ao acessar a opção, a tela abaixo (Figura 155) para parametrização de filtros será
apresentada, fornecendo ao usuário opções para filtrar seus documentos conforme suas
necessidades.
Figura 155: Administração de transferências – Filtro
Após inserir ou não informações nos campos de filtros, clicando no botão OK, a tela principal
de administração irá ser apresentada, conforme Figura 156 abaixo:
158
Figura 156: Administração de transferências – Administração
A tela de Administração de transferências do BankSync segue o mesmo padrão visual e
funcional da tela de Administração de boletos do SAP, permitindo ao usuário movimentar os
documentos entre as gavetas existentes: Enviada, Gerada, Paga e Cancelada.
Na Figura 157 abaixo, detalha o processo completo do pagamento de transferências pelo
add-on BankSync:
159
• Criação do documento de entrada (NF, Adiantamento ou LCM)
1 - Documento
de Entrada
2 - Meio de
Pagamento - CP
• Manual
• Assistente de Pagamento para Transferências
• Criação do Contas a pagar para a transferência
3 - Contas a
Pagar
4 - Importação
do arquivo
• Importação do arquivo de retorno do banco
• Status modificado para Pago
Figura 157: Assistente de pagamento para transferências – Processo
1. Documento de Entrada: o usuário cria uma NF, LCM ou Adiantamento no B1;
2. Meio de Pagamento – CP: escolha de um meio para pagamento para o título criado.
Poderá ser pelo próprio Meio de pagamento do B1 (marcando a opção “Enviar para
comunicação
bancária”)
ou
utilizando
Assistente
de
Pagamento
para
Transferências. Utilizando a opção “Enviar para comunicação bancária” será
obrigatório o preenchimento da conta contábil de Compensação, parametrizada na
tela de Parâmetros BankSync na Forma de pagamento;
160
3. Contas a Pagar: após a geração da transferência bancária, o Contas a Pagar é
gerado pelo padrão SAP, atendendo todas as regras e validações do mesmo em
relação a autorizações, pagamentos parciais entre outras;
4. Importação do arquivo: após a exportação e envio do arquivo ao banco, o mesmo
retorna com o arquivo de retorno para importação na base de dados. Após a
importação dos títulos, eles devem assumir o status de Pago na Administração de
Transferências;
7.5.2 Transferências Entre Contas
Na tela de transferência entre contas será possível gerar CP e escolher a filial caso a base
seja múltiplas filiais. Na opção Conta Origem será selecionada a forma de pagamento de tipo
transferência, que será o meio de pagamento do contas a pagar. Já na opção Conta Destino, será
informada a conta bancária que irá receber o pagamento. O campo Conta Contábil irá receber a
informação da coluna Conta Contábil informada na Conta Bancária.
Obs. 1: Na tela de transferência a opção Conta de Compensação não será obrigatória, sendo
assim, ao efetuar o pagamento da transferência o BS não irá gerar o LCM de pagamento.
Obs. 2: A combobox de filial só estará habilitada para bases múltiplas filiais.
Figura 158:Transferência Entre Contas
161
Figura 159:Transferência Entre Contas Múltiplas filiais
Leiaute de Arquivo de Remessa
Para atender as especificações do banco foram criados novos databeses de transferências
são eles:




Transferência entre contas – Banco Destino
Transferência entre contas – Conta Destino
Transferência entre contas – DV da Conta Destino
Transferência entre contas – Agência Destino
7.6. Administração de Cartão de Crédito
A partir da versão 7.0.0, o BankSync contempla a funcionalidade de administração de cartão
de crédito, onde o add-on irá tratar e automatizar o processo de importação dos comprovantes e
baixa dos depósitos no SAP Business One.
7.6.1
Parametrizações iniciais
No seguinte caminho: Administração | Inicialização do Sistema | BankSync | Configuração
Cartão de Crédito, será possível parametrizar as contas contábeis onde serão efetuados os
162
lançamentos, conforme ilustrada na Figura 160. Estas contas também poderão ser parametrizadas
acessando a tela de Parâmetros BankSync diretamente na Forma de pagamento.
Figura 160: Cartão de Crédito – Parâmetros
No caminho: Administração / Configuração / Banco / Operadora de Carão de Crédito, o
cliente poderá cadastrar todas as operadoras e bandeiras dos cartões de crédito que o mesmo
utiliza (
Figura 161). As mesmas serão utilizadas no processo de importação para meio de
visualização e agrupamento de LCMs.
Figura 161: Cartão de Crédito – Operadora de Cartão de Crédito
OBS: O processo de tratamento e cadastro de Operadoras de cartão, está disponível
apenas a partir da versão 8.0.8 do add-on.
Com a configuração da Operadora/Bandeira, no assistente de importação será possível a
visualização e agrupamento dos comprovantes, conforme Figura 162.
163
Figura 162: Cartão de Crédito – Importação com Bandeiras
Acessando o caminho: Administração / Configuração / Banco / BankSync / Leiaute de
Cartão de Crédito, o usuário poderá parametrizar o leiaute de retorno (Contas a receber) para
identificar o arquivo com lançamentos do cartão (Figura 163).
Figura 163: Cartão de Crédito – Leiaute de Retorno (identificação)
164
O leiaute para cartão de crédito do BankSync atende dois padrões de arquivos de retorno:
Normal e VANS. Abaixo as particularidades para configuração dos dois padrões:
Identificação NSU/CV

Cabeçalho: configuração da identificação do cabeçalho no arquivo de cartão de crédito;

Identificação
do
comprovante:
configuração
da
identificação
da
linha
do
comprovante no arquivo de cartão de crédito;

Identificação da parcela: identifica parcelas do leiaute da operadora REDE para um
determinado registro.

Comprovante (NSU/CV): configuração da identificação do comprovante no arquivo de
cartão de crédito;

Operação (RO/RV): configuração da operação no arquivo de cartão de crédito.

Banco: configuração do banco no arquivo de cartão de crédito, utilizado geralmente para
extratos do tipo financeiro.

Agência: configuração da agencia no arquivo de cartão de crédito utilizada geralmente
para extratos do tipo financeiro.

Conta: configuração da conta no arquivo de cartão de crédito utilizado geralmente para
extratos do tipo financeiro.

Valor do comprovante: configuração da identificação do valor do comprovante no
arquivo de cartão de crédito;

Valor do imposto do comprovante: configuração da identificação do valor do imposto
do comprovante no arquivo de cartão de crédito;

Valor da comissão do comprovante: configuração da identificação do valor da
comissão do comprovante no arquivo de cartão de crédito;

Valor da parcela: configuração do valor da parcela no arquivo de cartão de crédito.

Data do documento: configuração da identificação da data de lançamento do
comprovante no sistema;

Data de vencimento: configuração da identificação da data de vencimento do
comprovante no sistema;

Parcela: configuração da parcela no arquivo de cartão de crédito.

Quantidade de parcelas: configuração da quantidade de parcelas no arquivo de cartão
de crédito.
165
Identificação RO/RV

Identificação da operação: configuração da identificação da linha de Registro de
Operação/Resumo de Vendas (RO e RV) no arquivo de cartão;

Código do estabelecimento: Configuração para bases múltiplas filiais que podem
conter o mesmo NSU para filiais diferentes.

Quantidade de CVs aceitos: configuração da identificação da quantidade de
comprovantes aceitos por RO/RV;

Operação (RO/RV): configuração da identificação do RO/RV no arquivo de cartão. Tratase de uma sequência de informações na linha do RO/RV, onde a mesma sequência
estará contida nos comprovantes dentro deste registro. Essa identificação servirá para
agrupar os comprovantes juntamente com seus respectivos RO/RV;

Valor da operação: configuração da identificação do valor de operação contido no
RO/RV;

Valor do imposto: configuração da identificação do valor de imposto contido no RO/RV;

Valor da comissão: configuração da identificação do valor de comissão contido no
RO/RV;

Data do documento: configuração da identificação no RO/RV.

Data do vencimento: configuração da identificação no RO/RV.

Banco: configuração de identificação do banco no RO/RV.

Agência: configuração de identificação da agencia no RO/RV.

Conta: configuração de identificação da conta no RO/RV.
OBS: os valores de Comissão e Imposto identificados no arquivo serão lançados como
LCMs nas contas contábeis parametrizadas na tela de Parâmetros de Cartão de Crédito.
VANS
Primeiro passo para configuração do leiaute de cartão de crédito VANS, é localizar os
identificadores no arquivo de retorno.
A forma de identificação deste leiaute é semelhante à identificação do arquivo de Extrato
Simples, por meio de delimitadores, sinais que dividem uma informação da outra dentro do arquivo
de retorno (Figura 164).
166
Figura 164: Cartão de Crédito – Arquivo VANS

Identificação do arquivo: configuração da identificação do cabeçalho, comprovante
(registro) e rodapé do arquivo de cartão (Figura 165);
Figura 165: Cartão de crédito – Identificação VANS

Delimitador: indicação do delimitador que o arquivo está utilizando para separação das
informações;

Identificação dos campos: configuração da identificação dos campos pertinentes ao
comprovante do cartão de crédito;

Coluna Ativo: permite ao usuário ativar ou desativar uma determinada informação, de
acordo com a existência dela no arquivo de retorno de cartão;

Coluna Ordem: será informada a ordem em que a informação está posicionada no
arquivo de retorno, levando em consideração o delimitador configurado.
167
Conforme exemplo do arquivo abaixo, cada informação sinalizada está separa por seu
delimitador, onde o usuário terá de informar a ordem em que ela se encontra: 1, 2, 3, 4, 5 e
6.

Formato: Apresenta qual formato a informação está representada no arquivo de retorno;
Para utilização do leiaute configurado, é necessário vincula-lo a uma forma de pagamento.
Acessando o seguinte caminho: Administração / Configuração / Banco / Forma de pagamento /
Parâmetros BankSync, um campo foi adicionado para inserir o código do leiaute para cartão de
crédito:
Figura 166: Cartão de Crédito – Forma de pagamento
VANS (Ocorrências)
Esta aba com nome Ocorrências, é semelhante a já existente para leiaute de arquivo de
retorno normal, que tem como função atribuir ações a ocorrências retornadas no arquivo de forma
168
individual. Inicialmente a aba ficará habilitada somente para o tipo de leiaute VANS, para o normal
ficará desabilitada (Figura 167).
Figura 167: Cartão de crédito – Identificação de ocorrências

Ordem: Local definido pelo usuário de onde o BankSync buscará a informação
necessária para o funcionamento da ocorrência.

Local: É possível definir configurar uma ocorrência para o Cabeçalho ou para o
Registro.

Posição: Posição da ocorrência no arquivo.

Identificação de ocorrências: De acordo com as ocorrências retornadas em um
arquivo, o usuário poderá atribuir ações a ela, na coluna Ação será possível determinar
se o BankSync efetuar a baixa ou não do depósito.
7.6.2
Processo
Gerando o “Contas a Receber” com meio de pagamento do tipo Cartão de Crédito (Figura
168), o depósito ficará em aberto para que o BankSync faça a automatização do processo na
importação do arquivo de retorno do comprovante (Figura 169).
169
OBS: o número do comprovante a ser digitado deve possuir apenas números, caso
contrário, ocasionará bloqueios na importação do arquivo.
Figura 168: Cartão de Crédito – Meio de pagamento
Figura 169: Cartão de Crédito – Depósito em aberto
O campo “Encargos bancários” localizado na direita da tela de Meio de pagamento do
Business One, permitirá ao usuário informar um valor de encargo que a operadora pode estar
cobrando pela operação. Quando informado, na baixa do comprovante é feito um lançamento
contábil para a operadora (Parceiro de negócio cadastrado no B1), de acordo com a parametrização
feita na tela de Configuração Cartão de Crédito, apresentada anteriormente.
170
Após as parametrizações iniciais e a geração do “Contas a Receber”, o usuário poderá
importar o arquivo de retorno acessando o seguinte caminho: Banco / Cartão de crédito /
Importação de Cartão de Crédito.
Na tela principal do assistente, será possível filtrar as informações pela data de vencimento,
inserir a Forma de Pagamento e o arquivo a ser importando, incluindo o tipo de leiaute que será
utilizado no processo, Normal ou VANS (Figura 170):
Figura 170: Cartão de Crédito – Importação do retorno
OBS 1: A Forma de Pagamento estará disponível somente se o leiaute de retorno estiver
configurado na mesma.
Quando o tipo for VANS, a grade ilustrada na imagem acima, será habilitada, permitindo ao
usuário selecionar uma ou mais Formas de pagamento para identificação de arquivo VANS.
Figura 171: Cartão de Crédito – Grade de Forma de pagamento
171
Quando configurada as informações de Banco, Agência e Conta no leiaute de retorno do
cartão VANS (Figura 172), será possível selecionar várias Formas de pagamento possuindo várias
contas bancárias. No final do processo, de acordo com a identificação das contas, a contabilização
será feita em cada conta configurada na Forma de pagamento.
Figura 172: Cartão de Crédito – Campos de conta
No próximo passo do assistente, o mesmo irá identificar as linhas do arquivo obedecendo
algumas regras:
Figura 173: Cartão de Crédito – Importação do retorno (identificação)
 As linhas identificadas aparecerão totalmente preenchidas caso o número do comprovante
a ser importado, possuir vinculo a um depósito em aberto na base de dados (Figura 173);
 As linhas identificadas aparecerão com ausência de algumas informações, quando o número
do comprovante não possuir vínculo com nenhum depósito, ocorrendo geralmente quando
o mesmo for criado após a importação do arquivo. Neste caso a linha do comprovante ficará
em aberto no Administrador de Cartões de Crédito;
172
 As linhas ocuparão a aba Manual, caso o comprovante já tenha sido importado e já esteja
no Administrador de Cartão de Crédito;
 As linhas não serão apresentadas em nenhuma das abas quando ocorrer alguma
inconsistência na parametrização do leiaute de retorno;
OBS: em todos os casos para suporte do usuário, a coluna Motivo do assistente
disponibilizará informações em relação ao posicionamento da linha do comprovante.
Para administrar as linhas dos comprovantes, o usuário poderá acessar o seguinte caminho:
Banco / Cartão de Crédito / Administrador de Cartão de Crédito.
Figura 174: Cartão de Crédito – Administrador
 Não Vinculado: os comprovantes que forem importados antes de gerar o “Contas a
Receber” estarão ocupando esta gaveta. Quando possuir vínculo entre as linhas importadas
e um depósito em aberto, ao acessar a gaveta será apresentada a mensagem ilustrada na
Figura 175 abaixo, informando ao usuário o vínculo existente:
Figura 175: Cartão de Crédito – Mensagem de vínculo
173
 Vinculado: caso o usuário marque a opção “Sim”, de vincular o comprovante existente, o
mesmo será movimentado para a gaveta Vinculado, para que possa ser depositado
posteriormente pelo processo manual;
 Depositado: estarão presentes nesta gaveta, os comprovantes que na importação do
arquivo de retorno já possuíam um depósito em aberto, ou forem manualmente
movimentados da gaveta de Vinculado. Neste status o depósito já está vinculado e baixado
(Figura 174);
 Cancelado: o usuário poderá cancelar o depósito movimentando uma linha para a gaveta
“Cancelado”, onde o depósito ficará em aberto novamente para receber uma nova linha de
comprovante;
7.6.3 Reconciliação de Cartão de Crédito
A reconciliação de cartão de crédito foi desenvolvida para auxiliar nas baixas de pagamentos
da operadora REDE que tem como padrão efetuar primeiramente a importação do arquivo EEVC,
que terá as informações da venda. O segundo passo é a importação do arquivo EEFI que terá as
informações financeiras, assim podendo ser efetuadas as baixas pela tela de Reconciliação de
Cartão de Crédito.
OBS.: para que as linhas apareçam na grade “Extrato de Vendas” as mesmas precisam estar
vinculadas a um comprovante em aberto.
174
Figura 176: Reconciliação de Cartão de Crédito
Funcionamento
A reconciliação efetuada na tela de reconciliação de cartão de crédito irá movimentar o
comprovante para as gavetas “Vinculado” ou “Depositado”, da tela de Administração de Cartão de
Crédito.
1) Selecionar alguma linha do Extrato Financeiro que corresponda a linha de Extrato de
Vendas. O número do resumo de vendas, o número e valor da parcela devem coincidir.
2) A grade Depósito é preenchida conforme a reconciliação das grades acima, Extrato
Financeiro e Extrato de Vendas.
3) Definir uma ação na combobox “Deslocar Para” e clicar em Reconciliar, para executa a ação
definida. As linhas da grade Depósito serão movimentadas para a tela de Administração de
Cartão de Crédito conforme ação definida e seu status será alterado para Vinculado.
175
Cancelamento de Comprovantes
Comprovantes vinculados ou depositados pela tela de Reconciliação de Cartão de Crédito
matem um vínculo com a linha do extrato de vendas. Caso o mesmo necessite de cancelamento,
a linha na qual o mesmo se encontra vinculado precisa ser cancelada também. Assim que
canceladas as linhas dos extratos financeiro e de venda, devem ser tratadas para poderem ser
reimportadas.
Remoção de Linhas
As linhas que poderão ser removidas são da grade Extrato de Vendas, Extrato Financeiro e
Depósito.
As linhas do Extrato de Vendas e Extrato Financeiro que forem removidas terão o status
alterado para Cancelado, permanecendo para possíveis relatórios futuros. As linhas da grade de
Depósito quando forem removidas, apenas irá desfazer a vinculação, mas não rá alterar o status
por ser apenas de visualização.
Figura 177: Cancelamento de Comprovantes
176
7.7.
Pagamento de Tributos
Essa funcionalidade, baseada no padrão FEBRABAN, permite que o usuário efetue
lançamentos de tributos dentro do SAP Business One. O processo oferece ao usuário uma grande
flexibilidade no pagamento de tributos, sendo eles federais, estaduais ou municipais.
A tela principal está localizada no seguinte caminho: Banco | Pagamento de Tributos.
7.7.1 Configuração de pagamento de tributos
Para utilização do processo de pagamento de tributos, é necessária uma configuração inicial
na base de dados. Esta opção de configuração está localizada no seguinte caminho:
Administração | Inicialização do sistema | BankSync | Configuração pagamento de tributos.
Na tela referenciada na (Figura 178), são listados os principais tributos para pagamento
dentro do Business One/BankSync. De acordo com a necessidade da empresa, o usuário poderá
habilitar/desabilitar os tipos de tributos e configurar apenas os que forem utilizar.
Figura 178: Pagamento de tributos –Configuração de tributos
Após a seleção das opções, o usuário deve salvar suas alterações clicando no botão
“Atualizar”. Em seguida, terá que configurar cada opção selecionada, clicando duas vezes na linha
do tributo.
177
7.7.2 Configuração de pagamento de tributos – Detalhes
Com a ação descrita anteriormente, uma tela de detalhamento da configuração de tributos
irá aparecer para o usuário (Figura 179).
Aba Campos
Essa aba tem como função, permitir que o usuário selecione campos para um determinado
tributo. Estes campos ficarão visíveis na tela principal de pagamento de tributos, ou seja, são os
campos que o usuário irá preencher para o lançamento do tributo.
Para cada tributo, o BankSync traz selecionados como default, alguns campos específicos
de cada tributo, de acordo com o manual do FEBRABAN. Porém o usuário tem liberdade para
modificar esta parametrização default, selecionando novos campos de acordo com sua
necessidade.
Figura 179: Pagamento de tributos – Configuração de campos
Caso exista campos que não estejam listados na tela de configuração, o usuário poderá
utilizar os Campos adicionais. Para configurar os campos adicionais, basta informar o nome do
campo e a tabela que o mesmo se encontra. Ele buscará informações de outros campos da tela de
lançamento contábil manual do Business One, podendo ser um campo de usuário de outro add-on
ou até mesmo adicionado pelo usuário no sistema.
178
OBS: Para saber o nome do campo e da tabela, pressione CTRL + SHIFT + I, e passe o
mouse sobre os campos para ver seus devidos nomes e a tabela que se encontram.
Figura 180: Pagamento de tributos – Nome de campo e tabela
OBS: Para melhor identificação, é possível modificar o nome da coluna através do atalho do
próprio Business One, clicando CTRL + duplo clique em cima da coluna. Ao mudar o nome da
coluna, irá mudar o nome para todos os tributos.
Figura 181: Pagamento de tributos – Alteração da coluna
179
Aba Forma de pagamento
Nesta aba o usuário poderá habilitar as formas de pagamento para cada tributo. Essa função
servirá como filtro no momento do lançamento do tributo, também impedirá que os usuários lancem
tributos com formas de pagamento incorretas.
Também é possível definir uma forma de pagamento como padrão, para quando o tributo for
selecionado, a forma de pagamento seja selecionada automaticamente.
Figura 182: Pagamento de tributos – Configuração da forma de pagamento
7.7.3 Pagamento de tributos
Na tela de pagamento de tributos, serão efetuados os lançamentos dos documentos, levando
como base, um lançamento contábil manual do Business One. Esta opção está disponível no
seguinte caminho: Banco | Pagamento de tributos.
180
Figura 183: Pagamento de Tributos – Tela principal
Essa tela permite lançar tributos de duas maneiras:
Buscando LCM criado na base de dados
Na tela de Lançamento contábil manual, foi adicionado um campo para seleção de tributos
(Figura 184). Quando o usuário inserir um LCM no Business One que seja especificamente de
tributos, ele deve selecionar neste campo, qual tributo o LCM representa.
OBS: apenas os LCMs com esta configuração irão aparecer na tela de pagamento de
tributos.
Figura 184: Pagamento de tributos – Seleção de tributos LCM
Após o lançamento do LCM, na tela de pagamento de tributos, o usuário irá utilizar o
cabeçalho da tela, filtrando os LCMs da base de dados de acordo com: data de vencimento, data
de lançamento, data do documento entre outros filtros disponíveis.
181
Quando clicar no botão “Pesquisar”, serão listados na grade, LCMs de acordo com os filtros
inseridos pelo usuário.
Figura 185: Pagamento de tributos – Listagem dos LCMs
Algumas colunas já virão preenchidas devido as informações do LCM, portanto, o usuário
terá que preencher apenas os campos restantes que são específicos do tributo. Em seguida deve
selecionar uma forma de pagamento para efetuar o lançamento do tributo (Figura 186), após a
seleção clicar em “Adicionar”.
Figura 186: Pagamento de tributos – Seleção da forma de pagamento
Lançando o LCM e o tributo na mesma tela
Caso o usuário deseja lançar o LCM e o tributo na mesma tela, esse processo é possível.
Ao invés de utilizar os campos de filtro no cabeçalho da tela, o usuário deve clicar no botão
“Adicionar” logo abaixo da grade (Figura 187).
Figura 187: Pagamento de tributos – Inserir linha de LCM
182
Uma nova linha aparecerá na grade da tela, onde o usuário deverá preencher manualmente
todas as informações referentes ao LCM e também ao tributo que está sendo lançado. Nesse caso,
tanto o LCM quando o tributo propriamente dito, serão lançados no mesmo momento da ação do
botão “Adicionar” (canto inferior esquerdo da tela).
Cancelamento dos tributos
Para cancelar os documentos lançados, o usuário poderá efetuar esta ação clicando com
botão direito do mouse na tela de pagamento de tributos, onde aparecerá duas opções:
 Cancelar: como a tela de pagamento de tributos é um documento (mesma função da tela
de Contas a pagar), a ação desta opção irá cancelar todos os tributos lançados na grade,
de uma só vez.
 Cancelar linhas selecionadas: caso o usuário deseja cancelar apenas uma linha de
tributo contida em um documento, deve ser selecionada a linha e utilizada esta opção de
cancelamento. Com isso apenas o tributo selecionado será cancelado, os demais contidos
no documento continuarão gerados.
OBS: quando é efetuado um cancelamento, o add-on questiona o usuário se o mesmo
deseja cancelar o LCM e o Contas a pagar, ou então somente o Contas a pagar.
Dicionário de funcionalidades
 Botão “Pesquisar”: traz os LCMs em aberto;
 Botão “Adicionar”: adiciona uma nova linha na grade para lançamento de LCM e tributos
no mesmo processo;
 Botão “Remover”: remove a linha que estiver selecionada na grade;
 Botão “OK / Adicionar”: adiciona o tributo contido na grade;
 Botão “Cancelar”: cancela o lançamento do tributo;
 ComboBox “Forma de pagamento”: define a forma de pagamento para todas as linhas
de tributos;
 CheckBox “Gerar remessa”: gerar remessa após o lançamento do tributo;
 Opção “Cancelar” (Botão direito): cancela todos os tributos da grid;
 Opção “Cancelar linhas selecionadas” (Botão direito): cancela os tributos das linhas
que foram selecionadas;
183
7.7.4 Geração do Contas a pagar
Quando um tributo é lançado pela tela detalhada anteriormente, um Contas a pagar é criado
automaticamente, de acordo com o meio de pagamento contido na forma de pagamento
selecionada.
Para identificação de um Contas a pagar de tributos, o usuário poderá fazer uso do campo
“Tributo” (Figura 188), criado especificamente para documentos que foram criados a partir da tela
de Pagamento de tributos do BankSync. Este campo trará o número do documento e permitirá que
o usuário acesse a tela de pagamento de tributos, clicando na seta laranja.
Figura 188: Contas a pagar - Tributos
7.7.5 Exportação de Arquivo de Remessa
Na exportação de tributos, o usuário terá a opção de gerar o arquivo diretamente da tela de
Pagamento de tributos, ou então utilizando o método normal (Assistente de exportação).
Para que todos os dados inseridos no processo possa ser exportado no arquivo de remessa,
o usuário poderá utilizar databases específicos para tributos.
184
OBS: estes databases estão detalhados no capítulo Databases.
Figura 189: Definição do registro – Database
Código
1
2
6
7
3
12
13
14
4
Nome
Todos os Títulos
Títulos do Próprio Banco
Títulos do Próprio Banco – Registrados
Títulos do Próprio Banco – Não Registrados
Títulos de Outros Bancos
Detalhe de Transferência
Detalhe de Transferência – Próprio Banco
Detalhe de Transferência – Outros Bancos
Herdar do Nível Anterior
Database
Campo/Função
Retorno
Tributo – Número do registro
@SIEBS_TRBP.Code
Tributo – Data de emissão
@SIEBS_TRBP.U_Date
Tributo – Valor total
Tributo – Código da receita
@SIEBS_ RBP1.U_Value
@SIEBS_ RBP1.U_RecCode
Tributo – Número do documento
@SIEBS_RBP1.U_DocNum
Tributo – Competência
@SIEBS_ RBP1.U_Compet
Tributo – Número da referência
@SIEBS_ RBP1.U_RefNum
Tributo – Data da apuração
@SIEBS_ RBP1.U_Date
Tributo – Data do exercício
@SIEBS_ RBP1.U_DateEx
Tributo – Número da parcela
@SIEBS_ RBP1.U_PortNum
Tributo – RENAVAM
@SIEBS_ RBP1.U_Renavam
Retorna o número do registro do
documento de tributo
Retorna a data de emissão do
documento de tributo
Retorna o valor total do tributo
Retorna o código da receita do
tributo
Retorna o número do documento
do tributo
Retorna a data da competência
do tributo
Retorna o número da referência
do tributo
Retorna a data de apuração do
tributo
Retorna a data de exercício do
tributo
Retorna o número da parcela do
tributo
Retorna o número do RENAVAM
do tributo
185
Tributo – Novo RENAVAM
@SIEBS_ RBP1.U_NRenavam
Tributo – Placa do veículo
@SIEBS_RBP1.U_Placa
Tributo – Percentual da receita
@SIEBS_RBP1.U_Percent
Tributo – Observações
Tributo – Valor do tributo
Tributo – Valor da receita
acumulada
Tributo – Valor de outras entidades
@SIEBS_RBP1.U_Comments
@SIEBS_ RBP1.U_ValueTrb
@SIEBS_ RBP1.U_ValueRec
@SIEBS_ RBP1.U_ValueEnt
Retorna o número do novo
RENAVAM do tributo
Retorna o número da placa do
tributo
Retorna o percentual da receita
bruta do tributo
Retorna a observação do tributo
Retorna o valor bruto do tributo
Retorna o valor da receita bruta
acumulada do tributo
Retorna o valor de outras
entidades do tributo
Tabela 3: Database Tributos
Código
10
11
5
Nome
Rodapé de
Título
Rodapé de
Transferência
Rodapé de
Arquivo
Database
Campo/Função
Retorno
Tributo – Valor total de tributos
@SIEBS_ RBP1.U_ValueTrb
Retorna a soma do valor de tributos das
linhas
Tributo – Valor total receita
acumulada
@SIEBS_ RBP1.U_ValueRec
Retorna a soma do valor de receita
acumulada das linhas
Tributo – Valor total outras entidades
@SIEBS_ RBP1.U_ValueEnt
Retorna a soma do valor de outras entidades
das linhas
Tributo – Valor total atualização
monetária
@SIEBS_ RBP1.U_ValueMnt
Retorna a soma do valor de atualização
monetária das linhas
Tributo – Valor total de multas
@SIEBS_ RBP1.U_ValueMlt
Retorna a soma do valor de multas das linhas
Tributo – Valor total de juros
@SIEBS_ RBP1.U_ValueJr
Retorna a soma do valor de juros das linhas
Tributo – Total do valor adicional 1
@SIEBS_ RBP1.U_FieldVl1
Retorna a soma do valor adicional 1 das
linhas
Tributo – Total do valor adicional 2
@SIEBS_ RBP1.U_FieldVl2
Retorna a soma do valor adicional 2 das
linhas
Tributo – Total do valor adicional 3
@SIEBS_ RBP1.U_FieldVl3
Retorna a soma do valor adicional 3 das
linhas
Tributo – Total do valor da linha
@SIEBS_ RBP1.U_ValTot
Retorna a soma do valor total da linha de
tributo
Tabela 4: Database Tributos – Rodapé
186
8. Databases
Os databases são um conjunto de campos do banco de dados ou rotinas que realizam algum
cálculo específico, como por exemplo, os contadores de lote, que estão disponíveis para o usuário
na configuração dos leiautes de arquivo de remessa do BankSync.
Este capítulo tem como objetivo detalhar os databases disponíveis, especificando o que cada
um faz e também exemplificando o seu uso caso necessário.
Os databases estão disponíveis para configuração, na Definição do Registro do Leiaute
de Remessa, conforme Figura 190 abaixo:
Figura 190: Definição do registro – Databases
Ao clicar no botão Definição do Campo para uma linha do tipo Database, é possível
selecionar o database desejado conforme Figura 191 abaixo:
187
Figura 191: Definição do campo – Base de Dados (Databases)
8.1. Databases – Boleto

Boleto - Chave Única
Retorna a chave única do boleto no banco de dados – Campo BoeKey da tabela OBOE.

Boleto - Código de Barras
Retorna o código de barras do boleto – Campo Barcodenum da tabela OBOE.

Boleto - Data de Vencimento
Retorna a data de vencimento do boleto – Campo DueDate da tabela OBOE.

Boleto - Data do Documento
Retorna a data de lançamento do boleto – Campo PmntDate da tabela OBOE.

Boleto - Dígito do Nosso Número
Retorna o dígito verificador do nosso número – Campo OurNumChk da tabela OBOE.

Boleto - Endereço de Cobrança (Tipo Rua, Nº)
188
Retorna o Tipo do Logradouro + Rua + Nº da Rua – Campos AddrType, Street e StreetNo
da tabela CRD1 (Traz o primeiro endereço de cobrança cadastrado, não marcado como padrão).

Boleto - Linha Digitável
Retorna a linha digitável do boleto (47 dígitos) – Campo Barcoderep da tabela OBOE.

Boleto - Nosso Número
Retorna o nosso número gravado no boleto – Campo OurNum da tabela OBOE.

Boleto – Número do boleto
Retorna o número do boleto – Campo BoeNum da tabela OBOE.

Boleto - Referência 1
Retorna o número da referência do boleto – campo RefNum da tabela OBOE.

Boleto - Referência 2
Retorna a referência 2 do boleto – Campo Ref2 da tabela OBOE.

Boleto - Status [S-Enviado|G-Gerado|C-Cancelado]
Retorna “S” quando o status é “Enviado”, “G” para “Gerado” e “C” para “Cancelado” – Campo
BoeStatus da tabela OBOE.

Boleto - Valor de mora por dia de atraso
Retorna o valor da mora por dia de atraso calculado sobre a taxa configurada no campo “%
de juros sobre obrigações” do cadastro de Parceiros de Negócio – Campo IntrstRate da tabela
OCRD.
Ex.: R$100,00 (Valor do Boleto) / 1% (Juros cadastrado no Parceiro de Negócios)
1% de R$100,00 = R$1,00
R$1,00 / 30 (Dias) = R$0,03333 (Valor impresso no arquivo de remessa)

Boleto - Valor Total com Juros de Mora
Retorna o valor total do boleto com o cálculo de juros de mora:
189
Ex.: R$100,00 (Valor do Boleto) / 1% (Juros cadastrados no Parceiro de Negócios)
1% de R$100,00 = R$1,00
R$1,00 / 30 (Dias) = R$0,03333 (Valor impresso no arquivo de remessa)
“5 dias de atraso”
R$100,00 + (R$0,03333 * 5) = R$100,166 (Valor total do boleto impresso no arquivo de
remessa)

Boleto - Valor Total
Retorna o valor total do boleto – Campo BoeSum da tabela OBOE.
8.2. Databases – Cálculo

Cálculo - Amarração Horizontal (UNIBANCO)
Retorna um cálculo especifico para o UNIBANCO – Fórmula: (Número do banco +
00000000000000) + Valor) * Tipo de Operação(5)

Cálculo - Digito de Controle - Agência (Bradesco)
Calcula o DV da agência de acordo com as regras do Bradesco. O número da agência é
multiplicado por 2 até 5, da direita para esquerda. Após isso, é feita a soma das multiplicações e
realizado o módulo 11. Caso o resto da divisão for igual a “0” ou “1”, o DV será “0”, caso contrário
o DV será igual a 11 menos o resto.

Cálculo - Digito de Controle - Conta (Bradesco)
Calcula o DV da conta bancária de acordo com as regras do Bradesco. O número da conta
é multiplicado por 2 até 7, da direita para esquerda. Após isso, é feita a soma das multiplicações e
realizado o módulo 11. Caso o resto da divisão for igual a “0” ou “1”, o DV será “0”, caso contrário
o DV será igual a 11 menos o resto.

Segundo Dígito Verificador do Nosso Número Banrisul
190
Retorna o segundo DV do Nosso Número para o banco Banrisul através do seguinte cálculo:
O nosso número mais o primeiro DV são multiplicados por 2 até 7, da direita para esquerda. Após
isso, é feita a soma das multiplicações e realizado o módulo 11. Caso o resto da divisão for igual a
“0”, o DV será “0”, caso contrário o DV será igual a 11 menos o resto.
8.3. Databases – Cedente

Cedente – CNPJ
Retorna o CNPJ do cedente (Empresa) – Campo TaxIdNum da tabela OADM.

Cedente - Endereço da Empresa (CEP)
Retorna o CEP da empresa – Campo ZipCode da tabela ADM1.

Cedente - Endereço da Empresa (Cidade)
Retorna a cidade da empresa – Campo City da tabela ADM1.

Cedente - Endereço da Empresa (Complemento)
Retorna o complemento da empresa – Campo Building da tabela ADM1.

Cedente - Endereço da Empresa (Estado)
Retorna o estado da empresa – Campo State da tabela ADM1.

Cedente - Endereço da Empresa (Nº)
Retorna o número do endereço da empresa – Campo StreetNo da tabela ADM1.

Cedente - Endereço da Empresa (Rua)
Retorna a rua da empresa – Campo Street da tabela ADM1.

Cedente - Nome da Empresa
Retorna o nome da empresa – Campo CompnyName da tabela OADM.

Cedente - Nome da Filial
191
Retorna o nome da Filial – Campo BPLName da tabela OBPL.
8.4. Databases – Contas a Pagar

Contas a Pagar - Código do banco
Retorna a informação do campo “Pagamento para o código do banco” de uma conta a pagar
ou transferência bancária – Campo PBnkCode da tabela OVPM (Contas a Pagar) ou OPDF
(transferências).

Contas a Pagar - Número da Agência
Retorna a informação do campo “Pagamento a filial do banco” de uma conta a pagar ou
transferência bancária – Campo PBnkBranch da tabela OVPM (Contas a Pagar) ou OPDF
(transferências).

Contas a Pagar - Número da Conta
Retorna a informação do campo “Pagamento para a conta bancária nº” de uma conta a pagar
ou transferência bancária – Campo PBnkAccnt da tabela OVPM (Contas a Pagar) ou OPDF
(transferências).

Contas a Pagar - Dígito da Conta
Retorna o dígito da conta bancária para uma conta a pagar – Campo UsrNumber2 da tabela
OCRB.

Contas a Pagar – Número do Pagamento DDA
Retorna o número do pagamento do DDA – Campo PaymntNum da tabela @SIEBS_CDDA.
8.5. Databases – Documento

Documento - Número da Nota Fiscal
192
Retorna o número da nota fiscal – Campo Serial das tabelas OINV (Contas a Receber) ou
OPCH (Contas a Pagar).

Documento - Número da Parcela
Retorna o número da parcela do documento – Campo InstId das tabelas OINV (Contas a
Receber), OPCH (Contas a Pagar) ou PDF2 (transferências).

Documento - Número Total de Prestações
Retorna o total de prestações do documento – Campo Installmnt das tabelas OINV (Contas
a Receber), OPCH (Contas a Pagar) ou PDF2 (transferências).

Documento – Valor Bruto da Nota Fiscal
Retorna o valor bruto da nota fiscal sem considerar descontos e impostos.

Documento - Quantidade de Notas Fiscais
Retorna “0” quando não existem NFs no boleto / transferência ou “1” quando existe pelo
menos uma NF no boleto / transferência.

Documento – Data de Lançamento da Nota Fiscal
Retorna a data de lançamento da Nota Fiscal do boleto. Caso tenha duas ou mais notas, o
database retornará a data da última nota fiscal.
8.6. Databases - Extra

(Extra)
Retorna a linha digitável do boleto para concessionárias (48 dígitos) – Campo Barcoderep
da tabela OBOE.

(Extra) Boleto - Nosso Número (Port/OurNum-Chk)
Retorna a carteira (C), nosso número (N) e DV (D) no formato “CC/NNNNNN-D” – Campos
PtfNum da tabela OPTF, OurNum e OurNumChk da tabela OBOE.
193

(Extra) Cedente - Identificação da Empresa
Retorna a seguinte string: “0” + Carteira + Agência + Nº da Conta + DV da Conta. Campos
PtfNum da tabela OPTF, Branch, Account e AccountChk da tabela DSC1.

(Extra) Sacado – Número da Nota Fiscal/Parcela (N0/0)
Retorna o número da NF e o número da parcela no formado “N + (NF) + / +(P)” – Campos
Serial das tabelas OINV (Contas a Receber) ou OPCH (Contas a Pagar) e campo InstId das tabelas
RCT2 (Contas a Receber) ou VPM2 (Contas a Pagar).

Sacado – Número da Nota Fiscal/Parcela (0/0)
Retorna o número da NF e o número da parcela no formado “(NF) + / + (P)” – Campos Serial
das tabelas OINV (Contas a Receber) ou OPCH (Contas a Pagar) e campo InstId das tabelas RCT2
(Contas a Receber) ou VPM2 (Contas a Pagar).

(Extra) Código da Transação do LCM ou Serial na Nota Fiscal
Retorna o código da transação do LCM ou a Serial da NF de acordo com o documento.
Campo – DocEntry das tabelas RCT2 (Contas a Receber) ou VPM2 (Contas a Pagar) para LCM e
campo Serial das tabelas OINV (nota de saída) ou OPCH (nota de entrada) para NF.
8.7. Databases – Forma de Pagamento

Forma de Pagamento - Digito da Agência do Cedente
Retorna o DV da agência bancária parametrizada na forma de pagamento – Campo
ControlKey da tabela DSC1.

Forma de Pagamento - Código da Forma de pagamento
Retorna o código da forma de pagamento no banco de dados – Campo PayMethCod da
tabela OPYM.

Forma de Pagamento - Tipo de Documento
Retorna o tipo de documento da forma de pagamento – Campo DocType da tabela OPYM.
194

Forma de Pagamento – Aceite [Y] [N]
Retorna o aceite da forma de pagamento – Campo Accepted da tabela OPYM.

Forma de Pagamento - Agência do Cedente
Retorna a agência da empresa selecionada na forma de pagamento – Campo Branch da
tabela OPYM.

Forma de Pagamento - Código da Carteira
Retorna o código da carteira vinculada a forma de pagamento – Campo PtfCode da tabela
OPTF.

Forma de Pagamento - Código da Instrução 1
Retorna o código da instrução 1 especificada na forma de pagamento – Campo Instruct1 da
tabela OPYM.

Forma de Pagamento - Código da Instrução 2
Retorna o código da instrução 2 especificada na forma de pagamento – Campo Instruct2 da
tabela OPYM.

Forma de Pagamento - Digito da Conta do Cedente
Retorna o DV da conta bancária parametrizada na forma de pagamento – Campo
AccountChk da tabela DSC1.

Forma de Pagamento - Instrução 1
Retorna a descrição da instrução 1 informada na forma de pagamento – Campo InstrDespt
da tabela OIST.

Forma de Pagamento - Instrução 2
Retorna a descrição da instrução 2 informada na forma de pagamento – Campo InstrDespt
da tabela OIST.

Forma de Pagamento - Número da Carteira
195
Retorna o número da carteira parametrizada na forma de pagamento – Campo PtfNum da
tabela OPTF.

Forma de Pagamento - Número da Conta do Cedente
Retorna o número da conta bancária parametrizada na forma de pagamento – Campo
DflAccount da tabela OPYM.

Forma de Pagamento - Número do Acordo
Retorna o número do acordo da conta bancária parametrizada na forma de pagamento –
Campo AgreeNum da tabela DSC1.

Forma de Pagamento - Número do Contrato
Retorna o número do contrato da conta bancária parametrizada na forma de pagamento –
Campo U_Contract da tabela DSC1.

Forma de Pagamento – Observações
Retorna as observações do boleto – Campo Comments da tabela OBOE.

Forma de Pagamento - Qtde de Arquivos enviados
Retorna a quantidade de arquivos que já foram enviados ao banco – Campo U_OCounter
da tabela OPYM.

Forma de Pagamento - Código do Banco
Retorna o código do banco parametrizado na forma de pagamento – Campo BnkDflt da
tabela OPYM.

Forma de Pagamento - Nome do Banco
Retorna o nome do banco parametrizado na forma de pagamento – Campo BankName da
tabela ODSC.
196
8.8. Databases - Leiaute

Leiaute - Contador independente
O contador independente é incrementado cada vez que este é usado, e é resetado sempre
que um arquivo novo é processado.
Exemplo:
Supondo que o contador seja parametrizado no Header de lote do leiaute, então sempre que
um Header de lote for incluído no arquivo, o contador será incrementado.

Leiaute - Contador de lotes persistente
Retorna a quantidade de lotes contidos no arquivo.

Leiaute - Contador de Documentos do Lote
Retorna a quantidade de documentos contidos em um lote.

Leiaute - Contador de Linhas do Arquivo
Retorna a quantidade de linhas contidas no arquivo.

Leiaute - Contador de Lotes de Títulos
Retorna a quantidade de lotes com títulos/boletos no arquivo.

Leiaute - Contador de Linhas do Lote
Retorna a quantidade de linhas do lote, levando em conta o header, os detalhes e o trailler.

Leiaute – Contador de Linhas Internas do Lote
Retorna a quantidade de linhas dentro de um lote.

Leiaute – Data/Hora de Criação do Arquivo
Retorna a data e hora em que o arquivo de remessa foi criado.

Leiaute – Soma dos Documentos do Arquivo
Retorna o valor total de todos os documentos contidos no arquivo de remessa.
197

Leiaute – Tipo de transação
Retorna “0” se o tipo de transação dos boletos é descontado ou “1” se é de cobrança.
Databases – DDA
8.9.

Leiaute DDA – Banco:
Retorna o código do banco informado no arquivo de importação de DDA – Campo U_Bank
da tabela CDDA.

Leiaute DDA – Agência DV:
Retorna a agência informada no arquivo de importação de DDA – Campo U_Branch da
tabela CDDA.

Leiaute DDA – Conta DV:
Retorna a conta informada no arquivo de importação de DDA – Campo U_Account da tabela
CDDA.

Leiaute DDA – Nosso Número:
Retorna o nosso número informado no arquivo de importação de DDA – Campo
U_NossoNum da tabela CDDA.

Leiaute DDA – Carteira:
Retorna a carteira informada no arquivo de importação de DDA – Campo U_Carteira da
tabela CDDA.

Leiaute DDA – Fator de Vencimento:
Retorna a data calculada pelo mesmo no arquivo de importação de DDA.
Databases – PN
8.10.

PN – Agência
198
Retorna a agência bancária do parceiro de negócio – Campo DflBranch da tabela OCRD.

PN – CNPJ
Retorna o CNPJ do parceiro de negócio – Campo TaxId0 da tabela CRD7.

PN - Código do Banco
Retorna o código do banco do parceiro de negócio – Campo BankCode da tabela OCRD.

PN - Complemento do CNPJ (Filial e DV)
Retorna a filial e o dígito verificador do CNPJ do parceiro de negócio no formado “1234-DV”
– Campo TaxId0 da tabela CRD7.

PN - Corpo do CNPJ
Retorna a parte inicial do CNPJ do parceiro de negócio no formato “12123123” – Campo
TaxId0 da tabela CRD7.

PN - Corpo do CPF
Retorna a parte inicial do CPF do parceiro de negócio no formato “123123123” – Campo
TaxId4 ou TaxId7 da tabela CRD7.

PN - CPF
Retorna o CPF do parceiro de negócio - Campo TaxId4 ou TaxId7 da tabela CRD7.

PN - Dígito Verificador do CPF
Retorna apenas o dígito verificador do CPF do parceiro de negócio - Campo TaxId4 ou
TaxId7 da tabela CRD7.

PN - E-Mail
Retorna o e-mail do parceiro de negócio – Campo E_mail da tabela OCRD.

PN - Endereço de Cobrança (Bairro)
Retorna o bairro do endereço padrão de cobrança do parceiro de negócio – Campo Block
da tabela CRD1.
199

PN - Endereço de Cobrança (CEP)
Retorna o CEP do endereço padrão de cobrança do parceiro de negócio – Campo ZipCode
da tabela CRD1.

PN - Endereço de Cobrança (Cidade)
Retorna a cidade do endereço padrão de cobrança do parceiro de negócio – Campo City da
tabela CRD1.

PN - Endereço de Cobrança (Complemento)
Retorna o complemento do endereço padrão de cobrança do parceiro de negócio – Campo
Building da tabela CRD1.

PN - Endereço de Cobrança (Estado)
Retorna o estado do endereço padrão de cobrança do parceiro de negócio – Campo State
da tabela CRD1.

PN - Endereço de Cobrança (Nº)
Retorna o número do endereço padrão de cobrança do parceiro de negócio – Campo
StreetNo da tabela CRD1.

PN - Endereço de Cobrança (Rua)
Retorna a rua do endereço padrão de cobrança do parceiro de negócio – Campo Street da
tabela CRD1.

PN - Endereço de Cobrança (Rua, Nº)
Retorna o nome da rua e número do endereço padrão de cobrança do parceiro de negócio
no formato “Exemplo 123” – Campos Street e StreetNo da tabela CRD1.

PN - Endereço de Cobrança (Tipo Rua, Nº)
Retorna o tipo, o nome da rua e número do endereço padrão de cobrança do parceiro de
negócio no formato “Rua Exemplo, 123” – Campos AddrType, Street e StreetNo da tabela CRD1
(Traz o endereço de cobrança padrão).
200

PN - Endereço de Cobrança (Tipo Rua, Nº, Complemento)
Retorna o tipo, o nome da rua, número e o complemento do endereço padrão de cobrança
do parceiro de negócio no formato “Rua Exemplo, 123, Complemento” – Campos AddrType,
Street, StreetNo e Building da tabela CRD1.

PN – Código do Parceiro de Negócios
Retorna o Código do parceiro de negócios – Campo Cardcode da tabela OCRD.

PN - Nome do Parceiro de Negócios
Retorna o nome do parceiro de negócios – Campo CardName da tabela OCRD.

PN - Número da Conta
Retorna o número da conta bancária padrão do parceiro de negócios – Campo DflAccount
da tabela OCRD.

PN - Taxa de Juros
Retorna a taxa de juros definida para o parceiro de negócios – Campo IntrstRate da tabela
OCRD.

PN - Tipo de Pessoa [01-PJ|02-PF|00-Nenhum]
Retorna “01” para pessoa jurídica, “02” para pessoa física e “00” para nenhum. É retornado
“00” quando o parceiro de negócio não foi encontrado ou os campos TaxId0 e TaxId4 da tabela
CRD7 estão em branco.

PN - Chave de Controle
Retorna o ID Interno de controle do banco – Campo BankCtlKey da tabela OCRD.

PN - Digito Verificador da Agencia
Retorna o DV da agência do parceiro de negócios – Campo UsrNumber1 da tabela OCRB.
8.11. Databases - Transferência


Transferência - Data de Criação
201
Retorna a data de criação do documento – Campo DocDate da tabela OPDF.

Transferência - Data de Vencimento
Retorna a data de vencimento do documento – Campo DocDueDate da tabela OPDF.

Transferência - Nome do PN
Retorna o nome do parceiro de negócios – Campo CardName da tabela OPDF.

Transferência - Número do BankSync
Retorna o número da transferência – Campo TrnfsNum da tabela OPDF.

Transferência - Referência
Retorna a informação referência – Campo TrsfrRef da tabela OPDF.

Transferência - Valor
Retorna o valor da transferência – Campo TrsfrSum da tabela OPDF.

Transferência - N° Pagamento
Retorna o número do pagamento da transferência – Campo PaymtNum da tabela OPDF.

Transferência - TED(1) /DOC(2)
Condição, se TrsfrSum for maior que R$ 3.000,00 é TED, senão DOC

Transferência Entre Contas – Banco Destino
Retorna o código do banco destino informado pelo usuário na tela de transferência entre
contas.

Transferência Entre Contas – Conta Destino
Retorna o número da conta bancária destino informado pelo usuário na tela de transferência
entre contas.

Transferência Entre Contas – DV da Conta Destino
Retorna o DV da conta bancária destino.
202

Transferência Entre Contas – Agência Destino
Retorna o número da agência destino.
Databases – Tributos
8.12.

Tributo – Número do registro
Retorna o número do registro do documento de tributo – Campo Code da tabela TRBP.

Tributo – Data de emissão
Retorna a data de emissão do documento de tributo – Campo U_Date da tabela TRBP.

Tributo – Valor total
Retorna o valor total do tributo - Campo U_Value da tabela RBP1.

Tributo – Código da receita
Retorna o código da receita do tributo – Campo U_RecCode da tabela RBP1.

Tributo – Número do documento
Retorna o número do documento do tributo – Campo U_DocNum da tabela RBP1.

Tributo – Competência
Retorna a data da competência do tributo – Campo U_Compet da tabela RBP1.

Tributo – Número da referência
Retorna o número da referência do tributo – Campo U_RefNum da tabela RBP1.

Tributo – Data da apuração
Retorna a data de apuração do tributo – Campo U_Date da tabela RBP1.

Tributo – Data do exercício
Retorna a data de exercício do tributo – Campo U_DateEx da tabela RBP1.

Tributo – Número da parcela
203
Retorna o número da parcela do tributo – Campo U_PortNum da tabela RBP1.

Tributo – RENAVAM
Retorna o número do RENAVAM do tributo – Campo U_Renavam da tabela RBP1.

Tributo – Novo RENAVAM
Retorna o número do novo RENAVAM do tributo – Campo U_NRenavam da tabela RBP1.

Tributo – Placa do veículo
Retorna o número da placa do tributo – Campo U_Placa da tabela RBP1.

Tributo – Percentual da receita
Retorna o percentual da receita bruta do tributo – Campo U_Percent da tabela RBP1.

Tributo – Observações
Retorna a observação do tributo – Campo U_Comments da tabela RBP1.

Tributo – Valor do tributo
Retorna o valor bruto do tributo – Campo U_ValueTrb da tabela RBP1.

Tributo – Valor da receita acumulada
Retorna o valor da receita bruta acumulada do tributo – Campo U_ValueRec da tabela
RBP1.

Tributo – Valor de outras entidades
Retorna o valor de outras entidades do tributo – Campo U_ValueEnt da tabela RBP1.

Tributo – Valor total de tributos
Retorna a soma do valor de tributos das linhas – Campo U_ValueTrb da tabela RBP1.

Tributo – Valor total receita acumulada
Retorna a soma do valor de receita acumulada das linhas – Campo U_ValueRec da tabela
RBP1.
204

Tributo – Valor total outras entidades
Retorna a soma do valor de outras entidades das linhas – Campo U_ValueEnt da tabela
RBP1.

Tributo – Valor total atualização monetária
Retorna a soma do valor de atualização monetária das linhas – Campo U_ValueMnt da
tabela RBP1.

Tributo – Valor total de multas
Retorna a soma do valor de multas das linhas – Campo U_ValueMlt da tabela RBP1.

Tributo – Valor total de juros
Retorna a soma do valor de juros das linhas – Campo U_ValueJr da tabela RBP1.

Tributo – Total do valor adicional 1
Retorna a soma do valor adicional 1 das linhas – Campo U_FieldVl1 da tabela RBP1.

Tributo – Total do valor adicional 2
Retorna a soma do valor adicional 2 das linhas – Campo U_FieldVl2 da tabela RBP1.

Tributo – Total do valor adicional 3
Retorna a soma do valor adicional 3 das linhas – Campo U_FieldVl3 da tabela RBP1.

Tributo – Total do valor da linha
Retorna a soma do valor total da linha de tributo – Campo U_ValTot da tabela RBP1.
9. DLL - Dynamic-Link Library
Segundo a Wikipédia, as Bibliotecas de Ligação Dinâmica (Dynamic-link library – DLL) foram
uma implementação feita pela Microsoft para o conceito de bibliotecas compartilhadas nos sistemas
operacionais Microsoft Windows e OS/2.
205
Uma DLL é um arquivo binário que contém um conjunto de funções que estão disponíveis
para qualquer outro programa que venha a necessitar de alguma destas funções.
Para utilizá-las, basta que o programa faça referência a DLL e suas funções. A Figura 192
explica em mais detalhes como este processo ocorre:
Figura 192: Processo de execução de uma DLL
O SAP Business One se aproveita deste recurso no momento em que ele gera um novo
Contas a Receber onde, se a forma de pagamento for do tipo boleto, o SAP Business One envia
uma solicitação para a DLL do banco associado à Forma de Pagamento, pedindo para que ela lhe
monte o código de barras e faça também o cálculo do dígito verificador do nosso número. Em caso
de sucesso, o SAP Business One recebe estes dois valores, e os grava respectivamente nos
campos BarcodeNum e OurNumChk da tabela de boletos OBOE. Em caso de falha, o SAP
Business One alerta o usuário com uma mensagem de texto em vermelho na barra de status dele,
mas que na maioria das vezes não é suficiente para uma correção precisa. A Figura 193 ilustra
levemente este processo:
206
Figura 193: Fluxo de chamadas do Business One
As novas DLLs desenvolvidas pela empresa Sistema Info contam com um recurso a mais
para identificação de falhas. Ela utiliza um sistema de mensagens e Logs (registros), em que toda
vez que a DLL se comportar de uma maneira inesperada, é mostrado para o usuário uma caixa de
mensagem, detalhando o erro, ao mesmo tempo em que é gerado um arquivo de Log, que pode
ser encontrado na pasta %Temp%\BankSync\DLL Logs. Um exemplo da mensagem mostrada
pode ser vista na Figura 194 abaixo:
Figura 194: Mensagem de Erro da DLL.
Ao se deparar com este tipo de mensagem, caso o usuário não consiga realizar por conta
própria a correção, o procedimento padrão para que solicite suporte com a Sistema Info, é que ele
deverá abrir um chamado em nosso site, e adicionar como anexo o arquivo de Log gerado, que
207
possuirá em seu nome, o nome da DLL que acusou o erro, bem como a data e hora em que o
mesmo foi gerado.
As DLLs, desenvolvidas por nossa empresa para o SAP Business One estão programadas
para funcionarem apenas quando o add-on BankSync estiver em execução. Caso ela seja invocada
e o add-on esteja parado, o usuário será alertado do problema, usando o mecanismo de alertas
demonstrado anteriormente.
9.1. Código de Barras e Linha Digitável
Código de barras é uma representação gráfica de dados numéricos ou alfanuméricos. A
leitura dos dados é realizada por um tipo de scanner, conhecido como leitor de código de barras,
que emite um raio vermelho que percorre todas as barras. A captura de dados ocorre por forma de
reflexão da luz, que ocorre por entre os espaços em branco do código de barras, direto para um
aparelho que possa interpretá-los, como um visor ou computador.
De acordo com os padrões para códigos de barra estabelecidos pela FEBRABAN, os bancos
brasileiros devem utilizar o formato de código de barras 2 de 5, onde cada 5 barras correspondem
a um dígito alfanumérico, sendo que duas destas barras são longas. O FEBRABAN também
determina que o código de barras deva ser composto pelos seguintes dados apresentados na
Tabela 5:
Formatação dos dados do Código de Barras
Posição
Ini
Fim
1
3
4
4
5
5
6
9
10
19
20
44
Tamanho
3
1
1
4
10
25
Formato
Conteúdo
Inteiro
Identificação do Banco
Inteiro
Código da Moeda ( 9 - Real)
Inteiro
Digito Verificador do código de barras
Inteiro
Fator de vencimento
Decimal(8,2)
Valor nominal do título
Inteiro
Campos Livres - De acordo com o banco emissor
Tabela 5: Estrutura dos dados do código de barras
Os dados chamados de Campos Livres devem ser preenchidos de acordo com o que o
manual de cada banco especifica. Segue a Tabela 6 demonstrando um exemplo de preenchimento
dos dados dos campos livres:
208
Exemplo de preenchimento dos Campos Livres
Posição
Ini
Fim
20
23
24
25
26
36
37
43
44
44
Tamanho
Formato
Conteúdo
4
2
11
7
1
Inteiro
Inteiro
Inteiro
Inteiro
Decimal(8,2)
Código da Agência (sem dígito)
Código da Carteira
Nosso Número (sem dígito)
Conta do Cedente (sem dígito)
Zero Fixo
Tabela 6: Exemplo de preenchimento dos Campos Livres
A linha digitável de um boleto foi criada para que este pudesse ser validado pelos bancos
quando seus leitores de código de barras estivessem inoperantes, ou inexistentes. A linha digitável
simboliza uma representação numérica do código de barras, acrescida de alguns dígitos, usados
para controle da conferência dos dados da própria linha digitável. É importante ressaltar que a
representação numérica da linha digitável é diferente da representação numérica do código de
barras, embora ambos contenham os mesmos dados. Em resumo, a linha digitável apresenta 3
dígitos numéricos a mais, que são os dígitos verificadores usados para consistência de seus dados.
O preenchimento da linha digitável é padrão para todos os bancos, conforme estabelecido pela
FEBRABAN, e seu formato de preenchimento é demonstrado na Tabela 7 abaixo:
Formatação dos dados da Linha Digitável
Ini
1
4
5
10
11
21
22
32
33
34
38
Posição
Fim
3
4
9
10
20
21
31
32
33
37
47
Tamanho
Formato
Conteúdo
3
1
5
1
10
1
10
1
1
4
10
Inteiro
Inteiro
Inteiro
Inteiro
Inteiro
Inteiro
Inteiro
Inteiro
Inteiro
Inteiro
Inteiro
Identificação do banco
Código da moeda (9 - Real)
Posições 20 à 24 do código de barras
Dígito verificador do primeiro campo
Posições 20 à 24 do código de barras
Dígito verificador do segundo campo
Posições 20 à 24 do código de barras
Dígito verificador do terceiro campo
Digito verificador do código de barras
Fator de vencimento
Valor nominal do título
Tabela 7: Formatação dos dados da linha digitável
209
9.2. Configurações das DLLs no SAP Business One
O processo de configuração das DLLs se concentra em duas telas principais: O cadastro de
Contas Bancárias da Empresa e o cadastro de Formas de Pagamento. As Tabela 8 e Tabela 9
demonstram os principais campos que são relevantes para o cálculo do código de barras das DLLs.
Contas Bancárias da Empresa - DSC1
Campo
Tipo
Observação
Descrição
Nome
Tipo
Tamanho
Código do banco
BankCode Caracter
30
Nº da conta
Account
Caracter
50
Dígito de controle da conta AccountChk Caracter
1
Filial
Branch
Caracter
50
Agência
Chave de controle
ControlKey Caracter
2
Digito da Agência
Nosso Número
OurNum
Inteiro
Nº do acordo
AgreeNum Caracter
4
Número do Contrato
U_Contract Caracter
12
Tabela 8: Campos da tabela Contas Bancárias da Empresa
Formas de Pagamento - OPYM
Campo
Tipo
Descrição
Nome
Tipo
Tamanho
Código da moeda
CurCode
Caracter
2
Nº do portfólio
PtfNum
Caracter
4
Observação
9 = Real
Tabela OPTF
Tabela 9: Campos da tabela Formas de Pagamento
Estes campos, com exceção do Código do Banco e o Código da Moeda, não fazem parte
obrigatoriamente do cálculo executado pela DLL para gerar o código de barras. Contudo, a maioria
dos bancos faz uso deles, e seu correto preenchimento pode evitar possíveis frustrações com
mensagens de erro com as DLLs. O campo Número do Contrato é o único destes campos que
deve ser preenchido apenas quando solicitado, pois seu uso é restrito apenas a alguns bancos, os
quais serão especificados nos manuais disponibilizados por esses bancos.
210
Quando uma forma de pagamento (Figura 195) é marcada como do tipo Recebido, com
meio de pagamento por Boleto, o botão
extra é exibido na tela na opção Características do
boleto. É através dele que o usuário poderá informar o Código da moeda e Número do
portfólio/carteira, conforme na Figura 196 abaixo:
Figura 195: Configuração da Forma de Pagamento
Figura 196: Configurações específicas do boleto
211
O problema do campo nosso número
Na tela de cadastro de Contas Bancárias da Empresa, o campo Nosso número é
representado como sendo do tipo Inteiro de 32-bits. Os valores aceitos por este campo variam de
-2.147.483.648 até 2.147.483.647. Isto limita a quantidade de caracteres aceitos neste campo a
“10”, sendo que apenas “9” destes campos podem apresentar um valor de “0” a “9”. O último campo
pode ser representado apenas de “0” a “2”.
A maioria dos bancos reserva até 11 dígitos para o nosso número, porém não limitando a
valores maiores ainda. Para contornar este problema foi adotado o seguinte padrão:
Para situações em que o nosso número é menor ou igual a “9”, utiliza-se apenas o campo
do Nosso número (OurNum);
Para situações em que o nosso número está entre 10 e 13, utilizam-se os primeiros “9”
dígitos do nosso número (OurNum), complementando o restante com o campo Nº do Acordo
(AgreeNum), que vai até 4 caracteres;
Para situações em que o nosso número ultrapasse os 13 dígitos, utilize o campo Nº do
Contrato (U_Contract), caso o mesmo não esteja sendo utilizado pela DLL;
Se existir uma especificação especial da DLL em questão, tratando como deve ser feito o
preenchimento do campo nosso número, desconsiderar as condições anteriores e usar a
especificada pela DLL.
9.3. Particularidades das DLLs
Esta sessão apresenta as particularidades de cada DLL desenvolvida pela Sistema Info. É
de suma importância conferir as informações do seu respectivo banco para configurar o BankSync
e o Business One de forma correta, para obter sucesso na comunicação bancária.
212
9.3.1
Banco ABC
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras:
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do banco
Nome do campo no B1
Código do banco
Nosso Número
Nº do Acordo
Nosso Número
Nosso Nº
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
Filial
Observação
Fixo “246”.
Deve ser preenchido com dois dígitos como parte inicial
do nosso número devido a limitação do campo “Nosso
Nº” no Business One.
Deve ser preenchido com nove dígitos, totalizando 11
dígitos com o Nº do Acordo.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Nº da Conta
Deve ser preenchido com 7 dígitos.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
O DV do Nosso Número será calculado sobre a Carteira + Nosso Nº.
9.3.2
Banco América
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras:
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do banco
Nome do campo no B1
Código do banco
Nosso Número
Usuário N° 3
Nosso Número
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
Código do Cedente
Nosso Nº
Filial
Observação
755
Deve ser preenchido com 1 dígito como primeiro
caractere do Nosso Número.
Deve ser preenchido com nove dígitos.
Deve ser preenchido com 3 dígitos.
Nº da Conta
Deve ser preenchido com 5 ou 7 dígitos.
Número do Contrato
Deve ser preenchido com 10 dígitos.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
OBS: a DLL irá tratar as carteiras sem registro e direta, onde a montagem da linha digitável
mudará de acordo com a utilização da carteira (cálculo presente no manual do banco).
213
9.3.3
Banco Banrisul
Devido a uma restrição do SAP Business One, que limita o tamanho do dígito verificador do
nosso número a apenas 1 dígito, a DLL deste banco irá retornar, sempre, apenas o primeiro número
do dígito verificador do nosso número. O segundo dígito verificador pode ser extraído a partir da
tabela @SIEBS_BOEC, nos campos U_OurNuChk e OnChkCmp.
OBS: O Código do cedente cadastrado no campo Número do Contrato, caso possua apenas
7 dígitos, deve-se colocar 2 “zeros” no final do número. Ex.: CC = 1234567, então se deve cadastrar
CC = 123456700.
O tipo de cobrança é fixo com o valor “2” – Cobrança direta. Abaixo são listados os campos
requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do banco
Nosso Número
Número da Agência
Código do Cedente
Nome do campo no B1
Código do Banco
Nosso Nº
Filial
Número do Contrato
Campo
Moeda
Nome do campo no B1
Código da Moeda
Observação
041
Deve ser preenchido com 8 dígitos.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Deve ser preenchido com 9 dígitos.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
9.3.4
Observação
Deve ser preenchido com 1 dígito.
Banco Bancoob
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras:
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do banco
Número da Carteira
Número da Agência
Número da Modalidade
Nome do campo no B1
Código do Banco
Filial
Usuário n° 1
Número do Cedente
Número do Contrato
Nosso Número
Nosso Número
Observação
756
Deve ser preenchido com 1 dígito.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com até 10 dígitos (com DV do
contrato).
Deve ser preenchido com 7 dígitos (será completado com
0 a esquerda).
214
9.3.5
Banco Bradesco
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do banco
Nome do campo no B1
Código do Banco
Nosso Número
Nº do Acordo
Nosso Número
Nosso Nº
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
Filial
Observação
237
Deve ser preenchido com dois dígitos como parte inicial
do nosso número devido a limitação do campo “Nosso
Nº” no Business One.
Deve ser preenchido com nove dígitos, totalizando 11
dígitos com o Nº do Acordo.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Nº da Conta
Deve ser preenchido com 7 dígitos.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Campo
Carteira
Moeda
9.3.6
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
Banco do Brasil
A DLL do Banco do Brasil atende os casos em que no número do acordo apresenta os
tamanhos de 4, 6 e 7 posições para cobrança registrada e o caso da cobrança não registrada, em
que o nosso número apresenta tamanho “17” livre. As particularidades da DLL para cada utilização
podem ser encontradas nos tópicos que seguem.
Convênio de 4 dígitos, carteira registrada
Neste caso, o campo número do contrato (U_Contract) deverá ser preenchido com exatos
4 dígitos, enquanto que o nosso número (OurNum) não poderá ultrapassar o tamanho limite de 7
dígitos, pois concatenados os dois deverão apresentar tamanho final de 11 dígitos.
Convênio de 6 dígitos, carteira registrada
Neste caso, o campo número do contrato (U_Contract) deverá ser preenchido com exatos
6 dígitos, enquanto que o nosso número (OurNum) não poderá ultrapassar o tamanho limite de 5
dígitos, pois concatenados os dois deverão apresentar tamanho final de 11 dígitos.
215
Convênio de 7 dígitos, carteira registrada
Embora parecido com os anteriores, quando utilizado o convênio de 7 dígitos do banco, o
campo número do contrato (U_Contract) deverá ser preenchido com exatos 7 dígitos, porém como
a concatenação do número do contrato com o nosso número (OurNum) deverá apresentar um
tamanho final de 17 dígitos e o campo nosso número é limitado em 9 dígitos, o primeiro dígito da
seqüência do nosso número deverá ser preenchido no campo Número do Acordo (AgreeNum).
Veja um exemplo do preenchimento dos campos quando o nosso número for 10004730003126004:

Número do Contrato: 1000473;

Número do Acordo: 0;

Nosso número: 003126004;
Carteira não-registrada
Para utilização da carteira não registrada, com nosso número livre de 17 posições, basta
preencher os primeiros 8 números do nosso número no campo Usuário nº 1 (UsrNumber1) e os 9
dígitos restantes no campo do Nosso Número (OurNum). Supondo como exemplo o número
00000011000000009 temos que o preenchimento dos campos deverá ser:

Usuário n° 1: 00000011;

Nosso número: 000000009;
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do banco
Nosso Número
Nosso Número
Nosso Número
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
Número do Contrato
Nome do campo no B1
Código do Banco
Nº do Acordo
Usuário Nº 1
Nosso Nº
Filial
Observação
001
Deve ser preenchido conforme especificação acima.
Deve ser preenchido conforme especificação acima.
Deve ser preenchido conforme especificação acima.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Nº da Conta
Deve ser preenchido com 8 dígitos.
Número do Contrato
Deve ser preenchido conforme especificação acima.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Campo
Carteira
Moeda
Tamanho do NN
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Tipo de transação
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
Informar “11” ou “17” como tamanho do NN
216
Quando o Número do Contrato possuir 7 dígitos, os seis primeiros caracteres do campo
livre serão preenchidos com zeros.
O DV do Nosso Número será calculado sobre o Número do Contrato + Nosso Nº, exceto
quando o Número do Contrato possuir 6 dígitos e o campo “Usuário Nº 1” estiver preenchido.
9.3.7
Banco CitiBank
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nome do campo no B1
Código do Banco
Nosso Número
Nº do Acordo
Nosso Número
Nosso Nº
Número do Contrato
Número do Contrato
Observação
745
Deve ser preenchido com dois dígitos como parte inicial
do nosso número devido a limitação do campo “Nosso
Nº” no Business One.
Deve ser preenchido com nove dígitos, totalizando 11
dígitos com o Nº do Acordo.
Deve ser preenchido com 9 dígitos.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Campo
Carteira
Moeda
9.3.8
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
Deve ser preenchido com 3 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
Banco Fibra
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nome do campo no B1
Código do Banco
Nosso Número
Nº do Acordo
Nosso Número
Nosso Nº
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
Filial
Observação
224
Deve ser preenchido com dois dígitos como parte inicial
do nosso número devido a limitação do campo “Nosso
Nº” no Business One.
Deve ser preenchido com nove dígitos, totalizando 11
dígitos com o Nº do Acordo.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Nº da Conta
Deve ser preenchido com 7 dígitos.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
O DV do Nosso Número será calculado sobre a Carteira + Nosso Nº.
217
9.3.9
Banco Caixa Econômica Federal
Esta DLL atende tanto a modalidade SICOB e SIGCB. A modalidade SICOB atende aos
nossos números de tamanho 11 e 16, enquanto que a SIGCB possui exclusivamente o nosso
número de 17 posições. Para que a DLL saiba qual situação ela irá atender, é necessário que o
usuário personalize alguns dados.
O principal deles se encontra na tela de cadastro de formas de pagamento. No campo Tipo
de Transação (TrnsType), deve ser informado o valor 11 caso utilize o Nosso Número de 11
posições, ou 17 caso utilizar o de 17 posições.
Os tópicos que seguem demonstram as particularidades existentes no modelo de nosso
número que foi escolhido.
Nosso Número de 11 posições
Utilizado nas carteiras Rápida (12), Sem Registro (14) e (11). Para evitar uma exceção, o
usuário deve preencher o campo do portfólio com o número da carteira que deseja utilizar, conforme
demonstrado na Figura 196.
Carteira
14
12
11
Informações
Nosso Número
Nosso Número
Campo do SAP Business One
Nosso Número
Nosso Número
Nosso Número
Nosso Número – Usuário n° 2
Qtd. Caracteres
8
9
Nosso Número = 9
Usuário n° 2 = 1
Complemento da DLL
82
9
N/D
OBS: ao utilizar a carteira 11, caso o Nosso Número iniciar com “0”, não será necessário
preencher o campo Usuário n° 2, pois o preenchimento será automático.
Nosso Número de 16 posições
Abaixo especificações para parametrização da DLL, onde atenderá o nosso número com 16
posições:
Informações
Complemento da DLL
Nosso Número
Nosso Número
Campo do SAP Business One
Usuário n° 2
Nosso Número
Qtd. Caracteres
Caractere “8”
5
9
218
Nosso Número de 17 posições
A modalidade de cobrança utilizada (1 – Registrada ou 2 – Sem registro) deve ser informada
no campo Nº Usuário 3 (UsrNumber3), na tela de contas bancárias da empresa. Segue abaixo
maiores informações para parametrização da DLL da CEF:
Informações
Modalidade de Cobrança
Nosso Número
Nosso Número
Campo do SAP Business One
Usuário n° 3
Usuário n° 2
Nosso Número
Qtd. Caracteres
1
6
9
O valor do nosso número, que pode ser alterado pelo usuário, possui tamanho igual a 15.
Sendo assim, devem ser preenchidos os 9 dígitos finais no campo Nosso Número (OurNum),
enquanto que os 6 primeiros devem ser preenchidos no campo Usuário n° 2 (UsrNumber2),
ambos da tela de contas bancárias da empresa.
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras:
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nosso Número
Número do Contrato
Usuário Nº 1
Usuário Nº 2
Número da Agência
Nome do campo no B1
Código do Banco
Nosso Nº
Número do Contrato
Usuário Nº 1
Usuário Nº 2
Filial
Número da Conta
Bancária
Nº da Conta
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
104
Deve ser preenchido conforme instruções acima.
Preencher com 6 caracteres
Código da Operação
Deve ser preenchido conforme instruções acima.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Para Nosso Número 11 posições: deve ser preenchido
com 8 dígitos.
Para Nosso Número 16 posições: deve ser preenchido
com 5 dígitos.
Para Nosso Número 17 posições: deve ser preenchido
com 6 dígitos.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
219
9.3.10
Banco HSBC
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cobrança registrada:
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nome do campo no B1
Código do Banco
Código do Cedente
Número do Contrato
Nosso Número
Nosso Nº
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
Dígito da Conta
Filial
Dígito de controle da conta
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Nº da Conta
Observação
399
Deve ser preenchido com o número do cliente no banco,
contendo 5 dígitos, para formar o nosso número.
Deve ser preenchido com 5 dígitos, totalizando 10 dígitos
com o Número do Contrato.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Deve ser preenchido com 6 dígitos (Preenchimento com 0
automático).
Deve ser preenchido com 1 caractere (DV = 1 dígito).
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos – fixo “00”
Deve ser preenchido com 1 dígito.
Cobrança não-registrada:
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nome do campo no B1
Código do Banco
Código do Cedente
Número do Contrato
Nosso Número
Nosso Nº
Nosso Número
Usuário N° 2
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
Dígito da Conta
Filial
Dígito de controle da conta
Campo
Nome do campo no B1
Carteira
Nº do Portfólio
Moeda
Código da Moeda
Nº da Conta
Observação
Deve ser preenchido com o número do cliente no banco,
contendo 7 dígitos.
Deve ser preenchido com os últimos 9 dígitos do Nosso
Número.
Deve ser preenchido com os 4 primeiros dígitos do Nosso
Número. Caso sejam zeros, deixam o campo em branco.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Deve ser preenchido com 6 dígitos (Preenchimento com
“0” automático).
Deve ser preenchido com 1 caractere (DV = 1 dígito).
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos – 4 ou 5 (válidas para
não-registrada).
Deve ser preenchido com 1 dígito.
São calculados três dígitos verificadores para o Nosso Número. Estes não fazem parte
do código de barras e da linha digitável do boleto.
220
No entanto, estes dígitos poderão ser incluídos no boleto impresso. Sendo assim, toda
a informação referente ao Nosso Número pode ser obtida na tabela de Controle de Boletos do
BankSync (SIEBS_BOEC).
Segue os campos utilizados:
Nosso Número: U_OurNumbr
D.V. 1: U_OurNuChk
D.V. 2 e 3: U_OnChkCmp
OBS: Caso o dígito da conta tiver 2 caracteres, utilizar o cadastro dos mesmos no campo
Usuário n° 1.
9.3.11
Banco Itaú
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nosso Número
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
Nome do campo no B1
Código do Banco
Nosso Nº
Filial
Observação
341
Deve ser preenchido com 8 dígitos.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Nº da Conta
Deve ser preenchido com 5 dígitos.
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Observação
Deve ser preenchido com 3 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
Caso o valor do boleto possua mais do que 10 caracteres, serão colocados 14 dígitos no
código de barras, sobrescrevendo os 4 dígitos do fator de vencimento.
Cálculo DV Nosso Número para carteiras 126, 131, 146, 150, 168.
O DV do Nosso Número será calculado sobre a Carteira + Nosso Número.
Cálculo DV Nosso Número para demais carteiras
O DV do Nosso Número será calculado sobre o Número da Agência + Número da Conta
bancária + Carteira + Nosso Número.
221
9.3.12
Banco Mercantil
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nome do campo no B1
Código do Banco
Nosso Número
Nº do Acordo
Nosso Número
Nosso Nº
Número da Agência
Número do Contrato
Filial
Número do Contrato
Usuário Nº 1
Usuário Nº 1
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
389
Deve ser preenchido com dois dígitos como parte inicial
do nosso número devido a limitação do campo “Nosso
Nº” no Business One.
Deve ser preenchido com 6 dígitos. O nosso número final
será formado pelo Nº do Acordo + Carteira + Nosso Nº,
totalizando 10 dígitos.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Deve ser preenchido com 9 dígitos.
Deve ser preenchido com o número “2” para “Sem
desconto” ou com o número “0” para “Com desconto”.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
O DV do Nosso Número será calculado sobre o Número da Agência + Nº do Acordo +
Carteira + Nosso Nº.
9.3.13
Banco Nordeste
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nosso Número
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
DV da Conta Bancária
Nome do campo no B1
Código do Banco
Nosso Nº
Filial
Observação
004
Deve ser preenchido com 7 dígitos.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Nº da Conta
Deve ser preenchido com 7 dígitos.
Dígito de Controle da Conta
Deve ser preenchido com 1 dígito.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
222
9.3.14
Banco Pine
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nome do campo no B1
Código do Banco
Nosso Número
Nº do Acordo
Nosso Número
Nosso Nº
Número do Contrato
Número do Contrato
Usuário Nº 1
Usuário Nº 1
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
643
Deve ser preenchido com 2 dígitos como parte inicial do
nosso número devido a limitação do campo “Nosso Nº”
no Business One.
Deve ser preenchido com 9 dígitos. O nosso número final
será formado pelo Nº do Acordo + Nosso Nº, totalizando
11 dígitos.
Deve ser preenchido com 7 dígitos, referente a conta que
o banco Pine especifica.
Deve ser preenchido com 4 dígitos, referente a agência
que o banco Pine especifica.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
O DV do Nosso Número será calculado sobre a Carteira + Nosso Nº final.
9.3.15
Banco Safra
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nome do campo no B1
Código do Banco
Nosso Número
Nosso Nº
Número do Contrato
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
Número do Contrato
Filial
Observação
422
Deve ser preenchido com 8 dígitos. É considerado apenas
para Cobrança Direta Eletrônica.
Deve ser preenchido com 6 dígitos.
Deve ser preenchido com 5 dígitos.
Nº da Conta
Deve ser preenchido com 9 dígitos.
Tipo de cobrança
Usuário Nº 1
Campo livre
Usuário Nº 2
Campo
Moeda
Nome do campo no B1
Código da Moeda
Deve ser preenchido com o número “1”, sem aspas, ou
estar em branco para que o BankSync considere como
Cobrança Direta Eletrônica.
Deve ser preenchido com o número “2”, sem aspas, para
que o BankSync considere como Cobrança Express.
Quando o tipo de cobrança for “Express”, serão
considerados 17 caracteres deste campo para formação
do Campo Livre.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Observação
Deve ser preenchido com 1 dígito.
223
9.3.16
Banco Safra (Bradesco Correspondente)
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de
barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nome do campo no B1
Nosso Número
Nosso Nº
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
-
Observação
Fixo “237”
Deve ser preenchido com 8 dígitos. O nosso número final
é composto pelo Nosso Nº + DV Safra, calculado de
acordo com o manual do banco Safra, totalizando 9
dígitos.
Fixo “3114”
-
Fixo “0176300”
Campo
Moeda
Carteira
Nome do campo no B1
Código da Moeda
-
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Observação
Deve ser preenchido com 1 dígito.
Fixo “09”
O DV do Nosso Número será calculado sobre a Carteira + Ano de Emissão do Boleto +
Nosso Nº final (8 dígitos + DV Safra), calculo este realizado de acordo com as especificações do
Bradesco.
9.3.17
Banco Santander
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nome do campo no B1
Código do Banco
Observação
033
Deve ser preenchido com 3 dígitos como parte inicial do
nosso número quando o Número do Banco for “033”.
Número do Acordo
Nº do Acordo
Nosso Número
Nosso Nº
033 – 353 - 008: Devem conter 7 dígitos no Nosso
Número
Número do Contrato
Número do Contrato
Deve ser preenchido com 7 dígitos – Código do Cedente.
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Observação
Deve ser preenchido com 3 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
224
9.3.18
Banco Sicoob (Correspondente Banco do Brasil)
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Número do Convênio
Nome do campo no B1
Código do Banco
Número do Contrato
Observação
-
Caso o número do convênio seja menor que 1.000.000, será o número do convênio + nosso
número:
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Nosso Número
Nosso Número
Número da Agência
Número da Conta
Nome do campo no B1
Número do Contrato
Nosso Número
Filial
N° da Conta
Observação
Deve conter no máximo 6 dígitos
Deve conter no máximo 5 dígitos
Deve conter 4 dígitos
Deve conter 8 dígitos
Caso o número do convênio seja maior que 1.000.000, será o número do convênio + nosso
número:
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Nosso Número
Nosso Número
Número da Agência
Número da Conta
9.3.19
Nome do campo no B1
Número do Contrato
Nosso Número
Filial
N° da Conta
Observação
Deve conter no máximo 7 dígitos
Deve conter 4 dígitos
Deve conter 8 dígitos
Banco Sicredi
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nome do campo no B1
Código do Banco
Posto
Usuário N° 2
Byte
Usuário N° 3
Nosso Número
Nosso N°
Número da Agência
DV da Agência
Número da Conta
Bancária
Código do Cedente
Filial
Chave de controle
Observação
748
Deve ser preenchido com 2 dígitos (2 dígitos
obrigatórios).
Deve ser preenchido com 1 dígito.
Deve ser preenchido com 5 dígitos (completará com 0 a
esquerda).
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Nº da Conta
Deve ser preenchido com 5 dígitos.
Número do Contrato
Tipo de cobrança
Usuário Nº 1
Deve ser preenchido com 5 dígitos.
Deve ser preenchido com o número “1”, sem aspas, para
que o BankSync considere como “Cobrança Registrada”.
225
Deve ser preenchido com o número “3”, sem aspas, ou
em branco para que o BankSync considere como
“Cobrança sem Registro”.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Código da Moeda
Observação
Fixo “1”
Deve ser preenchido com 1 dígito.
O DV do Campo Livre é inserido na última posição do código de barras.
9.3.20
Banco Sofisa
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nome do campo no B1
Código do Banco
Nosso Número
Nº do Acordo
Nosso Número
Nosso Nº
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
Filial
Observação
637
Deve ser preenchido com 2 dígitos como parte inicial do
nosso número devido a limitação do campo “Nosso Nº”
no Business One.
Deve ser preenchido com 9 dígitos. O nosso número final
será formado pelo Nº do Acordo + Nosso Nº, totalizando
11 dígitos.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Nº da Conta
Deve ser preenchido com 7 dígitos.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
O DV do Nosso Número será calculado sobre a Carteira + Nosso Nº final.
9.3.21
Banco BicBanco
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nosso Número
Nome do campo no B1
Nosso Nº
Radical
Usuário Nº 1
Observação
Fixo “320”
Deve ser preenchido com 6 dígitos.
Deve ser preenchido com 2 dígitos de acordo com a
especificação no manual do banco.
226
Matrícula
Usuário Nº 2
Número da Agência
Número da Conta
Bancária
Filial
Deve ser preenchido com 3 dígitos de acordo com a
especificação no manual do banco.
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Nº da Conta
Deve ser preenchido com 7 dígitos.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
O DV do Nosso Número será calculado sobre a Carteira + Radical + Matrícula + Nosso Nº.
9.3.22
Banco BicBanco (Correspondente Bradesco)
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nosso Número
Nome do campo no B1
Nosso Nº
Radical
Usuário Nº 1
Matrícula
Usuário Nº 2
Número da Agência
Correspondente
Número da Conta
Bancária
Correspondente
Observação
Fixo “237”
Deve ser preenchido com 6 dígitos.
Deve ser preenchido com 2 dígitos de acordo com a
especificação no manual do banco.
Deve ser preenchido com 3 dígitos de acordo com a
especificação no manual do banco.
Usuário Nº 3
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Usuário Nº 4
Deve ser preenchido com 7 dígitos.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
O DV do Nosso Número será calculado sobre a Carteira + Radical + Matrícula + Nosso Nº.
9.3.23
Banco Sofisa (Correspondente)
Abaixo são listados os campos requisitados pela DLL para confecção do código de barras.
Cadastro de Contas Bancárias da Empresa – DSC1
Campo
Número do Banco
Nome do campo no B1
-
Nosso Número
Nº do Acordo
Observação
Fixo “237”
Deve ser preenchido com 2 dígitos como parte inicial do
nosso número devido a limitação do campo “Nosso Nº”
no Business One.
227
Nosso Número
Número da Agência
Correspondente
Número da Conta
Bancária
Correspondente
Nosso Nº
Deve ser preenchido com 9 dígitos. O nosso número final
será formado pelo Nº do Acordo + Nosso Nº, totalizando
11 dígitos.
Usuário Nº 4
Deve ser preenchido com 4 dígitos.
Usuário Nº 3
Deve ser preenchido com 7 dígitos.
Cadastro de Formas de Pagamento – OPYM
Campo
Carteira
Moeda
Nome do campo no B1
Nº do Portfólio
Código da Moeda
Observação
Deve ser preenchido com 2 dígitos.
Deve ser preenchido com 1 dígito.
O DV do Nosso Número será calculado sobre a Carteira + Nosso Nº.
9.3.24
Dummy
A DLL Dummy foi desenvolvida com o único intuito de pular a etapa da verificação do código
de barras e dígito verificador do nosso número, executados durante a criação de um novo boleto
de Contas a Receber.
Ela sempre irá validar estes valores, e irá retornar zeros tanto para o código de barras quanto
para o Nosso Número e seu respectivo dígito verificador.
Utilizando algumas parametrizações no leiaute de retorno (Conforme página 86 do manual),
é possível atualizar as informações do Nosso Número e DV, do boleto na importação do arquivo de
retorno.
9.3.25
Particularidade com o DV do Nosso Número
Alguns bancos como o Safra – Correspondente Bradesco utilizam mais de um DV para o
Nosso Número em seu processo bancário. Infelizmente o Business One permite a gravação de
apenas um DV sendo que alguns bancos precisam de mais um. Neste caso, você deve ficar atento
ao manual do banco, pois geralmente um dos DVs é gravado no código de barras, e caso
necessário, este deve ser extraído a partir do código de barras gravado no campo Barcodenum da
tabela OBOE.
228
10. Funcionalidades
10.1. OneShare
Essa ferramenta permite ao usuário efetuar os processos de importação e exportação dos
seguintes leiautes:

Leiautes de Remessa

Leiautes de Retorno

Leiautes de Extrato Bancário Simples

Leiautes de Extrato Bancário CNAB

Leiautes de Nomenclatura de Arquivo de Remessa
O OneShare proporciona para o usuário a facilidade e versatilidade ao importar seus
leiautes. De forma simplificada, você poderá fazer backups de seus leiautes, fazer transferência
dos mesmos para outra base, ou até mesmo fazendo esse processo somente nos leiautes que
desejar.
OBS: Está ferramenta está disponível apenas para as versões do BankSync superiores a
4.0.0.3.
229
10.1.1
Exportação de leiautes
Primeiramente execute seu SAP Business One, logo após inicie o add-on BankSync, e
percorra o seguinte caminho: Administração / Configuração / Banco / OneShare / Exportação de
Leiautes, conforme a abaixo:
Figura 197: Caminho One Share
Após abrir a janela de Exportação de Leiautes, clique no botão Seguinte conforme a Figura
198:
230
Figura 198: Tela inicial da exportação de leiautes
Ao executar o procedimento acima, a próxima tela (Figura 199) irá solicitar ao usuário a
identificação do local para que sejam salvos os leiautes. Escolha o caminho no qual deseja salvar
os leiautes do BankSync pressione o botão seguinte:
Figura 199: Tela informando o caminho para salvar o arquivo de leiaute
Já na tela de seleção de leiautes do BankSync (Figura 200), o usuário deve identificar os
leiautes desejados para o processo de exportação. Cada opção de tipos de leiautes são indicados
pelas abas acima da grade de seleção:
231
Figura 200: Tela de seleção de leiautes a serem exportados
Depois de selecionados os leiautes desejados, clique no botão seguinte para finalizar a
exportação. Os arquivos exportados estarão no caminho em que o usuário indicou.
10.1.2
Importação de leiautes
Primeiramente execute seu SAP Business One, logo após inicie o add-on BankSync e
percorra o seguinte caminho: Administração / Configuração / Banco / OneShare / Importação de
Leiautes, conforme a Figura 201 abaixo:
232
Figura 201: Caminho do OneShare
Após abrir a janela de Importação de Leiautes, clique no botão “Seguinte” conforme a Figura
202:
Figura 202: Tela inicial de importação de leiautes
233
Ao executar o procedimento acima, a próxima tela (Figura 203) irá solicitar ao usuário a
identificação do local onde foram salvos os leiautes. Nela identifique o caminho e selecione o botão
Seguinte:
Figura 203: Tela que informará o caminho onde foi salvo o arquivo de leiaute
Após clicar no botão Adicionar, será aberta a tela na qual o usuário deve selecionar o
arquivo .share ou .zip referente aos leiautes que o mesmo deseja importar.
Selecionado o arquivo, o usuário deve clicar no botão “Seguinte” para que passe para o
processo de seleção de leiautes para importação.
Na tela de “Seleção de Leiautes para Importação” (Figura 204), o usuário marcará os leiautes
desejados por meio do campo Sel, após efetuar as escolhas clicar no botão Seguinte.
234
Figura 204: Tela de seleção de leiautes a serem importados
Selecionado o arquivo, o usuário deve clicar no botão Seguinte avançando para a próxima
etapa.
Figura 205: Tela de correção de informações referentes aos leiautes a serem importados
Ao efetuar a escolha dos leiautes desejados, o usuário passa para a tela de “Correção de
Dados dos Leiautes” (Figura 205).
Na tela de correção de dados o usuário poderá alterar determinados campos do leiaute
como: Código e Nome. Também está disponível a opção de “Sobrescrever” que irá sobrescrever
um leiaute já existente em sua base de dados caso o código for igual. Caso o usuário não deseje
235
a opção de sobrescrever baste ele trocar o código do leiaute em questão ou desmarcar a flag da
coluna “Sobrescrever”.
A coluna “Situação” (Figura 206) irá mostrar ao usuário se o leiaute que ele está tentando
importar já está sendo utilizado no sistema ou não, identificando isso pelo código do leiaute. Caso
o código do leiaute seja igual a outro código já existente em sua base de dados, o status desta
coluna “Situação” será sobrescrever.
Figura 206: Tela de finalização de importação de leiautes
Após efetuar as alterações desejadas, o usuário deverá clicar no botão Seguinte para
finalizar a importação.
236
10.2. Consulta ao SERASA
Essa funcionalidade foi lançada a partir da versão 5.0.5 do BankSync, com ela você poderá
efetuar consultas ao SERASA, porém como pré-requisito é necessário a contratação de um serviço
sujeito a tarifas. Para contratar esse módulo de serviço, é preciso acessar o site:
http://www.soawebservices.com.br e (Distribuidor autorizado SERASA Experian Online), telefone:
+55 (11) 4063-3214.
10.2.1
Configuração da consulta SERASA
Acessando o seguinte caminho: Módulos | Administração | Inicialização do Sistema |
BankSync | Configurações SERASA (Figura 207), será apresentada uma tela onde poderá efetuar
configurações a respeito da funcionalidade de consulta ao SERASA.
Figura 207: Caminho para acesso as configurações SERASA
237
Na aba Configuração (Figura 208), o campo WebService contém os endereços dos
WebServices de teste e de produção.
Figura 208: Configurações SERASA – Aba configurações
OBS: Os campos WebService, Usuário e Senha são de preenchimento obrigatório.
Na aba Permissões de acesso (Figura 209) serão exibidos os usuários cadastrados no
sistema, permitindo configurar através da seleção, quais são os usuários que terão acesso para
realizar novas consultas e visualizar os históricos de pesquisas já existentes do SERASA.
Figura 209: Configurações SERASA – Aba permissões de acesso
238
Na aba Informações (Figura 210), ao clicar no botão Consultar saldo será realizado uma
consulta no WebService do SERASA sendo preenchidos os campos Saldo atual e Mensagem de
acordo com o resultado do retorno do Webservice (Figura 211).
Figura 210: Configurações SERASA – Aba informações
Figura 211: Configurações SERASA – Aba informações – Consulta de saldo
10.2.2
Utilização da consulta SERASA
No caminho: Módulos | Parceiro de negócios | Consultas SERASA, será possível o acesso
à tela de consultas ao SERASA (Figura 212).
239
Figura 212: Consultas SERASA
OBS: caso o usuário corrente não possua ao menos permissão para visualização das
consultas já realizadas, o sistema emitirá uma mensagem alertando o usuário e a abertura da tela
deverá ser cancelada.
Para realizar uma nova consulta deverá ser selecionado o Parceiro de negócio. Após
selecionar o Parceiro de negócio e clicar no botão Nova Consulta, será aberta a tela de Nova
consulta SERASA (Figura 213), onde será exibido a opção de realizar uma consulta Simples ou
Completa. Ao selecionar uma consulta completa será habilitado o botão Detalhar consulta, se for
uma consulta simples o botão permanecerá desabilitado.
240
Figura 213: Consultas SERASA / Nova consulta SERASA
OBS: o botão Nova Consulta estará visível somente para os usuários que possuírem
permissão de consultar, que é configurado na aba Permissões de acesso.
Ao finalizar uma consulta com sucesso, à opção Nova consulta SERASA será fechada e a
grade “Histórico de Consultas” da opção de Consultas SERASA será atualizada com novas
informações. Selecionando um histórico de uma consulta completa, o botão Detalhar consulta
será habilitado, dessa forma será aberta a tela de Consulta completa SERASA: Detalhes (Figura
214) onde mostra em detalhes a consulta e o tipo de pendência.
Figura 214: Tela de Consulta completa SERASA
241
Para facilitar o acesso, é possível efetuar uma consulta ao SERASA diretamente no cadastro
do Parceiro de negócios, porém esse botão presente na tela de cadastro (Figura 215) será visível
apenas para o usuário logado que tiver permissão para Consultas SERASA.
Figura 215:Botão de Consultas SERASA
10.3.
Backup periódico dos leiautes
A funcionalidade de backup de leiautes no modo automático e manual, permite efetuar
backups periódicos de todos os leiautes da base de dados, ou se desejar, fazer backup utilizando
o Control Panel do BankSync.
Acessando o Painel de Controle do add-on no seguinte caminho: C:\Program Files\SAP\SAP
Business One\AddOns\SIE\BankSync (caminho pode mudar de acordo com o tipo de instalação do
Business One), especificamente na aba DB Manager do Painel, existe o botão Backup Layout
(Figura 216) onde irá permitir o backup manual de todos os leiautes da base de dados.
242
Figura 216: Painel de Controle – Botão backup
Após clicar no botão Backup Layout, irá aparecer uma janela (Figura 217) solicitando o
caminho na qual o usuário deseja salvar esse backup. “Selecionando esse caminho, o processo
será iniciado e posteriormente concluído, disponibilizando um arquivo de extensão “.zip” contendo
todos os leiautes da base de dados.
Figura 217: Painel de Controle – Caminho do Backup
243
Para efetuar o backup automático dos leiautes, é preciso efetuar a parametrização pela tela
de Administração | Inicialização do Sistema | BankSync | Configuração de Backup de Leiautes,
nela contém as opções de período: diário, semanal, quinzenal e mensal, podendo também
configurar o horário (hora e minuto) em que o backup será gerado.
Figura 218: Menu B1 – Configurações de Backup de Leiautes
Efetuando a parametrização conforme necessidade do usuário, será possível monitorar os
backups acessando a tabela @SIEBS_BKPL (Figura 217), onde registrará sempre o último backup
de leiautes executado na base de dados.
Figura 219: Gerador de Consultas - Tabela de Backups
244
10.4. Geração e impressão de boletos
Em processos de contas a receber por boletos bancários, uma das atividades mais utilizadas
e importantes é a impressão dos boletos. Neste tópico será apresentada uma funcionalidade do
add-on BankSync, que permite ao usuário gerar e imprimir boletos automaticamente após a criação
de uma nota fiscal de saída, através de um único atalho.
A Sistema Info disponibilizará em sua instalação, leiautes de boletos para os seguintes
bancos: Banco do Brasil, Bradesco, Banrisul, Itaú, Santander, Caixa Econômica Federal,
Sicredi, Sicoob, Banco Nordeste, HSBC registrada e HSBC não-registrada.
Para fazer uso destes leiautes, é necessário iniciar o add-on pelo painel de controle,
localizado na pasta de instalação do add-on. Com o add-on conectado, o usuário deverá acessar
o painel e clicar no botão Relatórios, encontrado na aba DB Manager do painel (Figura 220):
Figura 220: Impressão de boletos – Painel de controle
Assim que os relatórios dos bancos forem registrados no SAP Business One, ficarão
disponíveis na opção de relatórios perdidos da tela de Gerente de relatório e layout do Business
One (Figura 221), para que o usuário os coloque no seguinte caminho: Módulo | Banco | Boleto |
Impressão de boletos.
245
Figura 221: Impressão de boletos – Registro de relatórios
Atualização
Para atualizar um relatório de impressão, não há necessidades de utilizar o Gerente de
layout do Business One, basta seguir os passos abaixo:
1. Substitua o novo arquivo .RPT pelo antigo, na pasta de relatórios do BankSync;
2. Abra o Painel de Controle do add-on e clique no botão Relatórios;
Após atividades citadas acima, será possível gerar a impressão dos boletos.
246
Figura 222: Impressão de boletos – Botão “Gerar Boleto”
Quando a nota fiscal estiver com status “Abrir”, ou seja, o “Contas a receber” não foi criado
ainda para esta NF, o BankSync habilitará o botão Gerar Boleto e acionando o mesmo, irá gerar
automaticamente o “Contas a receber” para aquela nota fiscal de saída.
A forma de pagamento que o add-on utilizará para gerar o “Contas a receber”, virá
configurada do parceiro de negócios, em seu cadastro na aba Execução do pagamento (Figura
223).
O usuário deverá habilitar as formas de pagamento que poderão ser utilizadas no processo
para aquele determinado parceiro, sendo assim a coluna Incluir deverá estar checada para as
formas de pagamento compatíveis com aquele PN:
247
Figura 223: Impressão de boletos – Forma de pagamento Parceiro de negócios
Incluindo as formas de pagamento para o determinado parceiro, ao gerar uma nota fiscal
para o mesmo, as mesmas formas de pagamento estarão disponíveis na aba Contabilidade da
tela de Nota Fiscal de Saída. A forma de pagamento selecionada será a mesma utilizada pelo addon para gerar o “Contas a Receber”.
Figura 224: Impressão de boletos – Forma de pagamento da NF
Ao clicar no botão Gerar Boleto, o “Contas a Receber” será gerado e também abrirá a tela
da impressão do boleto (Figura 225):
248
Figura 225: Impressão de boletos – Boleto impresso
Caso o “Contas a Receber” de uma determinada nota já tenha sido gerado, o botão Gerar
Boleto ainda ficará habilitado na nota fiscal acessada pelo usuário, permitindo o mesmo imprimir
novamente o boleto.
Na tela do “Contas a Receber”, o botão Imprimir Boleto (Figura 226) é habilitado
automaticamente, disponibilizando ao usuário a função de imprimir novamente o boleto
apresentado na tela.
249
Figura 226: Impressão de boletos – Contas a receber
Outro local onde permitirá o usuário imprimir os boletos já gerados no SAP Business One
encontra-se no seguinte caminho: Módulo | Banco | Boleto | Boleto – contas a receber.
Efetuando a pesquisa de um boleto ou encontrando-o no Administração de boletos, ao
acessa-lo estará disponível o botão Imprimir (Figura 227), que terá a mesma função do botão
Imprimir Boleto na tela da nota fiscal e do “Contas a Receber”, ou seja, imprimirá na tela para o
usuário, o boleto selecionado.
250
Figura 227: Impressão de boleto – Imprimir boleto no CR
Caso possua dois ou mais leiautes de impressão, o usuário poderá selecionar o leiaute
padrão em sua Forma de pagamento no botão Parâmetros BankSync, de acordo com a imagem
abaixo:
Figura 228: Impressão de boleto – Seleção de leiautes
251
10.5. Processamento de boletos
Na opção de Processamento de boletos o usuário poderá efetuar o processo de Geração,
Impressão e Envio de boleto em lote. Esta função pode ser encontrada no seguinte caminho:
Banco | Boleto | Processamento de boletos.
10.5.1
Geração de boletos em lote
Semelhante à função de gerar e imprimir boletos, a opção de Geração de boletos em lote
permitirá ao usuário, gerar boletos em grandes quantidades. O filtro desta função pode ser
encontrado no caminho: Banco | Boleto | Processamento de boletos | Geração de boletos em lote
(Figura 229).
Figura 229: Geração de boletos em lote - Filtros
 Data de lançamento (de/até)
Será filtrado os boletos pela data de lançamento que será determinada pelo usuário.
 Data de vencimento (de/até)
Será filtrado os boletos pela data de vencimento que será determinada pelo usuário.
 Data do documento (de/até)
252
Será filtrado os boletos pela data de criação do documento que será determinada pelo
usuário.
 Código do PN (de/até)
Será filtrado os boletos pelos códigos dos parceiros de negócios determinados pelo usuário.
 Tipo de documento
O usuário poderá selecionar uma das opções a seguir para filtrar o processo por documento:
NFS (Nota fiscal de saída), LCM (Lançamento contábil manual) e DT (Adiantamento).
 Número do documento (de/até)
Será filtrado pelo número do documento determinados pelo usuário.
 Filial
O documento será filtrado pela filial determinada pelo usuário
 Forma de pagamento
O filtro da grade de Forma de pagamento possibilitará ao usuário buscar notas fiscais e
adiantamentos de clientes que possuem uma forma de pagamento já sugerida nos
documentos. Para os lançamentos contábeis manuais esse filtro não terá utilidade, sendo
que eles sempre serão apresentados caso não exista restrição no campo de Tipo de
documento.
Após configurar o filtro de acordo com a necessidade do usuário, a tela ilustrada na Figura
230 será apresentada com os documentos em aberto.
253
Figura 230: Geração de boletos em lote – Tela principal
Selecionando as notas fiscais desejadas, o usuário terá de escolher a forma de pagamento
que irá utilizar na geração destes boletos, preenchendo o campo Forma de pagamento no canto
inferior esquerdo da tela principal de geração (Figura 231). Logo abaixo o usuário também terá as
opções de Imprimir boletos após a geração, onde poderá ou não, imprimir os boletos após
geração ou Exportar remessa após geração, onde poderá exportar ou não a remessa de modo
automatizado.
Figura 231: Geração de boletos em lote – Seleção da FP
Depois de efetuados os passos acima, clicando no botão Gerar Boletos, o BankSync irá
gerar automaticamente os boletos a partir das notas selecionadas. Uma mensagem de sucesso da
operação será apresentada na barra de status do Business One (Figura 232).
Figura 232: Geração de boletos em lote – Mensagem de sucesso
254
Concluindo o processo de geração de boletos, automaticamente o add-on irá imprimir na
tela, todos os boletos gerados pelo assistente (Figura 233).
Figura 233: Geração de boletos em lote – Impressão dos boletos
10.5.2
Envio e Impressão de boletos em lote
O processo de Envio e Impressão de boletos em lote permitirá ao usuário após a geração
de boletos, além de efetuar a impressão e/ou reimpressão dos documentos, enviar estes boletos
diretamente a seus respectivos destinatários para cobrança.
Para que o processo seja possível, serão necessárias algumas configurações, que estarão
detalhadas nos itens abaixo.
10.5.2.1 Configuração para envio de Boletos
Esta função pode ser encontrada no seguinte caminho: Administração | Inicialização do
sistema | BankSync | Configuração para envio de Boletos. Ao fazer isto, a tela demonstrada na
Figura 234 será apresentada.
255
Figura 234: Envio e Impressão - Configurações
Na tela de configuração serão apresentados alguns campos de configuração obrigatório,
para que o processo de envio de boletos seja contemplado com sucesso.
 Filial
Esta opção ficará habilitada apenas para bases com configuração de múltiplas filiais.
Neste caso o usuário poderá criar uma configuração para cada filial existente, visando
que as mesmas podem conter servidores e configurações de e-mail distintas.
OBS: caso a Filial onde o usuário estará conectado não possua configuração específica, o
BankSync buscará a configuração padrão da lista.
 Configuração de usuário
Neste grupo será parametrizado o usuário que enviará os e-mails aos clientes.
Nome: este campo será preenchido com o nome do usuário ou do setor responsável pelo
envio do e-mail.
E-mail: este campo será preenchido com e-mail do usuário ou do setor responsável pelo
envio do mesmo.
256
 Configuração do servidor
Neste grupo será informado os dados do servidor de e-mail do remetente.
Porta: neste campo o usuário deverá preencher com o número da porta do seu webmail.
Servidor de saída: neste campo o usuário deverá preencher com servidor do seu
webmail.
Checkbox SSL: neste campo o usuário poderá checar ou não de acordo com a
parametrização do seu webmail.
 Configuração de logon
Neste grupo serão informados os dados para acesso a conta do servidor que enviará os
e-mails aos clientes.
Nome do usuário: este campo será preenchido com o nome do usuário do webmail,
também será utilizado para fazer o teste de conexão.
Senha: este campo será preenchido com a senha do usuário do webmail.
 Nomenclaturas
Neste grupo são parametrizadas as nomenclaturas necessárias para a impressão e envio
do boleto por e-mail.
Nomenclaturas de boleto: deve-se configurar a nomenclatura de boleto que definirá o
nome do arquivo .pdf a ser salvo.
Nomenclaturas de assunto: deve-se configurar a nomenclatura de assunto do e-mail,
que será enviado aos respectivos clientes dos boletos.
Nomenclaturas de E-mail: deve-se configurar a nomenclatura do corpo do e-mail padrão
que será utilizado no envio dos boletos por e-mail.
Botão de Teste de Conexão: quando pressionado este botão, o BankSync irá fazer um
teste enviando um e-mail para o usuário com todas as nomenclaturas que foram
parametrizadas pelo mesmo.
257
10.5.2.2 Processo de Envio e Impressão em lote
Após efetuar as configurações iniciais, o usuário poderá acessar o seguinte caminho para
iniciar o processo de envio e impressão de boletos em lote: Banco | Boleto | Processamento de
boletos | Envio e impressão de boletos em lote. A tela de filtros será apresentada conforme
ilustrada na Figura 235.
Figura 235: Envio e Impressão - Filtro
 Filial
O usuário poderá filtrar os documentos de acordo com a filial que eles foram gerados.
 Data de lançamento (de/até)
Será filtrado os boletos pela data de lançamento que será determinada pelo usuário.
 Data de vencimento (de/até)
Será filtrado os boletos pela data de vencimento que será determinada pelo usuário.
 Código do PN (de/até)
Será filtrado os boletos pelos códigos dos parceiros de negócios determinados pelo usuário.
258
OBS: Somente aparecerá os parceiros de negócios com o tipo Cliente.
 Boletos (de/até)
Será possível inserir os números de boletos que o usuário deseja retornar.
 Status
Será selecionado o tipo de status que o usuário deseja fazer o filtro, as opções são: Todos,
Gerado, Enviado, Pago, Depositado.
 Nota fiscal (de/até)
Será filtrado pelo número da Nota fiscal determinados pelo usuário.
 LCM (de/até)
O documento será filtrado pelo número do LCM determinado pelo usuário
 Adiantamento
O documento será filtrado pelo número do Adiantamento determinado pelo usuário
 Forma de pagamento
O filtro da grade de Forma de pagamento possibilitará ao usuário buscar notas fiscais e
adiantamentos de clientes que possuem uma forma de pagamento já sugerida nos
documentos.
Na tela principal de Envio e impressão de boletos em lote, ilustrada pela
Figura 236, serão apresentados os boletos de acordo com a filtragem configurada pelo
usuário.
259
Figura 236: Envio e Impressão – Tela principal
 Pendentes
Na gaveta Pendentes ficarão todos os boletos que ainda não foram enviados.
 Enviados
Na gaveta Enviados ficarão os boletos que já foram enviados.
Na tela de Envio e impressão de boletos em lote será possível executar as seguintes
ações: imprimir, Enviar ou Imprimir e Enviar os boletos.
 Imprimir
Quando selecionada a ação de Imprimir, os boletos marcados serão impressos em seguida
para o usuário, da mesma forma que acontece após a geração de boletos.
 Enviar
Quando selecionada a ação de Enviar, será enviado um e-mail para a Pessoa de contato
padrão do Parceiro de negócios, juntamente com os respectivos boletos de cobrança.
 Imprimir e Enviar
Quando selecionada a ação de Imprimir e Enviar, além da função de impressão acima, será
enviado um e-mail para a Pessoa de contato padrão do Parceiro de negócios, juntamente
com os respectivos boletos de cobrança.
260
10.6. Leiaute de impressão de boletos
Quando impressos, os boletos buscam as informações da base de dados. Muitas delas são
baseadas em valores dependentes das transições do Business One, como: valor do boleto, data
de vencimento, nosso número e etc.
Porém algumas informações podem ser alteradas diretamente na base de dados, e assim
serão modificadas na impressão de boletos. Segue abaixo os principais campos parametrizáveis
(Figura 237):
Figura 237: Impressão de boletos – Campos
1- Local de Pagamento: campo PaymntPlc / tabela OPYM / tela Características do boleto;
2- Beneficiário: campo BPLName / tabela OBPL / tela Filiais;
3- Instrução 1: campo Instruct1 / tabela OPYM / tela Características do boleto;
4- Instrução 2: campo Instruct1 / tabela OPYM / tela Características do boleto;
5- Carteira: campo PtpDespt / tabela OPYM / tela Características do boleto;
6- Aceite: campo Accepted / tabela OPYM / tela Características do boleto;
261
10.7. Compensação de Cheques
Atualmente no Business One, quando um usuário efetuar o pagamento de cheques, o B1
interpreta como se este cheque já tenha sido pago, porém nem sempre. Muitas vezes o cheque é
compensado/pago dias depois, então nestes casos o usuário poderá controlar estes pagamentos
através desta funcionalidade do BankSync.
10.7.1
Configurações
Caso o usuário deseja utilizar esta funcionalidade, na tela de Contas bancárias da empresa,
o mesmo deverá configurar a conta contábil na coluna Cheque a Compensar, conforme abaixo
(Figura 238):
Figura 238:Compensação de cheques – Conta Contábil
OBS: Caso a conta não estiver preenchida, o add-on irá entender que o usuário não deseja
utilizar a função de compensação de cheques, e o Business One fará a contabilização padrão no
pagamento.
10.7.2
Processo e Contabilização
Na geração do pagamento de cheques pelo Business One, sem a parametrização da conta
contábil acima, ficará da seguinte forma (Figura 239):
Figura 239: Compensação de Cheque – LCM Business One
262
Com a conta de Cheque a compensar configurada, o BankSync irá ignorar a conta padrão
do Business One (Coluna Conta contábil) e contabilizará uma conta de compensação de cheques
(Figura 240), que deve ser criada pelo usuário para controle.
Figura 240: Compensação de Cheques – LCM BankSync
No seguinte caminho Banco | Cheques para compensação | Compensação de cheque
será apresentada a tela de reconciliação de cheques.
Ao clicar na opção do menu, um filtro é apresentado para que o usuário informe o banco e a
conta bancária que deseja filtrar os cheques (Figura 241).
Figura 241: Compensação de Cheques – Filtro
Na tela de Compensação de cheque, na grade da esquerda serão apresentados os
cheques em aberto, e os cheques lançados pelo Business One para reconciliação, e na grade da
direita apresentadas as linhas de extratos importadas (Figura 242).
263
Figura 242: Compensação de Cheques – Tela de Reconciliação
Ao selecionar a linha de cheque e seu respectivo extrato, as informações referentes a este
cheque preencherão uma linha na grade inferior da tela. Assim o usuário poderá conferir e
selecionar o cheque. Para compensar basta clicar em “Reconciliação” (Figura 243).
Figura 243: Compensação de Cheques – Reconciliação
O LCM de compensação irá creditar a Conta contábil da tela de Contas bancárias da
empresa e debitar a conta de Cheque a compensar (Figura 244).
Figura 244: Compensação de Cheques – LCM Compensação
264
11.
Relatórios BankSync
11.1.1 Relatório de títulos importados
Desenvolvido um relatório para mostrar os títulos que foram importados pelo add-on, com a
funcionalidade de facilitar a busca pelos títulos importados pelo BankSync.
Menu: Banco | BankSync | Relatórios BankSync | Relatório de boletos BankSync
Figura 245: Relatório BankSync - Filtros
Tipo de transação: Contas a Receber ou Contas a Pagar.
Status: Como o boleto se encontra, gerado, pago, reconciliado ou cancelado.
Número do boleto de: Intervalo de números de boletos que deseja consultar.
Data de vencimento de: Período que deseja filtrar os boletos.
Código do PN de: Filtro de um parceiro de negócio a outro.
Agrupar por: Agrupar os título por status ou parceiro de negócio.
Agrupar por (2): Agrupar os título por status ou parceiro de negócio.
OBS: Os dois filtros agrupar por, tem as mesmas opções, status e parceiro de negócio, a
diferença é que o primeiro fica na primeira coluna na tela de consultas, e o segundo fica na
segunda coluna.
265
Figura 246: Relatório BankSync - Títulos Importados
266

Documentos relacionados